Mea Culpa

Bom, eu estou de castigo por um tempo em casa por um tempo, e durante o final de semana, recebi o convite de uma amiga para que caso eu já pudesse sair, para visitá-la, uma paciente havia desmarcado e poderíamos conversar. Então, no dia combinado, lá fui eu... passei na minha padoca de eleição e fiz questão de comprar algumas coisas para animar a tarde. Na horário combinado, lá estava eu...

Foi um tarde muito boa, ela é aquela pessoa com quem podemos conversar abertamente, que nos faz bem conversar e desde minha mudança foram poucas as chances de uma "consulta" para mim... Como brincou um amigo, falei até dar caimbra na língua [kkk]. E foi nessas conversas, que acabei revisitando alguns pontos do meu passado, na verdade conversávamos, sobre o tempo das coisas e a dificuldade de ser um adolescente "passado".

Quando eu era criança, em Santo André mesmo (não em Barbacena), lembro que um dia um amigo da turma, não pode sair para brincar porque estava com caxumba, daquele dia em diante, bastava contar o tempo de incubação e todos os outros garotos foram "caindo"... na minha casa não foi diferente! Lembro de não poder sair da cama, tudo com muito cuidado! Mas eis que meu pai começa a reclamar de um pêlo engravado, minha mãe, de sombracelhas erguidas, decretou o veredito. Caxumba!

Meu pai fez graça, chamou-a de Maria Caxumba, e que tudo para ela era Caxumba! Lembro que ele foi jogar bola com os amigos, tomou sereno, tomou cerveja, enfim... se jogou!!! No outro dia, "o pêlo" havia inchado... de tal maneira que na primeira colherada de sopa, ele colocou as mãos na cabeça e saiu correndo de dor. Anos mais tarde, brincaríamos que a Caxumba "não desceu", porque não passou pelo pescoço... a coisa foi tão séria, que o médico não diagnosticou Caxumba, deixou em observação com receio que pudesse se tratar de algum tipo de abcesso. Meu pai perdeu a mãe muito cedo, ainda criança, e naquela época meu avô também já tinha falecido... e ninguém suspeitava que um burro velho não tinha tido caxumba quando era criança!.

Enfim, há coisas que são para ser vividas em determinadas épocas... conversando com ela, eu vi que na tentativa de fazer as coisas certas, mexi com a ordem de algumas coisas na minha vida... e assim como a ocorrência de uma doença infantil em um adulto, hoje eu tenho que descobrir coisas que supostamente já devia saber como lidar.

Por outro lado, fico pensando que foi justamente esse caminho, levemente tortuoso, que me tornou a pessoa que sou hoje. Será que se eu tivesse feito o dever de casa, eu seria diferente, ou estaria em algum "universo paralelo"?! Boa pergunta... mas não sei se as respostas me interessam, porque ao olhar ao meu lado, e ao meu redor, e ver todas as pessoas que me cercam... eu fico muito feliz por ter chegado até aqui...

E lá se foram os meus pontos... nem doeu! Confesso que estava, um tanto quanto cagado, oops, quero dizer apreensivo! Mas nem senti nada... cicatrização ocorreu de forma bacana e felizmente estamos indo bem. Hoje faz 15 dias que eu operei, estou aprendendo a entender os sinais que meu corpo tem dado, estou me acostumando a ideia de que agora sou uma pessoa que toma remédio para o resto da vida, mais que isso... tenho procurando entender o significado de todo esse "sacode" na minha vida...

Até por isso, ainda preciso escrever alguns emails de agradecimento... me assusto como as vezes podemos ser capazes de entrar em uma discussão ferrenha, mas como é difícil parar, olhar para quem nos é importante e dizer um agradecimento de coração... seja por timidez, seja por vergonha mundana, sei lá...  mas acho que agora já dou conta!

No meio tempo... eu fico por aqui, dançando com meus pensamentos!!! ;-)

Não importa ao tempo o minuto que passa, mas o minuto que vem
(MACHADO DE ASSIS)

16 comentários:

Anônimo disse...

Olá latinha!!
Em primeiro lugar, foi bom saber de vc e da evolução da "situação". ;-)
Porém o seu texto sobre a caxumba (papeira, neste lado do Atlantico - graças a Deus, existe o google para nos entendermos!) me fez pensar e identificar com a sua situação.
Também eu estou vivenciando (muitas por inacção) numa fase posterior da vida algo que a maioria das pessoas vivencia mais cedo... Isso me faz diferente? Provavelmente poderia ser diferente se as coisas tivessem ocorrido de forma diferente - mas não foram porque não tinham que ser!
A nossa vida não tem que seguir um guião, nós somos ou devemos ser o director desse "filme". :-)
O minuto que passa importa (mas é passado, não pode ser alterado) porque podemos aprender com ele para aproveitar melhor o minuto que vem! Esse sim importa porque podemos alterar...
Quando quiser dançar, porque não um "tango" a dois - "apareça" para nós colocarmos a conversa e os pensamentos em dia! ;-)
Abraço,
Pedro

Eduardo de Souza Caxa ש disse...

Barbacena, Três Lagoas, Santo André, Freguesia do Ó... é tudo igual. :-) Não tive papeira, então melhor eu ficar esperto aos sinais também! Vai que... E não sei quem você é nos universos paralelos, mas neste aqui, ah... neste aqui você é muito especial!

Douglas S.M disse...

Latinha... pense no lado bom. Estar de castigo faz com que você não tenha que ver certas pessoas na rua.
E cãibra na língua ? Só se for por outras cositas. :p

Fred disse...

E olha que tu e teus pensamentos fazem uma dança digna da "Dança dos Famosos" - tamanho os ritmos e estilos que passam pela pista, nzé? Hehehehe! Importante é saber que está bem e que a caxumba não desce pro saco... hahahahahaha! Hugzãozãozão! E qualquer coisa mando o Dr. Rodrigo Zando Leitte te atender, tzá?

Bruno Garcia disse...

Algumas coisas acontecem quando realmente estamos prontos...rs
Se é tardio? Acho que não tem muito disso não, pode passar a sensação que sim, mas estamos sujeitos a tudo e a qualquer momento!
Super abraço!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Tb adoro fica dançando com meus pensamentos e este mantra entrará para minha lista de favoritos: "Não importa ao tempo o minuto que passa, mas o minuto que vem"

FOXX disse...

Texto meio confuso, amigo, acho que vc tinha tanta coisa pra falar que se atropelou

Mabe disse...

Pois é meu querido....a vida é assim...vem e sacode a gente.
Bom saber que está tudo em ordem...bom receber notícias tuas...bom entender tudo....afinal, nós que sempre nos importamos contigo, sempre entendemos tudo!!!!
Agradecimentos são necessários...ou não....as vezes um pequeno gesto ou um simples olhar substituem palavras. Mas, acho válido tb...

E nós que aqui, sempre estamos, estamos sempre contigo...para o que der e vier....e nem ouse cortar o galho....essa opção sempre foi só minha...hahahahahahahahahahahaha.

Abraços meu querido!

Leão, o rei de mim disse...

Tô contigo nessa de estar satisfeito por ter um caminho tortuoso. Estou bem onde estou agora.

Uma citação que gosto, apesar da fonte não ser a mais nobre de todas:

"Se eu fosse um cara diferente, sabe lá como eu seria."

Abraços!

| Diego Dellano disse...

Caminhos tortuosos, sei bem por onde ficam... Sorrisos

E um tempo, é sempre, sempre Bem vindo!

railer disse...

que bom que está melhor! encare os remédios como água, você também tem que tomar pro resto da vida. é a sua água, sua fonte de vida! e pelo que te conheço você vai tirar de letra! abraços!

Israel Freitas Silva disse...

Pois é amigo, você assim como eu temos o mesmo problema. Muitas coisas acontecem tardiamente em nossas vidas. O que é comum acontecer na infância ou na adolescência acaba ocorrendo na vida adulta. Como o nosso amigo Bruno disse, tudo tem o seu tempo. Sem meras explicações os acontecimentos tardios vem e mudam nossas vidas. Antes eu não tinha o entendimento sobre isso. Agora com a maturidade não esquento mais minha cabeça, deixo rolar. Que venha o que tiver de vir.

Fiquei feliz por sua ótima recuperação!

Abraços!

Fred disse...

Palhaços não me gustam! Nem os "importados"... hahahahahaha! Hugzones! Vou ver esse lance de não atualizar postagens... gracias, fiel escudeiro!

Adriano Só disse...

Comecei intrigado com o título: mea culpa?! Depois, lendo atentamente, acabei esquecendo dele. Fiquei mais interessado na “dança dos seus pensamentos” (rs). Eu gosto demais de dançar! Tem coisa melhor pra se fazer na vida? Ah, sim, depois da dança, tem! (rsrsrs)

Abração.

Ro Fers disse...

Sempre bom relembrar o passado, e o presente acontece conforme nossas escolhas...

Desculpe a ausência, o Douglas havia comentado sobre sua situação.
Bacana que esteja se recuperando bem, logo voltarás a situação "normal".
Abraços, se cuida"

Gera Souza disse...

E a vida segue sua trajetória, com surpresas, doenças, remédios e paixão! Tudo acontece no tempo exato!!

Como o Bratz vou "roubartilhar" a frase do Machado de Assis!!

Vida longa ao Rei Latinha!!! rsrsrsrsrs

Abração!!!

Postar um comentário