O 163.º dia do ano [2]

Demoraria um bocado tempo até ele ter noção do que se tratava gostar de alguém. Diferente dos poucos amigos que teve ao longo do caminho, precisou aguardar alguns longos anos até que pudesse começar a entender o que de fato, se tratavam as tais coisas do coração. Durante esse tempo, fora apenas o espectador de um estranho fenômeno que acontecia ao seu redor, contagiando pouco a pouco seus amigos. Mas que ele próprio parecia ser imune, uma vez que tudo indicava que nunca seria afetado por tal “mágica”.

Talvez por isso nem tenha se dado conta quando foi tocado por aquele sentimento a primeira vez, a consciência da existência de toda uma nova dimensão, totalmente desconhecida para ele até então, alertou-o que havia algo a buscar, algo que ele não aprendeu a reconhecer quando jovem, mas que passou a sentir dentro de si o desejo de um dia encontrar.  

Também, sempre ouviu que contos de fada não existiam, mas acredita que os príncipes existem, não aqueles que chegam em lindos cavalos, trajando impecáveis uniformes... No mundo real, muitas vezes, os encontramos à beira do caminho, vindo de suas batalhas, muitas vezes machucados, muitas vezes feridos de morte. Mas ainda assim, Príncipes.

Em suas buscas, teve a sorte de encontrar com alguns... já não esperava ser exatamente "salvo", e também já compreendia que nenhum deles lhe traria o tal esperado coração - que um dia julgou não ter. Ao contrário, de todos eles, apenas esperou que aceitassem o convite para caminhar com ele, enquanto buscava respostas de como preencher o coração, tão novo e aparentemente tão grande que ele sabia possuir. 

Cada um deles, lhe deu de presente, peças miúdas de um grande quebra-cabeças, que com a ajuda do tempo aos poucos ele descobriu como montar, a ponto de reconhecer que de fato, tal quebra cabeça, é na verdade, um espelho...  daqueles grandes, onde ele pode se ver por inteiro, com seus medos e suas inseguranças... Também pode ver que apesar de inexperiente e imaturo, o ansioso coração que as vezes bate descompassado, aos poucos vem sendo preenchido, ciente de que mais que ser cuidado, também anseia por cuidar de alguém... 

Até lá...


(ON MY OWN, Les Miserablès - Cena de Dawson´s Creek)
---

Em tempo... informamos a quem possa interessar que amanhã é dia de Santo Antônio!!! 

Fica a Dica! :P

9 comentários:

Madi Muller disse...

O amor, a nossa eterna procura...e a Katie Holmes está uma graça nesse filme,acho essa canção tão bonita!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Madi foi sábia em seu coment ... perfeito ...

Beijão

Luiz Carlos Lucas disse...

Para quem está predisposto, nunca é tarde! Basta coração quente e cabeça fria.

Abraços

Antonio de Castro disse...

bonito seu texto.

a experiência de vida é um grande trunfo pro amor.

e santo antonio ainda me desperta uma simpatia.

O Menino que Voa disse...

Que delicia, esse texto.
A busca continua, sempre.
Mas aproveite esse espelho para se despir dessas inseguranças e medos. Amar é um lago no qual temos que pular de cabeça. Se o salto der errado, a gente tenra de novo. E de novo. E de novo. E de novo.

Gera Souza disse...

É um deleite ler textos como este...
Vale a pena acreditar na procura, tendo certeza de que encontrará o que sempre desejou!!
Quem sabe amparar, um dia será amparado por alguém que estará disposto a trocar vivências!
Abração

Anônimo disse...

Texto lindo e sábio! Nos mostra que além de tudo, somos imperfeitos e capazes de amar.

dentrodabolh.blogspot.com

railer disse...

o amor começa sempre com uma projeção...

Marcos Campos disse...

O amor, esse safado ! Sempre nos pregando peças ! Sempre nos ensinando, as vezes nos deixando tristes, as vezes crianças transbordantes de alegria contagiante ... ainda bem que existe esse "mardito" !

Abraço !

Postar um comentário