Aquela noite

Ele sabia que aquela não seria uma noite comum, apesar de não saber exatamente os desdobramentos, o inusitado da situação era o suficiente para garantir tamanho frisson. E foi assim que esperou a noite chegar, enquanto o dia parecia custar a findar o relógio brincava com sua ansiedade... Enquanto esperava pelo contato, em um exercício mental certificou-se de que tudo havia ficado em seu lugar para recebê-lo. Como manda a boa educação, uma cama foi preparada ao lado da sua, pensou tirar aquele enorme poster de criança, em que montado em seu famoso triciclo vermelho ostentava um largo sorriso de criança... 

O toque do telefone o trouxe de novo à realidade, do outro lado aquela voz que tanto o encantara, conforme combinado ele o esperaria em um shopping próximo "a Firma", ele veio! Ainda que não confessasse, no seu íntimo trazia dúvidas, não teria sido a primeira vez que ele cancelaria um compromisso, mas ele havia vindo. Alguns meses haviam se passado desde a última vez que se viram, até que uns dias antes ele ligara... por conta de uma viagem, pedia a indicação de um estacionamento onde pudesse deixar o carro, já que faria uma viagem curta e partiria em um voo nas primeiras horas da manhã.

No final, minha garagem foi a escolhida para guardar o carro, ele viria de sua cidade e assim poderia descansar algumas horas até o voo, ou não! 

E ninguém dormiu na verdade... 

Antes de partir para o banho, apresentou-lhe o quarto e cama preparada, no retorno o encontrou sentado em sua cama, lendo um de seus livros... e assim começaram a conversar, parecia natural que comentassem sobre os últimos meses, mas evitaram determinadas perguntas... Enquanto o ouvia falar sobre os planos profissionais, tentava disfarçar o encantamento pelo seu rosto, pela sua voz...

Não se sabe quem tomou a iniciativa, mas suas bocas "colidiram" delicada e suavemente em algum momento, as coisas entre eles pareciam ocorrer de uma forma muito natural e simples, era como se fossem passos de dança que só eles conheciam... foi assim no primeiro, naquele beijo e isso os acompanharia até o último beijo. Aquele fora um beijo de reencontro, de saudades, de incerteza... mas definitivamente um beijo com gosto de primeiro beijo...

Poderia ter passado a noite se amando, e passaram...  mas não da forma mais óbvia, recostado em sua cama, ele se aninharia em seu peito e assim, entre beijos, abraços e entrelaçando as mãos enquanto conversavam, nem perceberiam o passar das horas... Quando a noite começou a se despedir, sabiam que era chegada a hora de partir... O saguão ainda pouco movimentado do aeroporto denunciava que ainda era muito cedo, assim após os procedimentos de praxe, puderam se acomodar para uma xícara de café, enquanto ele ouvia atentamente as dicas de lugares para visitar. 

De um canto do terraço, assistiu à decolagem do avião emoldurado por uma magnifico nascer do Sol... só seu deu por vencido quando o avião desapareceu no horizonte, como quem acorda de um sonho bom, voltou para casa e nem sentiu o dia que se seguiu... ao 
retornar para casa, olhou para a cama novamente... e suspirou...


Tinha suspirado
Tinha beijado o papel devotamente
Era a primeira vez que lhe escreviam aquelas sentimentalidades
E o seu orgulho dilatava-se ao calor amoroso que saia delas
Como um corpo ressequido
que se estira num banco tépido
Sentia um acréscimo de estima por si mesma!
E parecia-lhe que entrava enfim numa existência superiormente interessante...
Onde cada hora tinha seu intuito diferente
Cada passo conduzia um êxtase...
E a alma se cobria de um luxo radioso de sensações..."

(Amor I love you, Marisa Monte, [clique aqui para ouvir])



(Ciao (2008) - Filme completo: clique aqui)

Pois é, já tive Carnavais mais animados... mas vamos que vamos, estou aqui perdido em planejamentos e "incertezas", mas tudo caminha bem... Como eu gosto de dizer, eu poderia até reclamar, mas acho que não seria justo...

No meio tempo, vamos viajando e cantando! ehehee

Espero que todos estejam bem!

Hasta breve!

Eu não ia falar nada, mas enfim... uma confissão. No outro dia, entrei o carro dele, fechei a porta e por alguns instantes fiquei ali, de olhos fechados, apenas sentido o perfume dele que dominava o ambiente...  

8 comentários:

N a m o r a d o disse...

Adoro estes relatos! E são melhores uns breves momentos de felicidade, do que uma vida inteira à procura deles. Adoro essa música da Marisa. Abração Latinha! Espero que esteja tudo bem com você!

Três Egos disse...

Me pareceu tanto com "Style" da Taylor Swift de trilha sonora. Rs. O importante é ter estes breves momentos de felicidade que você pode até esquecer o mundo lá fora. Muito bom mesmo!

Grande abarraco!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Penso q ia até dormir um cadinho nesta carro estacionado na garagem ... #fato

Cara Comum disse...

Menino, vc anda tão romântico ultimamente! hehehehehe

Luiz Carlos Lucas disse...

“E ninguém dormiu na verdade...”, pois é... é o tipo de momento que a coisa mais desejada é que o relógio pare. Parece que o bandido anda até mais rápido! (rs) Pra quem vive dizendo que eu tenho “memórias”, taí uma beleza que você tem! Bem que poderia ter havido uma bela continuação... mas, certamente haverá outros momentos, até mais felizes, pois serão mais maduros e consistentes.

Abraços

Luma Rosa disse...

Então ele vai voltar para buscar o carro...
Que vídeo lindo!!
:)
A saudade é a certeza de que viveu bons momentos. Que venham mais!!
Beijus,

Madi Muller disse...

ahhhhhhhh,tô aqui suspirando e imaginando toda a cena....q sensações incriveis, meu amigo! Sinto-me inspirada ao te ler, andas muito romântico...esses momentos=comercialCredicard,né?

Mark disse...

Que lindo, Latinha. E o vídeo, que por acaso já tinha visto, é enternecedor.

um abraço.

Postar um comentário