Amputação

#tempoPresente

É um relato comum entre as pessoas que sofrem amputação de algum membro, a percepção de sensações no membro que não mais está ali... 

Pois é... essa foi uma semana um tanto quanto atípica para mim... e hoje, enquanto preguiçava na cama, aproveitando o barulhinho da chuva que caia mansa lá fora, fui tentando ordenar os pensamentos e de alguma forma cheguei a esse pensamento...

Apesar de viver cercado de pessoas, eu por natureza sempre fui mais reservado, logo... há poucas pessoas com quem me sinto verdadeiramente à vontade para sentar, conversar, "chorar as pitangas", enfim... aqueles que considero meus verdadeiros amigos. Assim, todo mundo conta! [kkkk]  Também é uma característica, meio pentelha eu imagino (ainda que meus amigos não me falem), de procurar saber deles... estar por perto.

Nos últimos meses me vi em meio a um imbróglio "daqueles", uma pessoa (que na verdade já foi mais que uma pessoa) e a quem eu [ainda] considero um dos meus melhores amigos, por termos uma grande afinidade e até mesmo um grande carinho, começou a namorar. Óbvio que estranhamentos aconteceram, até porque as coisas entre nós nunca foram forçadas ou artificiais... chegamos até onde chegamos [e voltamos! kkk] de forma natural... 

Por algumas razões, ele acabou impondo uma certa distância entre nós... eu relutei no início, mas chega um momento em que precisamos encarar os fatos! E talvez para a surpresa dele, eu aceitei o afastamento... sem reclamar, sem dizer uma só palavra, apenas... deixei seguir! Seja feita à vontade dele.

Não foi fácil, confesso. Fico triste pela amizade que eu sei que temos e que me era muito cara... Entendo que as coisas não precisavam ser assim, mas, as coisas são o que são... escolhas foram feitas!

Hoje, depois uma semana com vento de novidade, enquanto preguiçava sozinho, no silêncio da minha casa e só com o barulho dos meus pensamentos... me veio essa analogia com a amputação! Não posso negar que ainda sinta falta dele, que as vezes lembre de coisas que normalmente compartilhávamos, mas a cada dia cresce a certeza de que Ele não é mais parte de mim. 

Na verdade, tenho sentimentos conflituosos em relação a isso... 


Que venha o novo e... como tradicionalmente eu diria... Vamos que vamos! kkk

E por falar em "novo", de saideira fica um som que ouvi essa semana por conta de um amigo e que acabou me conquistando, apesar de não ser fã de Gospel, gostei da música deles... 

(Let it Happen (feat. Andrea Marie) - United Pursuit)

Inté.

4 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Uma analogia perfeita. Sei bem o que é isto. Não com relação a uma pessoa específica mas a um grupo de pessoas de quem eu afastei por questões que aqui não vêm ao caso esmiuçar. foram 10 anos de trabalho juntos, amizades. Hoje já correm 6 anos de total rompimento. Não há uma semana em que não sonhe com eles pelo menos umas três vezes. É o reflexo do membro amputado que persiste.

Beijão

Luiz Carlos Lucas disse...

Sentimentos conflituosos? Sabe como se resolve isso? Se esbaldando com o novo! (rs) Sem perder o domínio da situação, óbvio... o que pode ser bem difícil para o senhor, né! Mas, não custa tentar. Ou o senhor já não tem background (no sentido correto do termo, rs) suficiente?

PS: eu teria algum plano pra bagunçar um pouco o outro, até pra compartilhar os tais sentimentos conflituosos... só de sacanagem, rs.

Eduardo de Souza Caxa disse...

Acho que conheço o amigo do som.

zoionarola disse...

Coisas da vida, acho que essa situação é algo corriqueiro na vida de todo, infelizmente.

Postar um comentário