Palavras

"Houve um tempo em que eu nada queria, não queria paixões, não queria amores, não queria me aventurar por esse estranho mundo. Esse foi um tempo em que eu acreditava que tudo podia, esse tempo durou bastante tempo...


Um dia, alguém me mostrou que mesmo não querendo nada, nós estamos querendo alguma coisa e um novo tempo chegou, mas não foi o tempo que eu imaginava, esse era cheio de incertezas e inseguranças, como eu costumo dizer. Um tempo em que meu querer não é mais tão poderoso como antes, nesse novo tempo, eu descobri também como é não ser querido.

E assim, me sobrou o tempo... que nunca mais foi o mesmo tempo de antes, um que eu tento preencher com lembranças, com memórias, com outros rostos, mas que sempre acabam se perdendo na imensidão... do tempo. 

Agora, é o tempo da espera, pelo tempo das respostas, aquele onde o meu querer é igual ao seu querer... e assim, talvez eu queria deixar o tempo ser apenas o tempo..."



E depois de uns dias de folga, ando enrolado com umas mudanças no trabalho, mas logo voltamos com a nossa programação normal... ;-)

Inté!

8 comentários:

Margot disse...

Maravilhoso....rsrr. Post perfeito.
Beijos

Edu ardo disse...

Dê tempo ao tempo. Dê a César o que é de César. E o resto você dá pra quem quiser! ;-)

Frederico disse...

eu acho que estou nesses dias ai

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

O tempo é assim ... o q não podemos é deixar o tempo passar sem ações ... só isto ... o resto é o resto ...

gostei por demais do texto ...

bjão

Alan disse...

Tempo, o conceito mais relativo que existe.
Texto excelente!

FOXX disse...

seus textos sempre me deixam com um ar de que falta algo a ser dito.

Raphael Martins disse...

Gostei. Profundo. Bjs, sumido.

Marcos Campos disse...

Ah esse tempo, vive aprontando com a gente !!
Boa semana !!

Postar um comentário