Evitações

"Evitativo", ouvi esse termo durante uma conversa com dois grandes amigos e fiquei com ele martelando na cabeça os dias que se seguiram, foi então, que hoje... sozinho, enquanto dirigia comecei a ligar alguns pontos! Eu tenho umas coisas meio malucas, tipo resolver "grandes problemas" enquanto tomo banho (certa vez tive que sair de toalhas, para anotar uma ideia para resolver um problema de um projeto - o bom é que quase sempre funciona! eheh) ou então enquanto dirijo. 

Mas enfim, a "conexão" se deu porque eu lembrei que precisava enviar uma mensagem para uma amiga, devo uma visita para ela desde o final do ano. A questão é, ela é daquelas que me conhece bastante, o suficiente para saber me ler e entender quando algo está assim ou assado.

E ai chegamos a "evitação"...

Não ando querendo ser lido, pelo menos não com a profundidade que ela pode me ler... aos poucos tenho colocado minha vida para "rolar", mas tem umas "pendências" emocionais para resolver que eu ando protelando. Nada muito sério também e na verdade nem muito relacionado comigo, mas coisas com pessoas próximas e que de certa forma me acabaram desestabilizando... Tá bom, tem tudo a ver comigo! ahuahuhau

A grande verdade é que não queria por a mão nesse vespeiro... tenho a sensação de que antes de me sentar já vou começar a chorar like a baby na frente dela, não que isso seja um problema, mas sei lá... acho que vou inundar a casa da mulher! kkkk

Eu vejo arrumando a casa aos poucos, me preparando para lidar com todas as implicações do que pode resultar uma conversa "nesse nível", mas como eu disse, talvez minha maior relutância seja em aceitar que nem sempre tudo dá certo no final, ou pelo menos que esse "certo" pode ter "interpretações diversas"...

Enfim...

Acho que eu preciso/tenho/deveria ir visitá-la, né?!


Um espectador de mim mesmo,
Eu tenho que ter o melhor espetáculo
que posso. E assim me construo a ouro
e sedas. Em salas supostas, invento palco,
Cenário para viver o meu sonho
Entre luzes brandas e músicas invisíveis." 
(FERNANDO PESSOA)


4 comentários:

Eduardo de Souza Caxa disse...

Er... considerando seu doutorado em egípicio, só me resta dizer: vai, se joga! E se for chorar, conversa com a moça num quintal de terra/grama. O aguaceiro ajuda as plantinhas.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Eduardo como sempre foi perfeito. Vai nesta meu caro. A vida é uma só. A gente dá conta de tudo no final. Coragem e força aí.

Luiz Carlos Lucas disse...

Aí, o grão-mestre, sumo sacerdote e senhor absoluto do linguajar das terras do Nilo vem dizer que o doutor é você?! Tsc, tsc, tsc... rs Na melhor das hipóteses, você arranha o copta!

Mark disse...

É bem chato ser confrontado com os nossos problemas. Como se nós não os conhecêssemos! Às vezes queremos visitar alguém pela companhia, pelo papo, e não para que leiam a nossa mente, os nossos desejos, os nossos medos.

Eu acho que você deve ir. Se ela vir algo que ainda ficou por resolver, ouça-a com calma e tente "se explicar" (que explicações ninguém deve).

abraço.

Postar um comentário