3 tempos [2]

Tempo 1. Privilégios

Não sei, mas para mim, a grande maioria das vezes que alguém me falou que eu era um "privilegiado", isso de alguma forma me incomodou! Talvez pela noção de que eu tenho algo que foi "ganho" e não conquistado, alguma coisa que me foi dado sem que eu tenha tido a chance de declinar e que alguém de repente aponta como se fosse "minha culpa"... Mas eis que em tempos de "realidade", tenho que reconhecer que em alguns aspectos fui/sou sim um privilegiado... 

Mais que isso, tenho que agradecer por muitas coisas, inclusive uns tropeços vez por outra. Como eu gosto de dizer, eu poderia até reclamar, mas... não seria justo!·


Tempo 2. Sono

Estou caindo de sono, aliás no momento em que alguém ler esse texto provavelmente já terei caído! :P  Pobre de um amigo com quem eu tenho conversando antes de dormir e que nas últimas noites ficou no vácuo [sorry!], pobre do meu nariz, que é onde o celular sempre bate quando cai [hehehe].

Minhas semanas andam puxadas, reuniões onde fica "tudo certo, nada resolvido", as chateações nossas de todo dia, andam me cansando um pouco, confesso. Ah! Isso sem mencionar as famosas viagens, falar nisso hoje eu já estou pensando que domingo lá vou eu de novo...

De qualquer forma, nos últimos dias pelo menos duas coisas legais aconteceram... uma delas é que eu começo a ver que minha mudança deve mesmo acontecer, apesar das "burrocracias" e do meu chefe, acho que tudo vai dar certo... A outra coisa, foi uma situação que ocorreu, lá estou na minha sala, quando vejo um dos estagiários passar pelo corredor. De repente, alguém bate na minha porta e era ele, que havia voltado, achei que era uma visita "de cortesia", já que no momento não estamos trabalhando juntos, mas eu estou sempre "com a galera" conversando com eles. Papo vai, papo vem, até que ele meio constrangido me pergunta se eu poderia ajudá-lo, que ele havia assumido um tarefa e não sabia nem por onde começar...

Conversamos, expliquei tudo o que ele deveria fazer, como fazer e tudo mais... depois que ele saiu, rolou aquele momento "pavão"! Fiquei contente que ele teve coragem e confiou em me procurar, sabe aquele momento que você olha e acha que está fazendo as coisas direitinho?

Okay! Fim do momento Eu me amo e sou correspondido! [ehehe]


Tempo 3. Das vantagens de ser invisível

Pois é, ando com a sensação que a cada dia eu fico mais invisível... pior, quando era adolescente eu queria tanto ser "invisível", está ai... me ferrei. Nessas horas me lembro da frase que diz que quando os anjos querem nos castigar eles atendem nossos desejos...

Essa vida de estar em muitos lugares é legal, confesso que até gosto... mas tem um efeito colateral, quem está em todo lugar na verdade não está em nenhum... E acho que isso que tem me pegado nesses dias, a falta de um sentimento de pertencer a um lugar, pertencer "a um colo" (se é que vocês me entendem, heheh), enfim...

Acho que estou que nem aqueles gatos "macho"... que vive pela rua independente, só olhando, mas de repente tá lá, se enroscando na perna de alguém no melhor estilo "denga eu!!!".



No meio tempo, tenho uma apresentação do juízo final na segunda-feira, que diga-se de passagem ainda não está pronta, mais planos de viagem, mais trabalho, enfim....

Vamos que vamos...

Abração a todos!


"...Entre palavras não ditas, tantas palavras de amor..."
(A Noite, Tiê)

12 comentários:

Luiz Carlos Lucas disse...

Acabei detectando um efeito colateral nesse sono todo, especialmente quando o sonolento está conversando com alguém: corre-se o risco desse alguém achar que a pessoa é surda! E isso acontece demais por aí! kkkkkk

Latinha disse...

E não é que é! kkk

N a m o r a d o disse...

E correu bem a apresentação?

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

tb fico indignado com este lance de q "vc é um cara de sorte na vida" ... como assim? sorte? normalmente estes comentários partem de pessoas q nunca souberam ou se interessaram em lutar na vida ... tá bom ... sorte! hum ... ralei minha vida inteira para poder ser o q sou hoje ...

nunca ser invisível ... pelo contrário ...

Beijão

Adriano S. disse...

Bem entendo essa sensação de não pertencimento! Não sei se é o seu caso; no meu, pelo menos na atual circunstância, é com relação a tudo, pessoas, lugares, trabalho. Espero que sejam transitórias essas sensações, a minha e a sua. Obrigado por suas palavras lá no blog. Apenas não sei em que eu pude ajudar as pessoas que tiveram a paciência de me acompanhar. Acredito que eu, sim, sempre aprendi e aprendo coisas com todos por lá.

Abraços

Três Egos disse...

Vamos lá, muitos assuntos no mesmo texto, fiquei perdidinho. Meio que já sou por natureza, né?! É legal mesmo quando alguém confia em você, é bom para ver que estamos no caminho certo. Já fui algumas vezes criticado por professores, mas de uma coisa posso me orgulhar, canso de receber elogios de pacientes após um atendimento. E isso faz com que eu siga meu caminho certo porque o que importa são os meus pacientes, nem tanto meus professores. Outra coisa é que, querendo ou não, no fundo somos todos carentes. E carência é uma bosta. Por mais independente que sejamos. Rs
Quanto ao sono, tem gente que super briga comigo porque eu deixo no vácuo de repente, tem gente que até já sabe que, na verdade, eu dormi. Rs

Abraço!

Margot disse...

Já aconteceu de varias vezes, ao ler seus textos, vejo que voce escreveu exatamente o que eu escreveria...sinto...e tals. Como exemplo, a questão do previlégio, da invisibilidade..e por ai vai.
Já não preciso escrever...rs...achei meu texto aqui.
Adoro Tiê.
Boa sorte no "juizo final".

Beijos

Madi Muller disse...

Q clipe lindo, já tinha escutado a música, mas o clipe dela não tinha visto..e a Margot falou o que eu tb pensei em escrever aqui, faço das tuas palavras as minhas...a questão da invisibilidade realmente é a que mais está mexendo comigo atualmente, te entendo bem.... e tb o excesso de viagens, que faz com que não nos sintamos pertencendo a algum lugar...mas qdo sentirmos que pertencemos, vamos ter saudades da estrada de novo..ô gente complicada e ambivalente....

Mark disse...

Bom, seremos sempre privilegiados aos olhos dos outros quando temos alguma coisa, e nem é preciso ser muito. Eu sei o que isso é. Esquecem, contudo, que também temos os nossos problemas e que cada um sabe de si e da sua vida.

Sono... Eu tenho insónias com frequência. Ultimamente ando a dormir mais cedo e a acordar cedinho também, tentando regular o meu organismo, discipliná-lo. À noite sinto-me com menos forças, mas compensa.

Invisibilidade... Bom, acredite, amigo, às vezes é melhor passar pela calçada da vida enquanto terceiros caminham na estrada principal. Todos chegam ao mesmo destino e os que percorrem a estrada arriscam-se a sofrer um acidente. :) Uma metáfora tardia, hehe.

abraços.

Homem, Homossexual e Pai disse...

Ei TIN MAN! este esquema 3 posts em um complica na hora de comentar! rsrsrsr. Mas dá para ver que em alguns aspectos sua vida esta para lá de movimentada... com certeza colhendo frutos do que tinha plantado! parabens!

No Limite do Oceano disse...

Se sou um privilegiado é por ter a mãe que tenho...e não é bom ajudarmos alguém, sentir que há algo que podemos fazer para ajudar o próximo sem termos nada a receber em troca?

Eu sempre fui invisível aos olhos dos outros, ainda não sei bem porque razão isso acontece, mas quando se sente que andam a falar nas nossas costas, é sinal que afinal damos um ar da nossa graça.

Cara Comum disse...

Apresentação do Juizo Final: eu tenho uma amostra grátis disso todos os dias... Arrrrgg! rs

Postar um comentário