Doors on automatic

(CECILIA MEIRELES)


Pois é, tempo de voltar, ou ir, ou continuar, nunca sei direito! [ehehe]

Fiquei pensando em várias formas de contar "por onde andei", "o que andei fazendo", "o que não andei fazendo", mas acho que vou precisar de mais de uma postagem para isso, não que tenha assim tanta coisa para contar, mas acho que há coisas para pensar um pouco. Por enquanto, acho que resumindo uma longa história, sabe aquele soldado que volta para casa, meio capenga, cabeça enfaixada, uma perna ou braço quebrado, algumas vezes de muleta?! Pois é, esse cara sou eu! 

Chegado da guerra, é verdade, mas de certa forma muito feliz! Apesar de... tive algumas vitórias importantes, pessoalmente significativas e que vão me levar a novas oportunidades, é bem verdade que com isso também surgem novas dúvidas e incertezas. Mas, creio que é tempo de parar de "brigar" com o destino e aceitar [que doí menos] algumas coisas que novamente estão a cruzar pelo meu caminho, ainda que eu não saiba ao certo para onde elas vão me levar (nesse caso literalmente!).

Como toda guerra, algumas baixas também foram sentidas, casualidades - acho que é esse o termo. Não dá para negar que isso me causa algumas inquietações e questionamentos, mas também, sempre foram momentos que me ajudaram e muito a crescer, no fim tudo é aprendizado! 

No meio tempo, é hora de rever planos, atualizar cronogramas, pensar em mudançaS [de novo!] e vamos que vamos! ;-)

Bora tirar a poeira da casa e passar para ver a vizinhança! 

Espero que todos estejam bem...



7 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Todos os desafios nos proporcionam ganhos e perdas ... os ganhos são ótimos e as perdas pelo menos servem de aprendizado. Este duo é inseparável. Não há como só termos ganhos ou só perdas na vida. O que importa é sempre estar disposto e continuar a lutar, a busca, a viver, em todos os parâmetros da vida.

N a m o r a d o disse...

Latinha mas por vezes custa aceitar o destino. Pensamos efectivamente que "parar de "brigar" com o destino e aceitar [que doí menos]" mas quando a coisa se repete vezes sem fim, começamos a viver revoltados com tudo e com todos. E a fronteira é muito ténue. Abração

| D! disse...

Vivendo e aprendendo... Literal e ocasionalmente!

É nessas fases que percebemos a mudança, que balanços são feitos.. Prós e contras... Feliz por você e por mim! Que estou nesse momento também!

Bjo Latinha! E vamos que vamos!

No Limite do Oceano disse...

Acho que quem não está bem acaba por o demonstrar.

O pouco que se possa ter para contar já é muito, é tudo uma questão de perspectiva, pois há quem tenha tanto e acaba por não ter nada, uma espécie de fruta sem sumo, por mais espremida que seja não há nada...

Mark disse...

Já tinha pensado: "Por onde andará o Latinha?"

Meu amigo, eu descobri, espero que a tempo, que o melhor é ir à luta. Desistir não nos leva a lugar algum. Bom, claro que continuo a queixar-me disto e daquilo. Lamento muito todas as adversidades com as quais me deparo, mas tento - tento! - não baixar os braços. :)

Três Egos disse...

Olá querido! Que tanta correria e mudanças, você não para quieto mesmo! Rs. Mudanças são sempre inusitadas e levam a uma certa apreensão, mas tenho certeza que vai ser muito bom para você!

Grande abraço!

Fabrício disse...

Aqui está tudo bem e tb espero que vc esteja bem e que venha dando tudo certo nos seus projetos e viagens.
Nossa como fazia tempo que eu não lia Cecilia Meireles, é bom demais.
Eu preciso voltar a ser mais ativo por la no blog, ja está criando poeira. Um bom feriadão e um grde abraço Latinha.

Postar um comentário