Um "Presente" Precioso

Essa semana eu virei oficialmente, Tio! Pois é, agora posso ser considerado um genuíno Tio Sukita, é o que temos para o momento! :-)

Não estavamos todos na mesma cidade, assim foi aquele furdunço familiar: ansiedade, ligações, mensagens, sms´s, conferência pelo Skype, até que as primeiras fotos começaram a surgir, foi um dia e tanto, em que ninguém conseguia fazer nada direito. Como eu tenho um ótimo timing, justo no referido dia, eu estava alocado para trabalhar com uma equipe totalmente diferente da minha, daria um treinamento para eles! Assim, tive que me virar em uns 5!

Esse é o primeiro bebê da minha família, então ele foi muito esperado e curtido, foi uma sensação muito estranha ao olhar aquelas fotos e ver aquela pessoa pequenina, que é na verdade um pedacinho de nós. Dentre as fotos, as primeiras, uma me chamou mais a atenção, é uma foto fechada, onde se vê apenas a mão da mãe, momentos após o parto e aquela minuscula mão, segurando apenas o dedão daquela mão... apenas isso, uma foto simples, descuidada até certo ponto, provavelmente pela emoção, mas que dizia muito!

Acho que foi a foto que mais me emocionou neste dia, na hora, me ocorreu que dar a mão ou segurar a mão de alguém, talvez seja um dos gestos mais simples e encantadores que existam... principalmente porque é feito quase que de maneira instintiva, sem muito pensar. Simplesmente o fazemos... Ao olhar aquela foto, de repente me dei conta que passado e futuro se encontraram nesse "presente"... Mais do que a mão daquela mãe, ali estava um pouquinho da mão de todos nós, e ainda mais, foi um pouco da mão de todos os que vieram antes de nós, nossos avó, os pais e bisavós que já partiram, enfim, todos aqueles que já se foram, de certa forma se encontraram ali, naquele exato momento... naquele aperto de mão.

Aquela pequenina mão, por sua vez, segura mais que um dedo, na verdade se apega ao reencontro de quem volta ao seu clã depois de uma longa viagem, aquele que reencontra aos seus... aquele que está em família! Espero que de alguma forma, ele nunca se esqueça desse momento, da sensação de segurança que aquela pequena mão demonstrava...

Até o dia de hoje, nunca havia me dado conta que apesar de sermos o futuro, também somos um pedacinho do passado... Me lembrei de todos os que se foram e tive a certeza que em algum lugar, também havia uma grande festa acontecendo...

Hoje, de certa forma, me senti uma peça desse grande quebra-cabeça que é a vida!

Meus olhos quase transpiraram por diversas vezes ao longo do dia... mas aguentei firme, até ir para casa, devo confessar... Acho que ao longo dos anos, nos preocupamos muitas vezes em Recomeçar... mas às vezes é importante testemunharmos aqueles que na verdade vão Começar!

18 comentários:

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

que barato ... super feliz por vc ... lembro perfeitamente qdo há 28 anos atrás vivia a mesma experiência ...

Beijão pra vc e para a criança q chega ...

Eduardo de Souza Caxa ש disse...

Muito emocionante seu relato, tio!

Luiz Carlos Lucas disse...

Lindo mesmo! Cê escreve lindamente, fiote! E, pra quem viu a foto, é certo que você conseguiu passar a emoção da imagem através de palavras... Fora outros pensamentos... transcendentais! (rs)

Três Egos disse...

Parabéns, titio! Adoro muito! Curta bastante e vamos comprar presentes juntos! Rs

Ro Fers disse...

Caraca! Que presentão...
Parabéns a família.
Abraços!

Mark disse...

Parabéns, titio. :)

Sérgio disse...

tio babado :)
o dia do nascimento da minha filha foi o mais emocionante da minha vida. chorei muito nesse dia :)
essa foto da mão agarrada ao dedo, tb tenho uma :) é de facto uma coisa muito simples que nos toca muito. mas tu descreveste-o lindamente :)

posso fazer uma sugestão? se ainda n o fizeram, compra alguns jornais e revistas do dia do nascimento e guarda para lhe ofereceres quando fizer 10 anos :)

Abraço amigo L.

Madi Muller disse...

Latinha, q post emocionante, quase chorei aqui...

Dil Santos disse...

Oi latinha, tudo bem?
Essa sensação é tão gostosa né? Me lembrei dos meus primos-sobrinhos, esses momentos são tão marcantes né? E quando damos o dedinho para segurarem é emocionante. Saudades desses tempo, com vontade de viver novamente, mas dessa vez com um filho meu rs
Bjo menino

Dentro da Bolha disse...

Latinha meu querido, parabéns! Ser titio é maravilhoso, e pela sua escrita, és tão coruja quanto eu :)
Sou tia de um menino de 1 ano e 1 mês (olha a fofura!) e sou extremamente coruja. É uma delíciaaaa. Curti todas as fotos, todos os vídeos, toda essa delícia, é bom demais. E assim que possível, corre pra lá :D

Abraço imenso!

dentrodabolh.blogspot.com

Homem, Homossexual e Pai disse...

que LEGAL! parabens! parabens! lindo texto, imprima, guarde e coloque numa capsula do tempo para ele... quado achar que ele tenha sensibilidde para entender entregue.... eu ja fiz isto e foi incrivel! parabens de novo!

Antonio de Castro disse...

super me identifiquei porque eu também sou tio há menos de um ano, da primeira criança da geração dela na minha família.

sou um tio babão.

se você visse meu instagram, você ia entender o que eu to dizendo.

curte bastante. ;)

Luma Rosa disse...

Parabéns, Titio!!
Emocionante o seu depoimento! Quando fui tia, era tão nova que não dei o devido valor à causa, constatei isso enquanto lia o seu texto. Obrigada por compartilhar desse momento!!
Beijus,

Fred disse...

Meus olhos transpiraram lendo teu post, seu FDP! Hahahahaha! Lindo, Latinha!!! Parabéns pra ti, tio! Vida longa ao pequeno infante!!! E que se registre: no quebra-cabeças da minha vida tu és uma peça bemmmmmmmmm importante! ;)
Bom finde, negrinho!!!
PS: agora essa Coca é Sukita! Hahahahahahaha!

Alan disse...

Eu serei obrigado a confessar que não consegui tecer um comentário desde o dia que li esse post. E me pego voltando pra reler e tentar entender o motivo de ter me deixado tão tocado. Talvez tenha a ver com o fato de que li ele assim que voltei de uma viagem que eu não queria que terminasse, ou com o fato de que justamente enquanto estava nessa viagem meu primeiro afilhado nasceu. E li teu post ao final de um dia um tanto estranho, veja bem: eu não queria voltar de viagem, fui assaltado no dia seguinte ao meu retorno à SP e ver o baby era a menor das minhas prioridades, até porque meu instinto paternal é o de um pé de alface, mas mesmo assim fui. E ali estava ele: 35 cms, dois dias de vida e já sambando na minha cara. Cheguei em casa, li seu post e acho agora, tempos depois, acho que entendo o que você sentiu... Eu talvez nunca vá a ter um catarrentinho pra chamar de 'filho', talvez essa ausência de instinto paternal seja Deus agindo por eu ser um pai cretino em potencial... Enfim, lindo texto, Sr. Latinha! E cobrarei uma rodada de cerveja sua e do Eros do Três Egos quando pisarem em SP já que se ofereceram pra me ajudar da regab pós término. Hahahahaha

Gera Souza disse...

Ola Latinha... estou de volta... e sempre acompanhando suas postagens..

Grande abraço!!!

Fred disse...

Atualiza, tioooooo!!!

railer disse...

parabéns! ser tio é muito gostoso e você vai ser um ótimo tio!

Postar um comentário