Daylight

Hoje eu estava dando uma olhada nas atualizações de uma rede social, como diriam os jornalistas, quando uma amiga publicou uma versão legendada da música Daylight do Marron5, não sei porque, pode ter sido algo que eu tenha comido [kkk], mas boom!
Foi quase como uma viagem no tempo...

Confesso que foram raras as menções a esse "Ele" aqui no blogue, por enquanto, mesmo que algum tempo já tenha passado, tudo ainda é muito recente e vivo... então...

Mas, uma viagem, que por coincidência é a mesma que farei depois de amanhã (sexta-feira), o traria até aqui... seu voo, em um horário de certa forma inconveniente, o obrigaria pernoitar na cidade e como um bom samaritano, eu me ofereci para ajudá-lo, ele passaria a noite na minha casa, onde seu carro ficaria até sua volta.

Fui encontrá-lo após o trabalho, posso descrever a roupa que Ele usava, e lá fomos para minha casa... passariamos a noite conversando, assunto nunca faltou entre nós. Daria tudo para senti-lo novamente junto ao meu peito, enquanto conversavamos... meu reino por mais um daqueles beijos, que tantas vezes me inebriaram... Ninguém dormiu aquela noite, para ser sincero, nem vi as horas passarem... e como nos contos de fada, temi pela chegada do novo dia. Não foi uma noite de [cof cof cof] amor... mas foi uma noite em que duas pessoas, se permitem conhecer, em que compartilham um momento.

A madrugada seria a testemunha do último abraço naquele aeroporto... 
Vi seu avião decolar, em um céu que parecia ter sido pintado a mão, fiquei vendo até que ele se misturasse as estrelas que saudavam o novo dia... e o aperto no coração, parecia tentar me alertar para o que viria.

Mas a verdade é que aquela sempre foi, e pelo jeito será, a minha noite especial, e infelizmente foi como diz a música:

Isso é muito difícil, porque sei que
Quando o sol chegar, eu vou embora
Este é o meu último olhar
Isso em breve será uma memória.

Uma bela memória...


15 comentários:

Douglas Marques disse...

Nossas lembranças são o que temos de mais valioso. A música é ótima, o cd também. Bom samaritano e oferecido... Rs

Margot disse...

Cof cof cof......bom falar sobre ele. Ajuda a colocar as lembranças na perspectiva do hoje.
O divã agora mudou de sala...... Fala, que nos te escutamos.
Sabe onde estou....

Beijos meu lindo.

Adriano Só disse...

Ora, ora, ora! Parece que temos um céu azul e claro hoje por aqui! (rsrsrs) Deixa eu ver se entendi: senti-lo novamente (o que quer dizer que já esteve antes!) junto ao seu peito; beijos, sem dormir, provavelmente no seu quarto e... cof, cof, cof (rs), não foi uma noite de amor??? Faltou algum detalhe? Um tabuleiro de xadrez? Vocês estavam discutindo sobre algum texto de linguagens da computação? Acho que samaritano ganhou hoje um novo significado! (rsrsrs)

Abração

Bruno Garcia disse...

Já vivi uma situação parecida...despertou antigas lembranças minhas...rs...mas que já ficaram lá atrás, bem definidas!!!
Super abraço :)

Fred disse...

Menino... esse "final" da história me lembrou muito de outro lance... deja vu... hahahahahaha! E tô com a Margot: fala que eu te escuto... hehehe!

Fred disse...

Mas nem o menino das Casas Bahia tu perdoa, Latinha?!?
Nem eu!!!
Hahahahahaha!

FOXX disse...

uma belíssima memória, meu amigo, uma belíssima memória.

Rafael M. disse...

Essa sensação de que tudo está no fim é bem difícil de aguentar ou esquecer. Fato é que o tempo não pára, ele nos atropela sem dó e nem se importa em espalhar nossos destroços por aí. Ao menos restam as lembranças, esse tesouro que ninguém pode roubar.

Luma Rosa disse...

Ah, essas lembranças...
Saudade é festejar a morte de um fato.
Foi uma pessoa importante para você que infelizmente ficou no passado e eu fico sempre triste quando leio sobre histórias de amor inacabadas.
Bom fim de semana!!

Jose Antonio disse...

Estranhamente é bom ter vivido essa noite, mas a saudade

Alan disse...

Todas ama o Adam! *.*

Alex M. disse...

Não sei se entendi bem, mas me pareceu alguém importante no passado, que se afastou e, aparentemente, esse afastamento desagrada mais a você do que a ele...
Não tem jeito, quando o último olhar sensibiliza apenas a gente, o melhor que podemos fazer é deixar qualquer ilusão e seguir.
Um dia, o último olhar será apenas uma pálida lembrança, viva, mas sem nenhuma dor ou melancolia, nem desejo. Será, apenas, passado, que deixou alguns tijolos na construção que te constitui.

Bjo e uma ótima semana!

railer disse...

olha só... me lembrou aquele filme do casal que passa uma noite toda conversando e se conhecendo. isso é muito bom e cria laços bem mais fortes.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

só para avisar q voltei ... saudades daqui ...

beijão

Leão, o rei de mim disse...

Olha... Tem coisas que valem a pena "per si" e esses momentos, essa memória, com certeza está nessa categoria! Linda descrição de tudo!

Postar um comentário