O Avesso da Vida

...Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade.
Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer,
e não tivesse mais irmandade com as coisas...

...Estou hoje perplexo,
como quem pensou e achou e esqueceu...


...Que sei eu do que serei, eu que não sei o que sou?
Ser o que penso? Mas penso tanta coisa!

E há tantos que pensam ser a mesma coisa
que não pode haver tantos!...

...Fiz de mim o que não soube
e o que podia fazer de mim não o fiz...

(Tabacaria, Fernando Pessoa/Álvaro de Campos, 1928)


Infelizmente minha semana não vai ser boa, meu cachorro terá de ser sacrificado. Tento me acostumar com idéia, pensar em algo que abonasse minha culpa, mas a dor na boca do meu estômago não diminui. Sinto-me um traidor a cada afago que lhe faço no pêlo e a cada "arte" que o vejo fazer fatalmente penso se aquela foi a última vez.

Enfim...

Abraços a todos!

(inté)

4 comentários:

edu disse...

Se é que serve de consolo, foque-se na idéia de que estará evitando que ele sofra.

Lukas disse...

Putz cara, eu sei que isso é foda. Já aconteceu váááárias vezes comigo, desde pequeno. Lembro-me do primeiro até hoje, como sofri. Mas a solução é menos dolorosa para ele. Nós aprendemos a lidar com a perda, ele não sabe lidar com a dor.

Ricardo disse...

Nada do que se disser aqui via diminuir essa dor...

Bom, não vou ficar aqui filosofando. Apenas seja forte.

Abração.

Cara Imperfeito disse...

Procurei o lugar para comentar no post acima e não achei...
Vc já havia me contado que, talvez, perderia seu cachorro. Uma pena, grande pena isso acontecer. Também tenho um e ele é parte da família, não tinha como não ser. Já deixamos de viajar por causa dele.
Latinha, é uma situação dolorosa, mas que vc tenha força, ok?

Abração!

Postar um comentário