Café com Segredos

"Eram acima de tudo bons amigos. Se conheceram por conta de uma oportunidade de trabalho e quase que de imediato uma grande afinidade surgiu entre eles, se tornariam parceiros inseparáveis na tentativa de vencer os desafios impostos pelas tarefas a serem cumpridas, o que acabou por estreitar ainda mais os laços de amizade entre eles. Com o tempo, naturalmente a amizade extrapolou os muros da empresa, e Ele, que na verdade era de outra cidade, foi de certa forma adotado pelo Outro e sua família.

Parceiros de café, não foram poucas as vezes que não viram as horas passar enquanto conversavam naquele que se tornaria uma espécie de ritual, almoço e logo após sentar naquele charmoso café para colocar o papo em dia, de fato aquele local seria a única testemunha de vários momentos compartilhados entre eles, momentos de dor, alegria, angústia, felicidade.

O que não podiam imaginar é que dentre tantas afinidades que possuiam, havia também um segredo - que cada um tentava carregar ao seu modo. revelações viriam anos depois.

As revelações viriam anos depois, nesse meio tempo, é bem verdade que Ele teve vontade de dividir com o Outro o seu segredo, mas nunca o fez, talvez mais por vergonha do que medo ou qualquer outro sentimento, no fundo sabia que a amizade entre eles eram maior e mais forte do que isso, mas se expor sempre lhe foi uma delicada questão. Mas, por uma dessas ironias da vida, o segredo do Outro lhe seria revelado primeiro, um mal entendido ocorrido com um amigo em comum tiraria o véu que lhe cobria os olhos.

Mesmo assim Ele nada fez, guardou tal informação para si, como se aquele também fosse seu segredo.

Um bom tempo depois foi que e durante uma conversa por telefone Ele sentiu que já era hora e sem se importar com a impessoalidade do meio, revelou aquele que talvez seja o seu maior segredo. O Outro ouviu a cada palavra sem interromper, o silêncio do outro lado demonstrava a atenção com o que era dito, e quando Ele finalmente terminou, foi surpreendido. Era a vez do Outro mostrar-se por completo, Ele não esperava, em seu egoismo até havia esquecido do Outro, até então via somente o bom e velho amigo de sempre, mas eis que no final ambos sentiam-se mais leves e de certa forma ainda mais unidos.


Meses depois iriam se encontrar pessoalmente, não que fosse algo planejado, mas Ele tinha uma reunião de trabalho e o Outro se oferecera para hospedá-lo, como era de costume. O forte e longo abraço da chegada trouxe novamente aquele sentimento de fraternidade presente em todos esses anos, como de costume, enquanto o cheiro do café tomava conta da casa Ele e o Outro, cada um com sua caneca, se atualiza com as notícias: amigos, família, vida, emprego, viagens...


Foi somente após o almoço que teriam coragem para tocar no assunto, cada a um a seu tempo revelou sua jornada, seus medos e anseios. Ambos perceberam que mesmo sem nunca antes dizerem uma só palavra sobre tal questão, talvez o que tenha os unido foi justamente o apoio mútuo e a amizade sincera que fez com que cada um dele pudesse seguir seu caminho.


Aquela noite sairam juntos, acabaram em um badalado clube da cidade, dançaram, beberam, conversaram, trocaram confidências. Talvez fosse o clima do local, talvez a bebida, as revelações sussurradas ao pé do ouvido, ou então, quem sabe a conjunção dos planetas... mas foi uma noite estranha. A caixa de pandora fora aberta novamente, e Ele sentiu-se pouco a vontade, pois percebera que o Outro, a quem considerava um irmão até então, havia de súbito se tornado um Homem....


A madrugada já se fazia querer ir embora quando voltaram para casa, chegaram, juntos devoraram algumas sobras, enquanto conversavam à mesa. Os olhares trocados não pareciam mais tão fraternos como outrora, apesar de estarem acostumados a dividirem o quarto inclusive, mas naquele dia o último abraço foi diferente, Ele não sabia explicar...
mas foi.

O sol conferia um ar dourado ao quarto, quando Ele abriu os olhos pela primeira vez, olhou ao redor, aninhou-se na cama mais vez e ficou a pensar em tudo o que vivera. Não tardou até que a porta abrisse e o Outro o avisasse que o famoso café estava pronto e que o esperava para o desjejum. Ele deitou-se novamente, sorriu, em pensamento agradeceu por mais um dia e por nada ter acontecido, foi quando pulou da cama, vestiu-se e aproveitou mais um café com uma nova rodada de segredos.Muitas foram as risadas, vários planos foram traçados e muitas memórias revisitadas, trocaram músicas e quando finalmente Ele foi embora sentia-se alegre e bem disposto, como a muito não se sentia.

Sozinho, enquanto voltava para casa, considerou as possibilidades e para si tomou como acertada a decisão de nada fazer. Optara por manter não o "irmão" em sua vida, mas um Homem com quem sabia que poderia contar a qualquer momento, independentemente de qualquer coisa, no primeiro momento em que o viu, soube que o Outro seria um dos melhores homens que tinha conhecido até então e que não gostaria de arruinar isso com um namorico ou "one night stand", ao invés disso, preferia mantê-lo para sempre ao seu lado."



Abraços

18 comentários:

Samcleber disse...

Nossa, me emocionei...

Voce tem o dom de escrever sabia? E então Este da história ficará para sempre com Ele?

XD

Beijão!

Viajante interdimensional disse...

que maneiro! é sempre bom tem alguém com quem dividir algo na vida :)

fico feliz por vc

Samcleber disse...

nossa adorei teu comentário!

mais acúcar pros meus sonhos!

beijão!

Euzer Lopes disse...

G-E-N-I-A-L.
É só isso que tenho a dizer deste texto maravilhoso que você escreveu.

Tiago disse...

E o texto é perfeito!
E algumas coisas acontecem no percurso da vida assim e seguimos
Nas expectivas, nos sonhos
Vivendo!

Excelente Sexta Amigo!

Nyno disse...

MARAVILHOSO! Nossa como não ficar emocionado latinha...É possível sentir o o coração bantendo mas forte a cabeça "zonz" com as possibilidades!! Bom fim de semana. Bjão.

Alberto Pereira Jr. disse...

que linda história.. realmente as vezes é melhor não arruinar uma relação de amizade e bem-querer com o ciúmes e a cobrança de uma relação...

Oz disse...

Na dúvida, eu prefiro sempre preservar a amizade. Um amigo, bem estimado, pode durar uma vida inteira, já um amante...
Gostei muito de ler esta história -acho até que já a conhecia, mas em traços gerais -, contada aqui com emoção q.b.
Grande abraço

edu disse...

E o jovem padawan já está pronto para os exames jedi...

Não tenho como não relacionar esse belo texto seu com o do felipe "quem escolhe uma coisa abre mão de outra". E que bom que a escolha foi sábia. Um amigo de verdade é tesouro ainda mais raro que um amor, pode ter certeza. Há que manter.

Beijo!!!

Mary West disse...

Olá! Gostei do seu blog e do jeito q vc escreve, mas principalmente gostei da descrição dele. Adoro o homem de lata e todo o universo do Magico de Oz.

Passarei aki mais vezes. ;)

Tarco Rosa disse...

Que bom se todo mundo tivesse o bom senso do seu personagem, não?
Seu texto tem algo que faz com que não termine, mas se prolongue no espírito de quem lê. Quanto ao seu comentário, Tarco Rosa é pseudônimo. Valeu a visita.
Um abraço

Riddler Junior disse...

Esse texto foi excelente! :D Aliás, este e os anteriores também. Fiquei pensando se, num momento como esse, eu conseguiria fazer uma escolha sábia... acho que a carência afetiva gritaria mais alto... hehehehehe Mas, se bem me conheço, eu teria jogo de cintura suficiente para levar tudo numa boa caso não se tornasse uma história de amor e permancesse na amizade...

Grande abraço!

Thread disse...

Um supresa por dia! É sempre bom ler bons textos!

Abração cara

Bruno disse...

Ah! Achei bonito!
Queria que minhas noitadas acabassem assim. Geralmente acabam em um buteco com um garçon me colocando pra fora e eu tendo que esperar o ônibus com trabalhadores rurais tentando voltar dignamente pra casa.
Sua versão é bem melhor!
Beijos!
=X

Rod Maciel disse...

Eu me identifiquei muito com seu texto... já passei por algo parecido. Na vida, muitas vezes temos q fazer escolhas e eu já preferi manter um bom amigo tb.
Abraço! =)

felipe disse...

fala amigo....tudo bem?
adorei seu post...você escreve muito bem mesmo.
Grande abraço
felipe
www.muitoadeclarar.zip.net

The Secret disse...

Queria que meus cafés fossem assim, tão soborosos para o espirito apaixonado. Beijos Saudades

lorenzo. disse...

CARALHO!
que texto lindo... eu tb tive um desses sentimentos há uns dias, que eu ditei no blog.

a pior parte de ser homem e gostar de homens na minha opinião é o sexo sem compromisso... Nunca sofri por isso, mas acho que um poco de sensibilidade vai bem em qualquer caso né. Ter sensibilidade pra preferir a palavra ao invés do gozo, isso sim que é uma vitória..

abraço latiinha!

Postar um comentário