Os Anos...

Já que a inspiração não anda das melhores, eu resgatar uma postagem que estava condenada ao limbo e que hoje eu encontrei novamente no meus arquivos... apesar da condenação, ela é recente... eu escrevi alguns meses atrás... mas precisamente na véspera do meu aniversário. Lá vai... senta que lá vem história...

-----
Amanhã, é meu aniversário...


Lembro do primeiro aniversário que passei longe de casa, por ironia do destino foi em uma viagem para São Paulo, acordei de manhãzinha, “anônimo” em um ônibus, quase chegando na capital paulista. Mal humorado, provei do gosto da invisibilidade naquele dia... afinal, ninguém conhecia ou se importava, mais que isso, pela primeira vez em longos anos uma tradição de família se quebrava.

Na minha casa, no dia dos aniversários, todos acordamos cedinho, supostamente mais cedo que o aniversariante e, ainda com os olhos meio fechados, corremos para pegar os presentes para então acordar o “dono do dia”... Minha mãe geralmente lidera “o grupo”,  cantando baixando o Parabéns para você, e assim, o felizardo ainda na cama ganha abraços, beijos e presentes!!!. Obviamente o aniversariante, que já estava acordado, sempre acorda surpreso com tal “surpresa”, mas foi assim que vi passar meus aniversários. 

Mas um dia a gente cresce, né?!

Amanhã não vou acordar em casa, pela primeira vez, acordarei na minha casa! 
Que não é bem minha ainda, é só um ensaio, uma primeira experiência... assim, é provável que ao invés dos abraços, eu ouça o famoso parabéns pelo telefone, que já está estrategicamente colocado do lado da cama.

E lá se vão alguns anos... dos planos originais, algumas coisas deram certo, outras eu tive que adaptar, mas creio que poucas deram errado...  Gosto de pensar que soube aproveitar os anos, tudo bem que com a minha idade, Cristo já tinha sido crucificado – mas minhas pretensões sempre foram bem mais modestas.

De qualquer forma, pessoas se casaram, se separam, nos deixaram, meu próprio pai já tinha uma família com a minha idade, e eu já era um simpático garotinho de cabelos negros e fartos...

Ainda que os  cabelos continuem negros e fartos, já tem algum tempo que eu deixei  de ser um garotinho... Os anos vieram e com eles, chegaram novas lentes, que foram me mostrando detalhes que antes passavam desapercebidos... Foi assim que meus pais deixaram de se parecer com aqueles super-heróis invencíveis e, de repente, a cada dia vejo-os com cabelos mais brancos e com passos mais lentos... Também vi algumas pessoas  queridas, aos poucos irem se perdendo nas lembranças, já tive de dar aquele terrível "até breve" para algumas pessoas e de repente, surge a consciência de que tudo um dia finda.

Mais que tudo amanhã é um dia de agradecer... por anos tão bons, por tudo o que eu já tive chance de viver e até o que não vivi, porque sei que poderei ainda tentar vive-los... 

[Interrompido...]

----

Pois é, só para registro... foi um dia muito bom!!!
E confesso que tem horas que me pego pensando nessa questão do envelhecer, não tenho medo do envelhecer, mas as vezes me pego pensado em como isso vai se dar... sei lá! kkk

Enfim.. a vida segue... e lá vou eu trabalhando, trabalhado... 
Como fazia um tempo que eu não postava, esse foi um post para tirar a cisma!

Espero que todos estejam bem..  Abração!

Passem-se dias, horas, meses, anos
Amadureçam as ilusões da vida
Prossiga ela sempre dividida
Entre compensações e desenganos.
Faça-se a carne mais envilecida
Diminuam os bens, cresçam os danos
Vença o ideal de andar caminhos planos
Melhor que levar tudo de vencida.
Queira-se antes ventura que aventura
À medida que a têmpora embranquece
E fica tenra a fibra que era dura.
E eu te direi: amiga minha, esquece...
Que grande é este amor meu de criatura
Que vê envelhecer e não envelhece.
(SONETO DE ANIVERSÁRIO, Vinicius de Moraes, 1942)

10 comentários:

FOXX disse...

assim... amanha é seu aniversário mesmo?

Carlos Roberto disse...

Gente,adorei a comemoração do aniversário em família! Dos 15anos em diante meus pais só olham na minha cara e falam "parabéns" hahahahaha

Super gostoso de ler esse relato. Para de pensar no envelhecer, eueim, tão novinho!!!!! Vamos aproveitar (to nessa vibe agora)

Latinha disse...

Não Foquito... já foi.. kkk
O "Amanhã" ai é porque eu peguei o texto do jeito que tinha largado lá...

Abração!

Edu ardo disse...

Acho que fui meio muso inspirado desse resgate de post, rsrs.

Lucas disse...

Essa coisa de pensar em envelhecer... acho um desperdício de tempo! Eu nunca pensei em envelhecer, apenas envelheci. E enquanto eu não pensava nisso eu tratei de viver o mais intensamente possível o que me vinha pela frente. E se não haviam amores, ou mesmo tinham desaparecido, eu cuidava de procurar, vasculhar o mundo e não sossegava enquanto, ao menos, não encontrasse uma paixão. Envelhecer acaba com toda essa procura... pense nisso!

Beijos.

Pedro disse...

Muito bom. Adorei.
Quem usa as palavras com gosto - deixa transparecer a beleza das coisas.
Abração

Margot disse...

Eu nunca pensei em envelhecer, apenas envelheci. (2)..rrs

Bonito o texto, e comovente como sua família comemorava os aniversários. Deve ser uma linda lembrança na memória.

Beijos L.

Wagner Noya disse...

acho que o dia do meu niver é sempre o pior dia do ano kkk começo a pensar besteira igual a você em envelhecer etc.. rsrs por isso que a anos esqueço do meu aniversario kkk
adorei o blog, já to seguindo..
http://estilo4u.blogspot.com/

Cesinha disse...

Você nem queira saber o quanto eu entendo essa sua ligação afetiva com seus pais! Eu tenho a mesma com os meus. É tão bom isso, né? Acho que é a única coisa certa que temos... esse amor dos pais.

Beijos

railer disse...

fantástica essa sua análise, latinha! gostei mesmo! eu também já passei aniversários assim, anônimo. um deles foi na época do vestibular. estava morando em bh e todos que moravam comigo viajaram. daí fui alugar um filme e o computador da locadora apitou avisando que era meu aniversário! rs ganhei um outro filme de graça! rs

quanto a envelhecer, faz parte. só acho chato o tal do povo chamar a gente de 'senhor'... leia aqui.

abraços!

Postar um comentário