Pensando alto... (de novo!)

Ilusão ou Desilusão?! Não sei, cabe a nós escolher o que queremos enxergar. Tal qual quando era criança e ficava tentando adivinhar as figuras que as nuvens formavam, muitas vezes eu ainda recorro no erro de ver coisas onde elas não existem - e assim acabando dando as pessoas mais poderes, ou qualidades, do que elas realmente possuem. Pois é, inocência, boa-fé, ou estupidez mesmo, faça sua escolha!

De certa forma tudo corria bem na "na estrada de tijolos amarelos", bem ou mal eu acaba me entendo dentro do meu mundo de detalhes. O duro foi quando as coisas não mais dependiam de mim, e outras pessoas apareceram... novas regras [muitas das quais até hoje não entendo perfeitamente], sinais que não compreendo, palavras que não são ditas, intenções não declaradas, descompasso.

Nessa brincadeira, muitas vezes prefiros acreditar na ilusão, o que não há mal nenhum... complicado mesmo é no dia em que a verdade bate a porta, e o confronto é inevitável... Desilusão? Decepção? Aceitar a realidade? Não sei... o vazio na boca do estomâgo ainda não me permite entender claramente o que aconteceu, ou onde foi que eu errei "a mão"... de qualquer forma isso deve ser parte desse novo jogo...

Bem... se você que le esse blogue não entendeu nada, não se preocupe... nem eu entendo, estou na verdade "pensando alto" sobre como algumas vezes a verdade chega até você, mesmo quando você finge não tê-la percebido antes. ;-)

Já que a coisa toda está esquisita mesmo, aqui vai um post que escrevi um tempo atrás e que ficou na gaveta, deixarei-o da mesma forma que o escrevi naquele dia...

Alguém ai está a fim de tomar um café mais tarde? To pagando!!! ;-)

(Abraços a todos, Inté)

...
Não dá pra ocultar
Algo preso quer sair do meu olhar
Atravessar montanhas e te alcançar
Tocar o seu olhar
Te fazer me enxergar e se enxergar em mim
Aqui
Agora que você parece não ligar
Que já não pensa e já não quer pensar
Dizendo que não sente nada
Estou lembrando menos de você
Falta pouco pra me convencer
Que sou a pessoa errada
(Aqui, ANA CAROLINA)


[Me permitam um momento "dor de corno".]
Hoje enquanto ia para o trabalho, a minha frente havia um belo, largo e colorido arco-iris - formado em função da chuva que havia caído mais cedo. Não sei para vocês, mas arco-iris sempre me lembra o pote de ouro que estaria lá, ou seja, a minha espera ao fim da avenida, logo alí!!! ;-)

Enquanto me dirigia ao tão esperado "pote de ouro" me ocorreu em um daqueles [raros] momentos de lucidez que tenho vez por outra, e ao ínvez de ganhar o pote de ouro acabei tendo que aceitar algumas coisas que a tempos fazia questão de fazer vista grossa - talvez esse seja mesmo o meu "ouro" nesse momento, a liberdade.

Vez por outra eu tenho esses "momentos", e solitário com meus pensamentos acabo sendo confrontado com meus próprios medos, anseios e dúvidas. E foi assim que eu entendi que na busca por "um alguém", eu acabei ficando sem ninguém - preso a lembranças e a desejos que nunca poderão ser plenamente satisfeitos, ou mesmo atendidos.

Os sinais estavam lá o tempo todo, e não me faltaram bons conselheiros para me alertar, mas eu precisava sorver até a última gota daquele cálice. Precisava? Não sei, muito provavelmente não... mas não me envergonho em dizer que eu quis, e que não fui capaz de soltá-lo. Mas tudo passa... e aos poucos aquela imagem que era tão presente em meus pensamentos, está se desvanecendo na minha memória - já não o reconheço mais... Até tenho lá minhas queixas, mas se nunca as disse "nos bons tempos", não será agora que irei apresentá-las, o show tem que continuar!!!

O engraçado é que não estou triste, não estou magoado, nem meu mundo desabou, muito pelo contrário... estranhamente sinto um bem estar, sob vários aspectos as coisas tem ido muito bem, é bem verdade que há uma sensação de vazio... talvez coloque um "anúncio de Procura-se" ou "Admite-se" no jornal, EHEHEHHE.



5 comentários:

Râzi disse...

Existem correntes de pensamente que dizem que o universo é definido pela nossa observação.

É aquele papo de que se uma árvore cai na floresta e ninguém viu, ela realmente caiu???

Se for isso mesmo,não existiriam ilusões... apenas modos diferentes de ver algo, porque quem está habilitado pra dizer que o seu modo de encarar as coisas é o errado???

Beijão!

edu disse...

Como diria o bom e velho Renato: é só você que pode decidir o que fazer pra tentar ser feliz. Mas se exemplo vale, eu levei tanto "tapa" da vida que fui aprendendo a não esperar nada ou esperar muito pouco das pessoas. Pra substituir "decepção amarga" por "doce surpresa". :-)

Beijo!

Monsieur M. disse...

Ilusão é inerente ao ser humano...

Quem nunca se iludiu ou deixou-se iludir que atire a primeira pedra...

Agora, o problema é a maneira como enfrentar a situação quando a ilusão acaba.

E aí, meu amigo, é com você, pois não há ninguém melhor que tu mesmo pra escolher como reagir...

Abs!!

Londoner disse...

QUEM ESPERA SEMPRE ALCANCA, DE TEMPO AO TEMPO E AS COISAS VAO CHEGAR LA! VIVER JA NAO E FACIL E FAZER PARTE DESTE MUNDO MENOS AINDA!

ABRACO!

Designer - Sonhos de um Arquiteto disse...

É...vc disse coisas que já senti ou sinto.A ilusão já fez parte de minha vida;confrontado com a realidade, logo tratei de enxergar aquilo que me recusava ver....Mas isso é parte da vida né? Fazer o quê?Acho que a vida não é vivida mesmo sem ilusão.O duro é quando as cortinas se abrem....

Postar um comentário