I believe I can fly

Essencialmente eu sou uma pessoa movida pela paixão. Assim como um cartoon, ou um comediante, precisa da risada da platéia para sobreviver, eu preciso de uma paixão para poder seguir em frente, mesmo que seja platônica, não tem problema! A questão é que esses dias tenho sentido que não tenho nenhuma paixão, ando de um lado para outro, segurando um folha em branco e sem saber o que fazer.

Amar alguém que não me ama sempre teve lá as suas vantagens. Primeiro porque a culpa não era minha, meus medos e preconceitos nada tinham a ver com o insucesso daquele relacionamento, nem mesmo minhas inseguranças poderiam ser culpadas, afinal, a outra pessoa é que não me queria. Além disso o papel de sofredor é muito mais "cativante", há lágrimas, há dor, e em geral dramalhão mexicano sempre teve seu público fiel.

Momento flashback
Minha primeira paixão "platônica" aconteceu ainda na escola, 8a. série, eu acabara de chegar ao colégio e lá a encontrei, a japinha que vai estar comigo provavelmente para o resto da minha vida. Estudavámos juntos, vivíamos juntos, uma grande amizade nasceu e cresceu. Apesar de nunca termos trocado um beijo, sempre estivemos juntos e entendo que sim, de certa maneira namoramos, ainda que de uma maneira esquisita mas acho que namoramos.

Acho que se realmente tivéssemos namorado naquela época, hoje eu seria um jovem senhor, casado e com uma ninhada de nipo-gordinhos correndo pela casa, hauhauhuahuaa. E não teria sido para me esconder, ou fingir algo que não sou, eu realmente amei aquela Japa. Ela seguiu seu caminho, eu segui o meu, em muitos momentos nossos caminhos se cruzaram e ainda se cruzam, nenhum de nós está casado hoje e a amizade ainda existe tal qual na época do colégio. Costumo brincar que "só vou esperá-la por mais cinco anos", depois disso "vou embora".

Por que as coisas nunca aconteceram entre nós?!
Não sei, ao entender que também gostava de homens, acabei me fechando para qualquer relacionamento, na tentativa de não magoar ou ser desleal. Por sua vez, a vida profissional dela não teve um começo muito fácil e demorou até que ela conseguisse ter um emprego legal e se estabilizar, o que para ela era um impedimento para qualquer envolvimento. Além disso, sempre houve a dúvida se namorar não iria acabar com a amizade que nós possuímos, mas, essencialmente foi uma questão de timing, o que aliás as vezes pode ser considerado uma coisa meio recorrente na minha vida.

Bom, hoje, estou em uma situação no mínimo engraçada, "quem eu quero, não me quer. E quem me quer eu não quero". Bom, na verdade é bem mais quem eu quero não me quer, a segunda parte está meio parada, hauhauhuaa.

De fato, só me resta esperar por uma paixão "real", na verdade, preciso estar atento para quando ela estiver por perto e me encontrar. Acredito que eu poderia facilitar um pouco as coisas, mas essas são dúvidas que vão ficar para um outro post. ;-)

Votos para que a semana de vocês seja muito boa, que todos acreditem que podem voar, possam tocar o céu, enfim, tenham condições de dar muitos passos na direção de tudo o que desejam...



(Inté)

12 comentários:

FOXX disse...

eu sei como é tudo isso!!!

Lukas disse...

Paixão cara, é melhor e pior que amor. Amor, é a melhor e pior coisa da vida. Mas em ambas, sabemos que estamos vivos e que nos importamos e somos importantes. Abração!

Trintinha disse...

Amigooooooooooooo! blz? Gatinho, concordo contigo, quando diz qeu paixão é o motor da vida... Mas, eu penso que, paixão não se restringe a ser platonica, nem a ser voltada a um alguém só... a maior paixão e se apaixonar pela vida, por vc mesmo! Tente! Beijos!

Luiz Pep disse...

Desculpe-me Lata mas demorei muito pra deixar um coment!
Bem, já li seu 7 belo, achei a sua caligrafia muito bonita, ri quando vc falou que seu cabelo parecia de um soldado da guarda britânica, o final de Six Feet Under realmente é algo emocionante, é uma série muito boa, assisti toda e quando terminou eu chorei, assisti o final novamente e chorei mais, puxa que saudade de David Ficher! Uma coisa que lembro na série, uma menina chata que era afim de David ela menciona que nós brasileiros somos como vira-latas, pois somos mestiços em nossa maioria, o mais emocionante foi quando o Nate enterra a esposa... Também tenho horror a dentista, uma vez li em uma revista que o Brasil é um dos países que mais inflige dor aos pacientes, cara pode ver, os dentistas geralmente relutam em aplicar anestesia para coisa que dizem ser rápida, fico muito puto... Eu não mudaria nada em minha vida sexual, talvez deixaria de transar com alguém e teria aceito transa com outro, mas eu mudaria a minha opção se pudesse, pois ser hetero é muito mais fácil. Sem muito o que falar sobre o acidente, mas me senti mal durante o dia acidente, eu sabia que algo ruim ia acontecer, meus amigos do trabalho no outro dia falaram: “Nossa, bem que vc disse ontem!” Tenho prometido pelos coments por aí falar desse meu lado Mãe Diná, quem sabe falo... Deixa eu fazer uma pergunta, pode ser boba. Vc é Bi? Então que dizer que é assim? Quem vc quer, não te quer e mais ninguém te quer... Hehehe! Forças nas juntas e poli essa lataria! Beijos.

edu disse...

Se é por falta de adeus, vem ni mim que eu tô facinho!! Digo... pode me amar e idolatrar pra eu elegantemente dizer "puxa... mas eu gosto de você como amigo! sou casado..." :-)

Beijo!
(beijo de amor platônico dói até no cu!)

Ricardo disse...

Eu também gosto de ter paixões em minha vida, mas vivo muito bem a tranquilidade! Atualmente tenho os dois, paixão e tranquilidade na mesma pessoa!:D

Eu só acho que paixões demais são complicadas e trazem o sofrimento junto!

Vcs viviam um namoro branco! Ou seja, sem envolvimento erótico/sexual!

E sim, namorar ou casa abala a amizade de forma ímpar! vivi isso! Graças a Deus consegui reaver a minha amizade! Mas foi complicado!

E não desista e não se sabote! Mesmo gostando de homens, se pintar uma mulher, vá com tudo, contato que tenha sentimento! Seja honesto com ela e deixe por sua conta!

Beijão, querido, excelente semana pra vc! E que venham os sofrimentos, ops, digo, paixões!
AHauauahuahauahuahau!

BlueBob disse...

Excelente semana pra vc tb! Com muita paixão! Paixão pela vida, por vc, como disse o filósofo loiro Trinta ai pra cima.

"If I can see it, then I can do it
If I just believe it, there's nothing to it"

Bjs

| ¬¬ disse...

Querido..

"São tempos difíceis para os Sonhadores"

Me Entende?

beijo

SunShine ¬¬

Eduardo disse...

Olá Tin Man!
Epa!!! quem disse que meu blog foi desativado???? Eu só dei um tempo... ehehe eita, essas pessoas que num lêem direito... zuera auihaiaia [ai como sou chato!]

Mas se quiser nem precisa mudar o lik de lugar, pq do jeito como eu sou, é capaz de eu explodir o blog daki a poko...

Paixão platonica.. hum... nunca tive, que eu saiba...
Enfim

abraços!

Poison disse...

Clap, clap, clap!!!!

Finalmente alguém que pensa como eu!!! Sou movido a paixão tb. Com certeza. E não tenho nem motor Flex... só o amor me impulsiona!!!

E cá entre nós, para alguém com tantos predicados, não pode estar tão complicado assim. Se estiver, vou ficar preocupado, afinal se vc é o poço das virtudes... eu sou o mar dos defeitos... hahahaha!!!!

Agora me perdoa, mas não posso deixar passar, tá?!? Sobre a tal japinha... vc não andou mostrando Talco Avon pra ela, né?

HAHAHAHAHAHAHAHA!!!!

aBRAÇOS!!!!

Oz disse...

Olá Latinha! Tenho andado meio sumido, mas, como te disse, é o trabalho antes das férias!
Ao longo da nossa vida vamo-nos deparando com várias possibilidades e com várias pessoas que, de uma forma ou de outra, naquele momento nos acrescentam algo. O mais difícil mesmo, parece-me, é achar e manter uma pessoa ao nosso lado que seja capaz de atravessar connosco as diversas etapas, os diferentes estados de alma e até mesmo a mudança de vontades.
"Quem eu quero, não me quer. Quem me quer, eu não quero" também já foi a minha máxima, mas, sabes que mais?, não deixa de ser uma desculpa de que nos socorremos para não corrermos riscos e para não baixarmos as nossas defesas. E como dizemos por aqui: "Quem não arrisca, não petisca". hehehehehe

Abração.

PH disse...

Adorei a parte que voce diz que os ramanticos mexicanos sempre tiveram o seu publico fiel, haha. Abraco

Postar um comentário