Um dia não-bom

"É que por enquanto a metamorfose de mim em mim mesma não faz sentido.
É uma metamorfose em que eu perco tudo o que tinha, e o que sou.
E agora o que sou?
Sou: estar de pé diante de um susto. Sou: o que vi.
Não entendo e tenho medo de entender,
o material do mundo me assusta, com seus planetas e baratas."
(CLARICE LISPECTOR)

Então, o sol estava lá, as plantinhas estavam verdinhas, o céu azul de Brigadeiro, com direito a beija-flor vindo visitar as flores de Mamy no quintal... mas eu não estava. Não sei o que aconteceu, ou o que não aconteceu, mas ontem não foi um dia bom. Não houve nada de extraordinário, nem bom, nem ruim, também não foi um dia ruim... só não foi bom.

Meus "super poderes" não foram inicializados ontem, virei mortal...
Nem o café estava bom ontem [o pão de queijo tava divino, mas o café tava meio sem sabor eheheh], as vezes eu tenho isso, me lembra um poema da Clarice Lispector que vi uma vez [acho que já coloquei aqui no blog outras vezes], mas não estou deprê ou coisa do gênero, só estou normal. blép!!!

Acho que é um pouco de carência... ando meio "gato macho", sabe aquele gato que vem e fica se roçando no meio das pernas da gente?! [E que a gente quer chutar!? hauahuhaua] Pois é, também tem disso...

Na verdade tem um bocado de coisas indefinidas que me cercam e isso meio que me desestabiliza, o que aliado a umas cobranças pessoais não ajudam muito a melhor o panorama. Ontem, não consegui me concentrar em nada... produção zero! Se me dessem duas tartarugas era capaz delas conseguirem me amarrar e fugir... terrível.

Enfim, hoje era um bom dia para sentar com uma boa dose de whisky cowboy [pior que eu gosto assim mesmo, sem gelo] e ficar olhando o mundo passar. Bom, espero que até amanhã o pó de pirlim-pim-pim caia de novo sobre mim e eu volte ao "meu" normal.
ehehehe

Abraços a todos.

"Mas tenho medo do que é novo
e tenho medo de viver o que não entendo -
quero sempre ter a garantia de pelo menos
estar pensando que entendo,
não sei me entregar à desorientação."
(CLARICE LISPECTOR)

Trilha Sonora: All Out of Love, AIR SUPPLY

See you...

9 comentários:

Alan... disse...

Gostei do post: Tem Clarice Lispector (que eu adoro), me identifiquei com esse estado de espírito, que em mim é tão constante... Você descreveu com as palavras aquilo que eu não sei dizer... Essa sensação, que não é nem de tristeza, nem alegria...


Passarei aqui mais vezes...


Abs!

Râzi disse...

Meu lindo... eu creditaria isso... ou debitaria(!) à sua falta de sono!

Sabe, quando eu não durmo direito, tudo fica ruim, no dia seguinte! Tudo! Dá vontade de chorar.. ai eu lembro que fiquei acordado até as 03:30h e que acordei às 06:30... ai só durmo um pouco mais no dia seguinte e fica tudo maravilhoso!

Beijão, lindo! E muitos dias de super powers mode on pra vc!

Thread disse...

Eu fico assim nos dias que sei que tenho coisas pra fazer, mas não me programei e acabou num dia inútil..

Dias que o café não tá bom eu tomo mate! :] hahahaha

Abração

Thread disse...

Lembrei.. Será que isso é pq seu dia ontem tava muito "sem viadagem" ?????????? hahahahahha


:D

Free tunninG disse...

não ia ser de se acreditar , mas eu voltei, mais ou menos feliz, mas estou bem assim, deu uma mega atualizada no meu blog
:D

e estou devolta na ativa!
:D

Beijooo! Latinha!

edu disse...

Querido Latônio... esquenta não que todo mundo tem esses dias. Fosse eu mais insensível, diria que é falta de uma boa rola, hehe, mas não é (a do Mau é muito boa e eu às vezes fico assim). E tem aquelas: é bom ter um dia "normal" de vez em quando pra gente revalorizar os dias bons. Ou estou dando conselho barato? Bah, na próxima vez mistura o café com conhaque e pau na égua!

Beijo! :-)

Alberto Pereira Jr. disse...

é normal acordar e se sentir assim.. "normal"... imagina que tristeza uma vida igual todos os dias?...

adoro Clarice!

FOXX disse...

gostei do conceito
vou utiliza-lo
dia não-bom

Oz disse...

Rapaz, o pior é quando estamos num dia-não-bom e não podemos ficar sentados, simplesmente, a ver a vida passar. Ai sim, é cruel!
Também ando meio que assim-assim-mais-ou-menos. Mas passa.
Abraço.

Postar um comentário