One way

Essa semana me deparei com uma situação que me levou a resgatar uns pensamentos que vez por outra me visitam... eu, particularmente, como cantaria Ana Carolina, "gosto de Homens e de Mulheres, e você o que prefere?"!

De fato, é justo dizer que hoje em dia eu ser um tiozinho casado, com uma bela esposa, casa, cachorro e filhos nipo-gordinhos correndo pela casa - e não, não teria feito isso por pressão, medo ou ainda para disfarçar qualquer suspeita sobre uma possível homossexualidade. Eu realmente gostei de uma mulher, nos conhecemos ainda na escola e até hoje ainda nos falamos e reencontramos... a vida se encarregou que nossas vidas se cruzassem ao longo de todos esses anos...

Por que eu não casei? Bad timing, acho que seria a melhor resposta... quando eu queria, ela não quis [medo de estragar uma bela amizade]. Quando eu tentei de novo, ela não podia. Quando ambos podíamos, uma mudança de cidade se encarregou de nos afastar.  Quando ela quis, eu estava envolvido com questões profissionais. Quando nos reencontramos anos mais tarde, dai eu acreditava que já não podia mais.... nessa época, era um tempo de novas descobertas...

Julguei não ser justo me envolver com ela, sabendo que podia sentir algo mais por outra pessoa... e dito isso, não estou apontando o dedo para acusar ninguém, estou apenas tentando me acertar comigo mesmo. Minha mãe sempre disse: "Não faça aos outros o que você não quer que façam com você"... e não queria carregar essa culpa comigo...

Mas vamos aos fatos... long story short...

Você tem um conhecido, apesar de não ser declaro, você e mais uma galera sabem que esse conhecido é gay e, até bem pouco tempo tinha um namorado. Ele se mudou para uma cidade do interior em função do trabalho, e, de súbito, todos começam a vê-lo a cantar pelos quatro cantos as maravilhas do amor. Todos se preocuparam, pelas razões óbvias, cidade do interior [bem interior] +  gay, geralmente não são palavras que aparecem nas notícias mais felizes nos jornais dessas localidades... e para surpresa geral da nação, o objeto do afeto do mocinho, é uma menina. Muito bela por sinal... mas, e agora José?!

Então... sendo bem sincero, para mim, aquilo é como uma vaca em cima da árvore, ninguém sabe como foi acontecer, mas todo mundo sabe que vai cair...  Mas não estou negando as possibilidades, aceito que isso pode acontecer... porque não ate comigo, vai saber...

Mas, vendo o burburinho e especulações causados por tal fato, não pude deixar de pensar que ao se assumir gay, há um caminho sem volta... "faz sentido" que alguém já tenha tido uma mulher e se relacione com um homem hoje... mas ainda causa estranheza alguém que tenha se relacionado com um homem, ter um relacionamento com uma mulher...

Confesso que eu mesmo não sei ao certo o que pensar... o que dizer...  Mesmo acreditando que no final, o que importa é amar e ser amado, acredito que essa é uma pergunta um tanto quanto "amarrada"...

"Quando o amor o chamar. 
Se guie.

Embora seus caminhos sejam agrestes e escarpados
E quando ele vos envolver com suas asas. 
Cedei-lhe.

Embora a espada oculta na sua plumagem possa feri-vos
E quando ele vos falar. 
Acreditai nele.

Embora a sua voz possa despedaçar vossos sonhos como o vento devasta o jardim
Pois da mesma forma que o amor vos coroa, assim ele vos crucifica
E da mesma forma que contribui para o vosso crescimento
Trabalha para vossa poda

E da mesma forma que alcança vossa altura e 
acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol
Assim também desce até vossas raízes e a sacode no seu apego à terra
..."

16 comentários:

FOXX disse...

pois é, assumir-se gay é um caminho sem volta mesmo, que tb te limita e te impede de um zilhão de outras possibilidades. e é isso que significa ser gay que difere essa experiencia histórica de todas as outras formas de relacionamento homoerótico na história da humanidade.

Anônimo disse...

Eu tenho um primo que saiu do armário e parece que até foi expulso por um tempo de casa. Agora parece que tá ficando com uma menina. Minha mãe sabe de mim, um dia nós estavamos conversando, aí ela conta dos amigos de uma prima minha que são gays e que foi dificil a aceitação deles mesmos, que um namorou várias meninas, mas viu que não iria pra frente e falou sobre o primo em questão: agora eu não estou entendendo o ..., parece que está namorando uma menina. Aí eu respondi: bom mãe talvez ele curta os dois, eu posso falar de mim, não dos outros, e ele tem o direito de gostar de quem quiser. O que não gosto é que muitos parecem voltar ao modo homofóbico operandi, o que detectei neste meu primo.

Anônimo disse...

Continuando:
Gostaria de saber quais zilhões de outras possibilidades o FOXX fala. Também acho que quem sente alguma forma de atração pelos dois sexo devem sair do armário como bissexuais, para evitar estas confusões de rótulos, por ser o que mais encaixa a eles.

Lucas disse...

Acredito que a sexualidade não se resume a essa rígida dicotomia: hetero e homo. Há matizes, sem dúvida, variações na escala, com bemóis, sustenidos... Creio, porem que esse “ideal” da família (mulher, filhos, cachorro) está de tal forma arraigado em nossa mente (como uma unidade cultural absurdamente enraizada) que muitas vezes interfere em nossos próprios julgamentos acerca de onde nos encontramos nessa escala.

Sendo sincero: se você está aqui, se nos contou todas as suas histórias, com todas as suas emoções, não consigo enxergá-lo assim tão flexível em relação à tal escala. Você se posicionou, penso eu. O resto é um pouco nostalgia do que poderia ter sido e não foi.

Você sabe da minha própria experiência de vida. Fui casado, casado mesmo, com uma mulher (maravilhosa, diga-se de passagem) e, apesar disso tudo, meus melhores momentos, as experiências que ainda tiram meu fôlego foram com homens e, particularmente, com aqueles que amei.

Não sei se consegui ser claro. Seu texto é infinitamente melhor que meu comentário.

Abração.

Speedy the Turtle disse...

Tens o direito de gostar de quem quiseres. Seja homem ou mulher.
Eu já amei homens e mulheres. Mas verdade seja dita, o mais forte até hoje foi mesmo com um homem que me preenche de todas as maneiras. Ele é precisamente o meu namorado actual :)

Abraço Latinha

Cara Comum disse...

Olha eu me vi muito nesse texto aí! eu namorei uma mulher depois de ter namorado um homem... e receber olhares que te recriminam de todos os lados é tenso, sabe?

Enfim... Esse é mais um daqueles papos que se deve ter numa mesa da vida real com bastante tempo...

Abraços!!

Latinha disse...

@Foquito: Será que impede mesmo? Ou seria apenas o nosso próprio preconceito a não querer dar o braço a torcer...

@Anônimo: Em primeiro lugar volte sempre! Pois é... tem muitos que por medo ou pressão, acabam por namorar meninas (um menino que eu gostei fez isso...) Enfim, cada um faz o melhor que pode! Mas assim que o sentimento seja sincero, ainda assim eu acho complicado... enfim, pensar eu irei...

@Lucas: Entendi sim e concordo contigo... depois mando um e-mail com calma.

@Speedy: Parece meio piégas, mas sempre digo que me apaixonei por pessoas... hoje, ao procurar, procuro entre outros homens, mas confesso que tem horas que me enrolo todo...

@Cara: Isso rendia hein... e com certeza adoraria estar nessa mesa...

Prisioneiro 0001 disse...

É complicado quando a própria vida separa, né?
E sabe o q lembrei? Do Foucault q diz q quando um cara cara se declara gay ele tá marcado, como se nada mais existisse. Primeiro vem a 'classificação homo' q ele é encaixado.

O bom filho, profissional, cidadão... é tudo deixado de lado por conta da sexualidade.
E aí vem meus questionamentos: será q avançamos o tanto q cremos ter avançado?

Acho q o q importa msmo é amar.
Amar, amar e amar.

Anônimo disse...

É exatamente assim, quando um homem namora uma mulher e passa a namorar um homem dizem que ele estava se enganando quanto a mulher,o que em muitos casos pode ser verdade, mas e os outros casos?

Quando o oposto acontece dizem novamente que ele está se enganando...

Acredito que possa dar certo mesmo ele sentindo atração por outros homens, desde que ele sinta atração por ela.Caso contrário acho que está fadado ao fracasso.

Existe também a questão da cobrança social, principalmente em cima dela, que vai ser difícil de superar.

Eu nunca fiquei com mulheres, mas se tivesse ficado e amado uma e alguém viesse e me dissesse que o que eu vivi foi uma mentira, ficaria puto.Quem é que pode me dizer que o que eu senti não era verdade?

E consideraria uma ofensa à mulher com que tivesse ficado.

My Boo Side disse...

Concordo... Não é estar no armário; Não é falta de coragem para se assumir, porém, quando você não é assumido você tem zilhões de opções.

É bem melhor, é mais prático.

Anyway love hurts.

Ro Fers disse...

Como dizem, "Quem já foi rainha, nunca perdi d majestade".
Forte abraço!

M. disse...

Eu acredito que não somos simplesmente dividos em caixinhas "gay" e "hetero" e nem em relação a sexualidade nem ao comportamento. Acho que seria uma forma muito simplória de ver as coisas.

Pra mim sexualidade nao é preto no branco. É cinza... bem cinza...

Carlos Roberto disse...

Meu querido Latinha,
Eu, sou o responsável pelo blog DE CARA NO ARMÁRIO, e apesar de não ser novo como blogueiro, nunca tinha participado desse sistema de SELOS; e foi com a imensa honra, diga-se de passagem, que conquistei logo dois de um leitor meu. Como há regras para a aquisição destes, tenho de repassá-los para um número X de blogues com os quais acredito serem merecedores.
Como não possuo seu e-mail você terá de pegar os dois selos no meu blog, eles se encontram na barra lateral a direita.

REGRAS:
SELO 1: Você deve dizer de quem ganhou o selo, em seguida responder as perguntas que se encontram logo abaixo, e por ultimo repassá-lo à 15 blogs que você acredita merecerem.

PERGUNTAS:
Nome:
Uma música:
10 coisas sobre mim:
Humor:
Uma frase dita por mim:
O que achou do selo:

SELO 2: Para esse basta que você indique 10 blogs.

Gay Incomum disse...

Oi, Latinha, estou de volta por aqui depois de alguns meses de reclusão. = ]
Enfim, gostei muito do questionamento que vc sugeriu na sua postagem.
É compreensível e aceitável que um gay já tenha se envolvido com mulheres no início de sua sexualidade, estava se descobrindo, se aceitando tudo bem.
Mas e quando ele se envolve depois de já ter se aceitado?
Eu só penso por dois caminhos.
Ou ele é muito aberto e está apenas curtindo, sem compromisso.
Ou ele é bi. Precisa de ambos os sexos, não necessariamente no mesmo momento, para se sentir satisfeito por completo.
A sexualidade humana tem tantos segredos.
Me sinto privilegiado por poder conhecer o pouco que me cabe na condição de gay.

Abração, Latinha!!

Cesinha disse...

Oi, meu querido! Passei aqui pra te agradecer, do fundo de meu coração, pelas suas palavras de carinho comigo. Talvez você tenha que mudar o nome do seu blog (kkkkk) pois você tem um coração do tamanho do universo, viu!

Beijão.

SG disse...

Sabe, eu desisti de tentar entender a sexualidade das pessoas.

Eu mesmo entender a minha já é algo complicado...

...mas sei que gosto 100% de homem.

Postar um comentário