Eu sou...

"Eu sou essa pessoa, a quem o vento chama,
a que não recusa a esse final convite,
em máquinas de adeus, sem tentação de volta.
Todo horizonte é um vasto sopro de incerteza.

Eu sou essa pessoa a quem o vento leva:
iá de horizonte libertada, mas sozinha.
Se a Beleza sonhada é maior que a vivente,
dizei-me: não quereis ou não sabeis ser sonho?

Eu sou essa pessoa a quem o vento rasga.
Pelos mundos do vento, em meus cílios guardadas
vão as medidas que separam os abraços.

Eu sou essa pessoa a quem o vento ensina:

Agora és livre, se ainda recordas."

(CECÍLIA MEIRELES, in Solombra)

Não sei bem onde li, ou mesmo se ouvi de alguém uma frase que dizia, entre outras palavras, que nossa salvação está em nos nossos maiores medos!

E foi assim, meio que com medo que comecei um processo alguns meses atrás, na verdade ele já era o resultado de alguns outros movimentos iniciados a pouco mais de um ano. Só sei que acabei novamente frente um velho conhecido, um local em que eu não fui exatamente "bem sucedido", pelo menos não no sentido mais "estreito" da palavra... Na verdade, eu sempre acreditei que ganhei muito mais do que perdi, mas no papel o desfecho não foi tão legal assim... De fato, eu encarei como uma derrota pessoal. Mais eis que, passado algum tempo, lá estava eu de novo, nos mesmos corredores. Vergonha, orgulho ou preconceito, ou mesmo um pouco de tudo, sempre me deram a certeza de que esse meu "passado" voltaria para me assombrar e pelo jeito, era chegado o momento. E foi assim, meio que "no vai doidão", que eu resolvi pagar para ver... 

Pois bem, foi um processo duro, rigoroso e de certa forma corrido, tenho certeza que em algum ponto minha capivara* foi levantada, mas... no final, eu havia sido escolhido, e ninguém sequer mencionou "o passado"! Confesso que ainda me sinto meio desconfiado, mas tenho que aceitar que... Houston, decolamos!

Não vai dar para escrever muito agora, mas vale dizer que talvez seja o próprio vento, que a Cecília Meireles menciona, e que me levou a esse momento, seja o mesmo que está a me levar para novos destinos, mudança à vista!!! 

Enquanto eu corro para poder me achar nesse "torvelino de emoções" e me perco em burocracias, formulários e incertezas, tento entender um pouco das coisas que vão passando pela minha janela estrada a fora.

*Capivara - é uma gíria usada para ficha criminal. :P

Até breve! :-)


 Não sou profundo conhecedor, mas sou fã confesso dos "Tugas" e gostei muito dessa música (Diogo Piçarra - Tu e Eu), vai ser com ela que me vou hoje... ;-)

8 comentários:

Madi Muller disse...

Eu sei q tu eh nerd, genio e tals, mas eu fiquei boiando,me contaaaaaaa,pelamorrrr q so entendi q eh coisa boa!!!!!!

Margot disse...

Então...será que está falando de um processo inacabado cá pros lados de cá do Brasil???? Falamos disso algumas vezes e vc ainda estava "pensando em recomeçar"..... Deu certo??? É isso?
Se for..... ooooobbbbbbaaaaaaa!!! Um dia acabo matando varios "coelhos" de uma só vez.... vai ser bom!

Boa sorte

Beijos

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Seja o q for, sempre acho q devemos vencer os medos e arriscar um pouco. No mais é desejar boa sorte.

No Limite do Oceano disse...

Vim aqui parar por causa da música, e apesar de não ter visto os ídolos em que o Diogo Piçarra participou, a música acompanha e bem o teu texto.

Mark disse...

Somos o que fomos. Volta e meia somos chamados pelo passado. Às vezes ele vem e é mau; noutras é bom. No meu caso, ajuda-me a recordar momentos bons que vivi.

Gosto desse teu carinho pela cultura portuguesa. :)

abração!

Homem, Homossexual e Pai disse...

Uma nova fase num velho local! deve ser uma emoção interessante... pelo menos vc ja deve saber onde estão os armarios com os esqueletos... cuidado ao abri um deles, tua CAPIVARA pode estar lá! rsrsrs boa sorte!

Homem, Homossexual e Pai disse...

Uma nova fase num velho local! deve ser uma emoção interessante... pelo menos vc ja deve saber onde estão os armarios com os esqueletos... cuidado ao abri um deles, tua CAPIVARA pode estar lá! rsrsrs boa sorte!

Cara Comum disse...

"Ninguém entra no mesmo rio uma segunda vez, pois quando isto acontece já não se é mais o mesmo. Assim como as águas, que já serão outras."
Heráclito de Efeso

Postar um comentário