E lá vamos nós...

#tempoPresente

Ando meio em "crise" com meu bloguinho, não ando muito na vibe de publicar nada, mas gosto daqui... tem um pedaço de mim aqui que eu demorei muito tempo para encontrar... Então, acho que achei uma saída para remediar essa entre safra, publicar alguns curtas que eu também gosto muito e vira e mexe assisto...

O #1 vai ser um que supostamente chegou até a mim por acaso, ou seria um "sinal"... enfim... ele de certa forma resume um post que eu iria escrever, além de ser muito bonito... ;)



Sign - A silent film (2016)


---

"Enquanto isso", o tempo tem passado muito rápido, ou eu ando meio sem fôlego..., de qualquer forma tenho algumas sprints importantes até a chegada do bom velhinho... alguns planos e perspectivas interessantes...

Que venha o novo! :)

4 comentários:

Luma Rosa disse...

Oi, Latinha!
Eu já havia assistido a esse curta metragem e achei que seria necessário um revisor de sinais, porque tudo é feito através do ASL e não há legendas e apenas aqueles que conhecem os sinais estarão conscientes do que eles realmente estão dizendo. Masfica a pergunta: Porque cineastas precisam de 90 minutos e muitas vezes não dizem nada. Um curta pode modificar o pensamento, tocar nossos sentimentos e nos ajudar a dizer aquilo que não conseguimos palavras. A passagem do tempo foi tratada com suprema habilidade "Portas fechadas, se afaste das entradas" :)
Espero que seja apenas um momento! Não desanime do bloguinho!!
Beijus no coração!!

N a m o r a d o disse...

São fases Latinha. Não se preocupe que a vontade volta :P Obrigado pela partilhar, vou ver se assisto. Grande abraço :P

XAVERICO disse...

Logo logo você se anima e volta a escrever com mais frequência.
Gostei do curta e recomendarei aos meus amigos.Obrigado.
Abraços.

CÉU disse...

Olá, Latinha!

Agradeço tua visita silenciosa ao meu blog. Por que comentaste? Estavas com preguiça ou por ser um blog hétero? É que eu venho ao teu, homo, sem o mais pequeno problema. Ah, vocês se afastam e depois acusam os outros de discriminarem vocês. Há discriminação, sim, eu sei, mas são vocês que têm de mostrar à vontade, com naturalidade e agindo como um casal hétero.

Você está um pouco desanimado, mas como tudo, isso irá passar, em breve.

Assisti à curta metragem na íntegra e achei demais: sentimentos serão sempre sentimentos, mesmo que as pessoas sejam cegas, surdas ou mudas. Todos os casais têm suas brigas, amuos, mas depois, e se se amam, de facto, fazem as pazes, como foi o caso. Abençoado metro.

O menino lourinho é um espanto de homem. Que lindo! Hum!

Beijinho e bom final de semana.

Beijinho, querido!

Postar um comentário