A Resposta...

Então...



Vi essa imagem alguns dias atrás... desde então estou intrigado com ela... confesso que eu não sei a resposta! Tem o que eu acho certo pedir, o que eu gostaria de pedir, o que eu creio que mereça pedir e no fim não ia pedir nada...

Reconheço que esse é o tipo de coisa que eu poderia passar dias (como estou pensando) [kkkk], não sei de onde a gente aprende que não pode errar ou se arrepender das escolhas que faz, mas... é muito custoso, pelo menos para mim...

Teoricamente eu poderia pedir o que eu quero e, simplesmente, foda-se! Se deu certo deu, se não deu, tudo bem...  

Mas vai fazer isso na prática!


Muy bien, no meio tempo, hora de voltar para casa... mas nem vou desfazer a mala, porque já chego com dia para partir novamente. Como nos velhos tempos, eu diria...

E assim... levem casacos nos próximos dias, porque tipo... eu tenho um encontro!

Grande semana... 

Coisas a Fazer!

Vi isso no facebook e achei bacana, resolvi colocar aqui para ver a quanto andam as coisas...  ;-)


Se apaixonar ?  
(Esse item está sob análise, apesar dos ensaios acho que ainda não posso considerar como feito)

Casar  
(mas se eu nem apaixonei, gente)

Separar 
(vou ignorar!)

Faltar a escola  
(Já faltei, mas que conste dos autos do processo que eu sou aquele que sempre tem mais de 95% de presença nas disciplinas)

Ver alguém nascer ✔ 
(Acompanhei a chegada do meu sobrinho, não "literalmente", mas tava no fervo)

Ver alguém morrer 
(Infelizmente, já)

Andar em uma ambulância 
(Graças a Deus, não)

Visitar o Nordeste  
(Salvador, Olinda, Natal)

Conhecer o Sul 
(Só fui até Florianópolis)

Visitar os EUA 
(Não, na vez que eu tive problemas com a companhia área e não viajei. Falar nisso preciso renovar meu visto.)  :P

Conhecer Paris 

Conhecer Londres 
(Quem sabe quando for a Portugal?!)

Visitar a África 
(Nunca pensei...)

Conhecer a China
(Poucas chances disso acontecer)

Conhecer Buenos Aires 
(Chances de marcar esse item ainda esse ano.)

Aparecer em um filme 

Aparecer na TV  
(Érr... como dizer... além de já ter aparecido em um programa infantil quando era criança. Eu já dei entrevista por conta de um projeto) #maeToNaGlobo

Se apresentar numa peça de teatro  
(Fui o lobo mau na peça da pré-escola. EEPG Brasílio Machado (SP), a long time ago. Tenho fotos!)

Se apresentar num espetáculo de dança  
(Eu e dançar na mesma frase não dá muito certo!)

Dançar na chuva  
(Claro! E adoro tomar banho na chuva.)

Cantar no karaoke  
(Érr...Prefiro não comentar)

Chorar de tanto rir  
(Sempre!)

Chorar de soluçar até as lágrimas secarem  
(Eu já fui "o" durão! Nos últimos anos tenho ficado mais mole, não ando passando vontade não)

Realizar um sonho 
(Acho que estou realizando)

Tomar um porre 
(Alguns...)

Ter um filho 
(Não vai ser nessa vida, só se adotar...)

Plantar uma árvore  

Comprar uma bicicleta  
(Para ser sincero eu ganhei, era uma Caloi 10 que eu dei para o meu primo alguns anos atrás, ele tava precisando)

Escrever um livro
(Mais ou menos, eu tenho um conto publicado em um livro em Portugal).

Ter um animal doméstico 
(aTive/Tenho cachorros, já tive um Hamster também)

Nadar sem roupa 
(Então... já sim... cof cof cof Mas tava sozinho #chupaSociedade)

Andar de moto  
(Já andei, mas não gosto!)

Saltar de um avião
(Tô fora!)

Saltar de bungee jump 
(Pouco provável)

Andar a cavalo

Aparecer no jornal (escrito) 
(Com fotinho e tudo mais!)

Fazer uma cirurgia 

Ficar internado 
(Última vez, 3 dias internado no isolamento em um quarto de chumbo! Não recomendo)

Achar que ia morrer  
(Já sim)

Ir ao cinema sozinho  
(Sempre, né?!)

Por um piercing 
(Nem morto!)

Fazer uma tatuagem
(Pouco provável)

Dirigir um carro automático  
(Sim, e nunca pisei no freio achando que era a embreagem, mas meu carro é manual)

Fazer mergulho 

Viver sozinho  
(Vamos que vamos, né?!)

Ficar na parte de trás do carro de polícia 
(Então, uma vez cheguei em casa no banco de trás do carro da Polícia... Por conta de um assalto em que eu acabei como refém, a Polícia me levou em casa)

Ganhar multa por excesso de velocidade 
(Então, nunca chegou nenhuma multa em casa... )

Ter um osso quebrado 
(Quebrei a clavícula na adolescência)

Ter pontos em algum lugar do corpo  
(Vários no pescoço, por conta de uma cirurgia. Mas o médico fez "pontos de plástica" então não aparece muito...)

Viajar sozinho  
(Sempre! De ônibus, avião e carro)

Mudar de cidade  
(Duas vezes por minha conta, várias enquanto crescia - por conta do trabalho do pai)

Ganhar um prêmio em um bingo  
(Quem nunca ganhou os fradinhos fanfarrões?!)

Comprar carro novo 

Colocar tudo numa mala e começar a vida num novo lugar  
(Sou desses...)

Virar noite acordado festejando  
(Uma das noites mais doidas da minha vida. Cheguei "cedo" em casa no outro dia, quando fecho a porta, dou de cara com meu pai... Você está chegando ou saindo?! foi a pergunta dele. Minha resposta: Posso responder daqui a pouco!? )


That´s all Folks! Qualquer coisa é só perguntar que eu respondo, quem gostar e quiser responder, fique a vontade! ;-)



(Damien Rice - I DON´T WANT TO CHANGE YOU)

Like a miracle

É atribuída ao Einstein a seguinte frase:


Minha mãe, tem aquela sabedoria peculiar às mães, aquela que faz com que elas digam as coisas com uma certeza "quase profética" [e contra todas as probabilidades]... Começo desse ano, eu tinha um grande problema nas mãos e estava encurralado sem saber como resolvê-lo. Na verdade, a "treta" em questão estava relacionada ao falecimento do meu amigo, algo que já comentei aqui algumas vezes nesse semestre, mas isso se aplica a n situações que já ocorreram.

Na época, no auge da minha inquietação, minha Mãe disse para ter paciência que as respostas viriam... Óbvio que não havia lógica que explicasse tal fato, meu amigo era a única ponte entre eu e a família dele (como eu disse, eu era aquele melhor amigo desconhecido - fazia um tempo que ele morava em outra cidade), além disso, como?! Meu único contato com alguém da família dele, foi com a irmã, quando ela me contou do falecimento dele... isso quase dois meses depois.

Mas eis que essa semana sou surpreendido por um e-mail dela... após pedir desculpas pela mensagem "estranha", ela dizia ter ficado com os dispositivos eletrônicos dele e que por isso, até para que pudesse entender melhor tudo o que aconteceu, havia lido os históricos de conversa dele e que assim havia tomado ciência sobre mim. Terminava dizendo o quão difícil esses tempos estavam sendo para eles e agradecia por eu ter sido um amigo para o irmão dela.

Uma nova ponte se estabeleceu naquele dia e a partir dali tivemos a chance de trocar contatos e não tardou até que passássemos uma tarde ao telefone conversando sobre o meu amigo... Acho que isso trouxe um pouco de paz para ela, já que eu podia talvez esclarecer algumas coisas e, por outro lado, permitiu que acabasse com algumas das minhas inquietações...

No fim de tudo, após muitas coisas pensantes na minha cabeça, fiquei com a ideia de como minha Mãe consegue sempre estar certa e que de alguma forma, meu amigo "fez acontecer" esse encontro tão improvável entre eu e a irmã dele... Ao desligar o telefone aquele dia, com a promessa de e breve sentarmos para um café ao vivo e continuarmos com a conversa, já que há muito a ser conversado, essa frase do Einstein me veio a mente... 


(Lean on me - Bill Withers)


Com parte dos pensamentos do post anterior resolvidas, é tempo de seguir para os "outros pensamentos", esses talvez exijam um pouco mais de tempo... enfim, não dá para ganhar todas...

Essa semana é semana de ganhar os ares... "Vou me embora para Pasárgada, lá sou amigo do Rei, lá tenho a mulher que eu quero, na cama que escolherei..." (Manuel Bandeira). Okay, a coisa toda é bem menos pomposa e não tem mulher, nem "cama"... mas vai ter Sol, então...  

Vamos que vamos...


That's what I'll do

Porque hoje é 5a. feira...
Porque está "fresquinho", mas eu acabei de fazer café...
Porque passei a tarde pensando, pensando, pensando, ...
Enfim...

(I´LL BE YOUR SHELTER - The Housemartin´s)

...Just like a shelter, in a time of storm
I´ll see you through, that´s what I´ll do
When your dreams are scattered
Just like the windblown sand
And you feel, you feel you need a friend
I´ll be there, reach out your hand...

E porque, vamos que vamos..

B Check


E Julho começa a entrar na reta final, meio ano se passou! Confesso que eu achei que ia ser mais fácil, aparentemente eu tinha começado o ano com tudo encaminhado, acreditava que estava entrando em velocidade de cruzeiro e a partir daí era só acompanhar o ritmo. Ledo engano, teve turbulência, vento cruzado, raios, trovões e tudo mais, se o ano passado foi um ano fisicamente puxado, esse até o momento me desgastou mais psico e emocionalmente, teve de um tudo

Apesar de tudo, acho que olhando "a parcial" ainda estou bem na fita... Tem uma parte de mim que está "respirando no saco", sabe que "tudo" poderia estar melhor, tenho consciência disso, mas a outra parte - ainda que com certo peso de culpa, entende que está tudo bem, é o que temos para o momento. Vamos que vamos, né?!

Segundo semestre trás um novo panorama e novas questões... quem sabe novos personagens!? Na verdade, é tempo de reavaliar algumas atividades, atualizar planejamentos e ver para onde a vida me leva. Meu projeto entra em uma nova fase, precisamos começar a dar corpo para ele, também é tempo de repensar algumas "questões internas", esse tempo me permitiu adicionar novas variáveis, fazer simulações e me vejo confrontado com meus próprios discursos. 

Assim, aproveitando que o pesquisador-líder está de férias da Firma, pelos poderes a mim investidos, vou cair nas estrada ou me jogar nas nuvens talvez... Aproveitando que as coisas que preciso fazer podem ser feitas a distância, no começo de Agosto vou viajar! Nada muito exótico, mas acho que vai me fazer bem... Não é férias, Deus sabe que se falar essa palavra perto do laboratório é capaz de alguém infartar, mas digamos que um "B Check" - aquela volta ao hangar que aeronaves são obrigadas a fazer de 6 em 6 meses para inspeção.

Essa semana, preso no trânsito resolvi deixar meu pendrive rolar solto, "antigo" companheiro de viagem, fazia tempo que não ouvia as músicas que estavam nele, até porque durante alguns meses tinha deixado meu carro na casa dos pais. Foi legal, tinha me esquecido um pouco daquelas músicas... tudo bem que naqueles dias eu apenas abria a janela e ficava brincando com o vento, agora a coisa mudou...[kkk], já que a gente fica mais parado do que andando, mas deu para chacoalhar um pouco o corpo dentro do carro...

(Bryan Adams - Summer of 69)

Boa semana para nós! ;)

A pequenina luz... que se apagou!

Normalmente dizemos que os "tempos modernos" têm influenciado a forma como vivemos, nos relacionamentos, alcançando todos os campos do nosso cotidiano, inclusive depois que já não mais estamos por aqui. Hoje, todos nós estamos de alguma forma nesse mundo virtual, seja por meio de redes sociais, aplicativos de relacionamento e comunicação, redes de trabalho, dentre inúmeras outras. E assim, surge uma nova questão, o que fazer com essa vida virtual quando aquela pessoa já não está mais entre nós? Alguns dizem que devemos deixar e de certa forma aquele perfil se tornará um memorial, mas há que defenda que aquilo acaba por trazer mais sofrimento para quem fica.

Confesso que não consigo ter uma opinião "lógica e racional" a respeito... Pensando nisso, fui atrás do perfil de uma pessoa conhecida, que faleceu de forma inesperada em um acidente de carro. Apesar dos quase 4 anos, os amigos ainda deixam mensagens, mandam "recados" e havia inúmeros depoimentos de familiares. Por outro lado, pouco mais de dois anos provavelmente, uma colega de trabalho perdeu a filha em consequência de uma cirurgia. Ela, a mãe, é uma pessoa muito lúcida, pesquisadora atuante e com uma formação sólida tanto moral quando em conhecimentos, chegou ao ponto de processar a empresa responsável por "aquela famosa rede social" para que o perfil da filha fosse devidamente apagado, já que seus inúmeros pedidos foram ignorados. Na época, isso chegou a figurar nos jornais, tendo sido objeto de uma matéria na televisão.

Essa questão acabou voltando a mim esses dias, como profissional de Tecnologia da Informação eu posso dizer que estou razoavelmente conectado, nessa brincadeira, o Skype é uma ferramenta de trabalho para mim e um dos meus contatos "favoritos" era justamente o meu amigo que faleceu no início desse ano... Durante todo esse tempo, ele ainda aparecia conectado, ironicamente "ausente", mas estava lá. Confesso que por diversas vezes me assustei ao "vê-lo" online lá, era uma sensação estranha me deparar com aquela "luzinha" a me olhar... mas o tempo foi passando e eu me acostumando com "a ideia".

Mas dia desses, eis que lá estava eu em uma call, quando me dou conta que a luz do avatar dele havia se apagado, offline. Imagino que durante esse tempo algum dispositivo dele ainda estivesse conectado e por isso a luz ainda permanecia lá, confesso que foi um pouco triste, terminei a call e fiquei encarando a tela sem saber ao certo o que fazer.

Na verdade não tem muito o que se fazer, mas confesso que ainda estou olhando aquela luz, agora apagada e não sei exatamente o que sinto, talvez seja como perdê-lo novamente... sei lá... Não foi difícil entender a atitude aparentemente extremada da minha colega, ele não tinha perfil nessa rede, mas tinha na rede de fotos, que nas primeiras semanas eu ainda a visitava, revi fotos, relembrei histórias, acho que foi minha forma de dizer um até breve na época. Me dei conta então que já tem um tempo que não vou por lá... mas imagino que aquele perfil ainda esteja lá...

...

Enfim, mais uma questão da modernidade para lidarmos...


(Luz Negra - Cazuza)

Something has changed...


Eu queria escrever um post, mas só fiquei no "querer", as coisas andam meio "entaladas" ... então, até que alguma coisa saia de fato, vamos deixar aqui algumas observações para ver se elas germinam depois.

Pensando solto - A  (I Knew)

Às vezes, quase sempre para ser sincero e honesto eu acho que minha vida é um imenso clichê! Vira e mexe me pego pensando em algo que aconteceu comigo ou que passei e consigo achar um filme, história, conto, o que seja, que poderia ser aplicado à situação.

Agora pouco estava lavando a louça, sim eu sou desses e "bang", lá me vi em uma situação de um filme... Pior que o fatídico diálogo poderia ser entre eu e algum amigo, não tenho certeza se isso é bom ou ruim, de qualquer forma só queria que a parte em que o mocinho se dá bem também viesse na sequência! :P

Pensamento solto - B

Alguém me enviou essa imagem já tem um tempo... desde então eu a salvei e tem uns dias que a coloquei em um post, mas apesar dela ter um significado forte para mim, ainda não consegui escrever sobre...

Se há uma competência que eu possuo com certeza, essa é a de me "adaptar". Nem sei onde estaria se não fosse assim, mas as vezes me pego pensando se isso é bom ou ruim... Minha Abuela diria: que pedra que muito gira, não cria limo! Às vezes tenho medo de entre tantas adaptações ter me esquecido de quem realmente eu sou ou do que quero.

                                      Mas, vamos que vamos...


Pensamento solto - C  (Something has changed...)

Quebrar paradigmas nunca é fácil... há quem diga que: cachorro velho não aprende truque novo! Mas, a gente está ai para isso né?! E nessa brincadeira é tempo de andar por novos caminhos. Isso me trinca em muitas ocasiões! Sempre fui adepto das planilhas, dos mapas e dos diagramas, sou conhecido por eles na Firma.

Diferentemente dos outros ensaios, ao aceitar aquele convite... ou melhor, ao fazer aquele convite, eu não tinha confiança de que ele seria aceito, muito menos tinha [e nem tenho] noção para onde estava me dirigindo, mas... muitas vezes, mais importante que o ponto de chegada é a direção que se toma. Pelo menos foi isso que me disseram.

E assim vamos lá, quem sabe...




"...It´s time to try
Defying gravity
I think I´ll try
Defying gravity..."

Inté!