Back in town

"E" e "se" são duas palavras simples que por si não tem o poder de representar uma ameaça. Mas coloque-as junto, lado a lado e elas terão o poder de assombrá-lo para o resto da sua vida.

E se?  E se? E se?

(LETTERS TO JULIET, clique aqui para ver a cena)

E ao dar [mais um] sorrisinho amarelo, ao final da reunião, me dei conta que aquela seria a quarta ou quinta vez que aquela possibilidade vinha em pauta. Confesso que na primeira vez não dei muita importância, nas demais eu ainda estava muito preocupado se as coisas dariam certo, mas eis que essa ideia têm me perseguido... No meu mundinho, todas as mudanças dos últimos meses já seriam um grande solavanco na minha vida, mas... "E se", isso fosse apenas o começo? "E se", a mudança que eu ainda nem fiz, for apenas "um passo" dentro de uma mudança muito maior - que eu nem sonhava fazer neste momento?! "E se"... eu abraçar a ideia, de verdade?! 

No fundo, enquanto os carros passavam por mim na volta para casa, mais do que o "E se", fiquei pensando no "e por que não"!? Não tenho filhos, não tenho um relacionamento, não tenho amarras que supostamente poderiam me prender a algum lugar... então, porque a relutância em aceitar um novo convite!? 

De repente me senti como aqueles cavalos amarrados em uma frágil cadeira de plástico, que no fundo "apenas" acreditam estar presos... 

Meditar é preciso!

-- x --

Então, sei que ando meio sumido! Enfim, guilty as charged!!!

Mesmo com toda a correria, até daria dado tempo para escrever um pouco, alguns dias eu até comecei, mas não rolou, os textos foram parar no limbo até segundo ordem... apesar de estar em um momento bem interessante, não dá para ganhar todas, então a gente fica assim... meio quieto, meio que observando a vida!

Essa semana eu meio que ganhei uma folga e tive a chance de passar 7 dias em uma mesmo lugar! [ehehe] Mas a folga acaba hoje, daqui a pouco embarco para casa, sabedor de que segunda-feira estarei novamente "por ai"... Confesso que antes isso parecia mais divertido, eu esperava ansioso por esses momentos, hoje em dia a ideia não parece mais tão legal como outrora, mas não posso dizer que não goste. Acho que estou ficando velho! :P

Mas estou bem, tudo caminha bem, como eu gosto de dizer, eu poderia até reclamar, mas não seria justo! E tentarei estar mais presente no bloguinho... vamos que vamos!

Hasta breve!

Momento Paraguay: Mário Palmério foi embaixador do Brasil no Paraguai no início dos anos 60, pouco tempo depois de assumir a Embaixada, ele ficaria famoso como compositor de uma música chamada Saudade, "reza a lenda", que alguém lhe perguntou o que era saudade e então, inspirado, ele compôs uma guarânia - música típica no Paraguai, "para traduzir para o castelhano o lirismo dessa palavra aconchegante que nos faz sofrer em doces devaneios". É uma bela música...


Si insistes en saber lo que es saudade,
Tendrás que antes de todo conocer,
Sentir lo que es querer, lo que es ternura,
Tener por bien un puro amor, vivir!

Después comprenderás lo que es saudade
Después que hayas perdido aquel amor
Saudade es soledad, melancolia,
Es lejania, es recordar, sufrir!

(SAUDADE, Letra e música: Mário Palmério)

9 comentários:

Eduardo de Souza Caxa disse...

Existe um dito muito popular no assim chamado meio-da-orientação-sexual-homo que vai mais ou menos por aqui:

- SE JOGA, MONA!!!

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Se conselho fosse bm nós não dávamos, vendiámos já diz a sabedoria popular ... mas fica o registro ... por muitas vezes na vida dei ouvidos ao "se", muitas vezes na vida ponderei muito as coisas ... hoje me resta lembrar algumas oportunidades perdidas ... hoje porém não dou ouvidos ao "se" e nem ando ponderando muito ... simplesmente arrisco ...

Beijão

Chris Eldridge disse...

E a maldita perseguição do "e se" continua a perseguir as pessoas, até quando essa dúvida? Até quando ficaremos E SE isso E SE aquilo ... Damn It!

N a m o r a d o disse...

Caro Latinha, de facto é como dizes o "e" e o "se" juntos são muito perigosos e podem levar-nos a consumir a nossa alma. Temos que fazer tudo para minimizar essas situações e acima de tudo para não ficarmos presos a elas. Acredito que o que tiver de acontecer, acontecerá, mas por vezes não arriscamos e ficamos sempre a pensar nas outras possibilidades. Acho que o segredo é tentar ter uma decisão ponderada em tudo, para que possa ser um sim, ou um não, com convicção. Um grande abraço.

Ro Fers disse...

Meditar, refletir, enfim, sempre bom ter um momento interno.
Pense e ouse!

**7 dias de folga aqui em SP já é considerado férias hahahaah...
Abraços!

railer disse...

não podemos nos deixar levar pelo 'e se'. melhor é arriscar e ver no que dá. não se arrependa do que fizer, apenas tome como lição. e momentos de descanso e meditação são tudo de bom. espero que tenha aproveitado.

Mark disse...

O "e se" pode revelar cautela e até evitar danos maiores, mas instala em nós sempre a dúvida: se tivesse tentado, quem sabe teria conseguido. Por mim falo, os "e se" têm me prejudicado mais, creio, do que beneficiado. Talvez suportasse melhor os dias se arriscasse sem pensar no "e se".

um abraço.

Sam Peregrine disse...

Ultimante parei de me perguntar "e se" e comecei a descobrir. Depois de perder várias chances de descobrir o que tem atrás de um "e se" você acaba assim. Pro bem o pro mal, é assim que estou.

Se descobrir o que tem atrás do seu "e se", conta pra gente.

Abraços!

Cara Comum disse...

Discordando do Bratz: conselho é tão bom que existe uma profissão chamada CONSULTORIA... Daí, te aconselho: escolha o que te fará mais feliz! =]

PS: Só pra entender: WTF foi isso de momento paraguaio??? rsrsrs

Postar um comentário