[des] Encontros

Eu o conheço já tem um tempo, apesar de não considerá-lo um "amigo", ele é uma companhia agradável, já saímos para jantar uma outra vez inclusive, mas aquele era um conhecimento sem primeira, segunda ou terceira intenção. Mas, desde então, vira e mexe recebo uma mensagem dele e assim acabamos trocando uma outra palavra. Tenho que reconhecer que minhas viagens não ajudam muito, mas ele sempre procurou manter contato, isso é verdade... 

Enfim, aquele sábado amanheceu chuvoso e até fresquinho, mesmo assim cheguei relativamente cedo "na Firma" (sou desses!) e em algum momento notei uma inocente mensagem de "Bom dia", no meu celular... Pensei em não responder, mas enfim, típica conversa de elevador se desenrolou, em algum ponto comentou que "ainda estava na cama sem coragem para sair"...  

Não foi algo exatamente planejado, mas não posso dizer que não sabia o que está fazendo e mentalmente eu já tinha feito "as contas", então, por algum motivo, resolvi "dar linha na pipa"... Irei poupá-los dos detalhes mais sórdidos e digamos que feito o convite para tomar uma xícara de café, ele prontamente aceitou.

Em comum, temos o fato dele também ser um forasteiro naquele lugar, formado em Direito está ali em busca de um sonho, ser médico! Branquinho, olhos cor de mel, barba por fazer, apesar de não ser exatamente alguém por quem eu viraria a cabeça na rua, não posso negar que ele tem seu charme e a verdade é que ele sabe (e pelo jeito se preocupa) em valorizar o que acreditar ter de bom. Da minha parte..., bom, definitivamente aquele não era meu melhor momento, tendo saído cedo naquele sábado chuvoso, peguei o primeiro jeans que achei pela frente e sinceramente não me preocupei muito em olhar a camiseta polo escolhida para usar, na ordem do dia o conforto era o item primeiro e, com certeza, não constava algum tipo de "encontro".

Mas estávamos lá... 

A verdade é que enquanto nossos lábios se aproximavam lentamente, ainda pensei naquele famoso porque sim, porque não, alguns segundos antes, enquanto nossos olhos se cruzavam em silêncio, entendi que não estávamos nos vendo de fato, ainda que nada tenha sido dito, ou perguntado, entendi que aquele era provavelmente o encontro de carências e cada um, ao seu modo, viu o que precisava ver naquele momento.

-- x --

Acho que nunca havia escrito "assim", em primeira pessoa, aqui no bloguinho... nem doeu! kkk

Engraçado, não consegui pensar em uma música ou em algum versinho "batatinha quando nasce" para acompanhar o post, que no fundo, ficou como a cama desarrumada, testemunha "de um fato" que não poderá contar a ninguém... 

A ideia era retribuir as visitas e como andam os amigos, mas é hora de partir, daqui a pouco estou embarcando novamente e assim começa tudo de novo.... Na volta, sem falta passo para ver as notícias! :)

Espero que todos estejam bem. 


10 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Que bom que vc se libertou das correntes da inibição e se expôs mais por aqui. Muito legal e mais que natural q as coisas sejam assim. Carências ou não fluiu algo e, a eterna desculpa da vida atribulada, deve ser varrida da história. Não q algo tenha q ser mas pq tb não pode ser?

Mark disse...

Um colega meu (jurista) muito safadinho, heheheh. : )

Que bom que você está feliz, amigo Latinha, e fico torcendo para que tudo corra às mil maravilhas entre vocês. E quem sabe não é só carência, mas o início de uma bonita história...

abração!

Eduardo de Souza Caxa disse...

Faço minhas as palavras acima!

Marco disse...

Maior que a curiosidade pelos fatos não narrados é a felicidade de notar sua alegria com eles. Que bacana! Saudades. Grande abraço!

Homem, Homossexual e Pai disse...

Sabe TinMan, de repente um cara "que nem te viraria a cabeça na rua" pode virar outras coisas! Pelo jeito ele acreditou e investiu no contato... e deu certo! Talvez o fato de vc ter contato uma historia pessoal no blog faça parte da virada!
Desejo o mesmo que os amigos Marco, Eduardo, Mark e Bratz! estou na torcido por noticias legais!

No Limite do Oceano disse...

É bom ler posts desses, genuínos e que mostram um outro tipo de abertura do blogger que escreve...e na verdade a música não foi precisa e cama desarrumada?! Onde?! :-p

J. M. disse...

Olha, as grandes histórias nascem assim. Mas não se cobre neste sentido. Viva o que tiver que viver. Aproveite o momento com ele e deixe o tempo, as indas e vindas se encarregarem do resto. Feliz por você!

J. M. disse...

Olha, as grandes histórias nascem assim. Mas não se cobre neste sentido. Viva o que tiver que viver. Aproveite o momento com ele e deixe o tempo, as indas e vindas se encarregarem do resto. Feliz por você!

Luiz Carlos Lucas disse...

kkkkkk

https://www.youtube.com/watch?v=ZrHP5z8ADMg

Três Egos disse...

Gostei dessa primeira pessoa que entrou em contato com a gente! Rs...
Pode ser que ainda renda outras histórias, não! Rs

Abraço!

Postar um comentário