Diário de Bordo...




Lembro de uma vez ter assistido um filme que o personagem ficava "preso" em um certo dia da vida dele e aquele dia ia se repetindo, repetindo... Às vezes tenho a sensação de que estou igual aquele filme, estou sempre indo ou voltando (já não sei mais), em um rotina meio maluca. Nessa brincadeira, apesar da imensidão da "Selva de Pedra", já começo a reconhecer "as pessoas de sempre" no metrô, aprendi o bailado das calçadas e por ai vai...

Mas eventualmente a gente quebra a rotina com algum fato novo ou alguma história nova... o fato dessa vez fica por conta de um almoço com uma grande amiga! Foi uma delícia, contei coisas minhas, ouvi coisas dela, é aquele tipo de (re)encontro que não importa o tempo que tenha passado desde a última vez, sempre vai parecer que foi "ontem". Por fim, enquanto vencíamos o trânsito nos arredores do Parque Villa-Lobos, fomos relembrando alguns causos da época em que dividíamos um apartamento naquela região... bons tempos!

O causo da semana fica por conta do mocinho que se sentou ao meu lado na viagem de volta, após tantas ida e vindas, eu meio que desenvolvi táticas para marcar meu assento, sempre procurando privilegiar uma situação em que eu viaje sozinho - sem ninguém ao lado (sou desses!). 

Desta vez, tudo caminhava bem com meu super plano até que no último minuto apareceu um "cidadão" para sentar ao meu lado... Era um molecote, magrelo, skatista, com direito a mochila, boné e o skate embaixo do braço... Tá, pelo menos não era um daqueles velhinhos que no meio da viagem em nunca sei se ainda está vivo ou não! E pelo menos era magrelo e eu não teria problemas de espaço! 

Mais eis que algum tempo depois acordo com um "peso" no meu ombro... Ainda meio sem entender muito bem o que acontecia, olho e vejo "o referido garoto" aninhado no meu ombro, no melhor estilo "encosta sua cabecinha no meu ombro e chora". Oi?! Confere produção?! Meio incrédulo pelo inusitado da situação, ainda tentei dar aquele "toque" básico, mas devo ser bem confortável, porque o mocinho parecia dormir o sono dos justos. Enfim, aproveitando um solavanco, resolvi por ordem a casa... 

De qualquer forma cheguei com o pescoço todo torto, dor nas costas e pensando que já que ia me colocar nessa cilada, Deus podia ter mandado, pelo menos, um gajo um pouco mais velho e bem apessoado!!! [ehehe] :P

Momento fofo da viagem ficou por conta da mocinha da cafeteria onde sempre tomo café quando chego na Firma, havia alguns dias que eu não passava por lá e quando cheguei "no meio da multidão", ela virou e disse: "Oi Moço! Tá sumido hein...", foi mais ou menos como aquela piadinha: "Ando tão carente que se eu estiver jogando futebol e o juiz falar: Você fez falta! Eu vou lá e abraço ele!!!" [ehehehe]

No meio tempo...

Alguns projetos do "juízo final" para entregar, um mês para salvar o mundo "das cáries", um caminhão de incertezas, mas no coração a certeza de que algum dia ainda encontro um motivo para ficar em algum lugar...  ;-)



"Para atravessar Agosto é preciso antes de mais nada paciência e fé.

Paciência para cruzar os dias sem se deixar esmagar por eles, mesmo que nada aconteça de mau; Fé para estar seguro, o tempo todo, que chegará Setembro..."

(CAIO FERNANDO ABREU)

11 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Nem tudo na vida pode ser perfeito ... mas sabe aquela história? ... enfim! é o que tem pra hoje ... kkkkkkkk

I love being fag disse...

Haha até foi um momento bastante fofo! :p

Já agora, o filme que falas não é com o Jim Carrey? :)

No Limite do Oceano disse...

As viagens que fazemos, sejam elas do que tipo forem podem sempre nos dar algo de diferente, nem que seja para as partilhar e olha que isso já tem muito de especial :-)

Dominus disse...

12:01 o filme?

Mark disse...

Gostei imenso da inclusão de gírias portuguesas no texto. Ficou DEZ!, como vocês falam. :)

Eu acho que não gostaria muito de viver esse filme na primeira pessoa. Imagina que eu ficava preso num dia muito ruim da minha vida e depois tinha de vivê-lo e revivê-lo indefinidamente? Melhor não. :D

O trecho sobre Agosto é lindo na sua simplicidade! Gostei muito!

um grande abraço, amigo Latinha.

Fabrício disse...

Acho cansativo viver na rotina, onde todos os dias parecerem iguais, mas acho que nos acostumamos com isso ou pelo menos a vida nos faz acostumar na marra, infelizmente. O complicado é nos acomodarmos na rotina, ai a vida passa e .....

o filme como disseram é 12:01, bem legal.
abraço.

Margot disse...

Assisti a esse filme..rs. Nunca vi ninguem falar dele...achava que "só eu" o conhecia.... (coisarrorosa!!). Do mocinho no ombro, não falo nada... já aconteceu comigo....e foi eu que me "inclinei"...kkkk. Situação constrangedora!

Beijos

Luiz Carlos Lucas disse...

Então, no caso do “encosto” (literal e metaforicamente, rs) temos que caprichar mais ao escolher a “mesa” mais adequada! De resto, como largamente já comentado, acho que pro ano que vem (e olha que sou otimista!) tudo vai melhorar!

Cara Comum disse...

Eu abusaria do moleque skatista... =P

MENTIRA!!!! Hahahahahahahahahahahaahahaha

Eu lembro desse filme tb. Acho que é 12:01 mesmo...

N a m o r a d o disse...

Ohhh dormiu no ombro, que giro (também digo na brincadeira "deita a sua cabecinha no meu ombro de chora ah ah ah)!

Três Egos disse...

Gente, mas vamos parar de miguelando ombros! É sempre bom viajar apoiado em ombros alheios! Rs... Brincadeira...

Aqui onde moro eu sempre sofro da frase "nossa, você estava sumido!", principalmente em restaurantes e bares, mas até nos postos de gasolina... Rs

Abraço!

Postar um comentário