Paola Bracho

Ainda que minha boa fé tenha sido severamente abalada nos últimos anos, eu confesso que já tinha me esquecido das artimanhas do mundo corporativo, e foi assim, que nesses últimos dias eu levei uma bela puxada de tapete, daquelas com roteiro mexicano no melhor estilo Paola Bracho de ser. 

Tudo por conta de um pseudo cargo que eu deveria assumir, nada muito pomposo, mas como uma atual detentora do cargo está se transferindo e alguém precisava ser "eleito". Eu entrei na história, porque além de ser da equipe e ter as qualificações técnicas, eu era o único que topava a empreitada - inclusive porque eu já exerci essa função onde trabalhava.

Tudo certo? Errado! Enquanto eu ia me inteirando da rotina e dos procedimentos, resolvendo inclusive alguns pepinos pelo meio do caminho, o Big Boss (atual Darth Vader) arrumava um outro substituto para a vaga. Até que, nessa semana, onde tudo seria sacramentado oficialmente, eis que eu descubro que mais alguém se habilitou para o cargo... quem?! 

Meu suposto amigo, que ingressamos juntos no mesmo na Firma... 

A merda, é que eles foram tão amadores que todo mundo se revoltou e ainda que eu não tenha aberto minha santa boca, o burburinho correu pela rádio tamanco de tal forma, que o Darth Vader teve que ir por panos quentes e se "explicar". Lambança mexicana total...

Óbvio que eu não fiquei com a vaga, agora quer saber o mais engraçado?!
Eu nunca quis o pseudo cargo, apesar de ser o "herdeiro natural" - por já estar envolvido nos processos, isso iria me tirar de outros projetos que eu pretendo iniciar em breve, tendo em vista a dedicação e comprometimento exigidos. Se o Darth Vader tivesse me falado que preferia o suposto amigo no meu lugar, eu teria cedido de bom gosto... 

Mas no pior a emenda saiu pior, eles conseguiram puxar o tapete... só que isso custou caro para eles. Talvez eu devesse estar mega emputecido, provavelmente estaria alguns anos atrás, mas... não estou! Hoje, como defensor do fair play, mandei um e-mail agridoce a todos agradecendo o apoio que eu recebi da equipe e, claro que na última linha quase depois da assinatura, eu dei os parabéns ao pseudo novo chefe e suposto amigo!  [kkk]

Agora, é ir para o boteco e celebrar minha quase "chefia"! Não posso esquecer de fazer um brinde a Quincas Borda, que sabia já disse: "Ao vencedor, as batatas!!!" 

E feriado é bom para...???
Pois é... vou pegar um colinho em casa, ainda que não tenha levado na boa esse lance de "tapete voador", confesso que esse tipo de coisa me desgasta, então, nada melhor que ir para casa, ganhar umas lambidas para lembrar o que é amizade de verdade.


Infelizmente esse desabafo era o que tinhamos para hoje, espero voltar com algum causo mais interessante nos próximos dias! ;-)

E, quanto ao meu suposto amigo e, agora, novo amigo-traíra, deixo essa bonita melodia:

"Deus em proteja da sua inveja
Deus me defenda da sua macumba
Deus me salve da sua praga
Deus me ajude da sua raiva
Deus me imunize do seu veneno
Deus me poupe do seu fim" (RITA LEE, Reza)

That´s all folks!!!

A Mentira é muita vez tão involuntária como a respiração
(MACHADO DE ASSIS, in Dom Casmurro)

10 comentários:

Mabe disse...

Tem óleo de peroba...ops...hidratante facial ai no Parágua???? Acho que vc vai precisar usar por uns bons tempos...kkkkkkkkk.

Mundo corporativo? Saudades nenhuma...kkkkkkk.

Abraços.

E vá afogar as mágoas na xícara de café...ele resolve tudo!!! kkkkkkk.

Lucas disse...

Vixi, esse filme já assisti várias vezes. E os motivos costumam ser os mais escusos possíveis! Bom é que, no geral, acaba dando errado. Fique frio... aliás, faz frio aí?

Beijos.

Margot disse...

Bom, minha AR15 e a peixeira ainda estão a disposição e eu tenho "corage".... rsrsr

Sabe né L., quem vai cuidar dessa revange está acima de todos nós. E pode tardar, mas faltar nunca!!!
Quer trocar a cerva por um cafezinho "de grátis" lá no Mabe?????? Eu topo!!

Beijos

FOXX disse...

vamos então pensar que se não veio é pq não era bom né?

Carlos Roberto disse...

Tenho medo das suas citações literárias, pois por incrível que pareça elas sempre calham com o autor/ obra que estou estudando no momento. Basicamente este periodo estou estudando, posso dizer que grande parte da obra do Machado. E exatamente quando estou relendo Quincas Borba o senhor trata de citá-lo. M E D O de você!

> Ixi, que chato essa situação eim!? Mas vamos combinar que o mundo é composto por várias puxadas de tapetes. A cena é chata, e como é, mas vamos pensar pelo lado prático, já que você não queria, melhor assim. Além do mais você ganhou algo com isso, descobriu um amigo que nunca valeu á pena.

Beijos lindo!

Frederico disse...

De uma de Paola Bracho e volte por cima derrubando alguém também ehehehhe
faz parte da vida sempre tem pessoas que tentam e as vezes conseguem puxar o nosso tapeta, mas bola pra frente :)

NASTY JOE disse...

Eu queria responder, mas está cedo. Nesse mundo cheio de tentações intocáveis que é a web, hoje eu resolví conhecer o Latinha. Lí o primeiro post desse blog que já estava na minha lista, e o primeiro post foi o episódio da puxada de tapete. O Latinha tem coração, pois, se o homem de lata sempre quis um coração, é porque ele o tinha mais do que muito menino criado pela avó.
Acabei escrevendo algo. Vou ler mais posts e fuçar nos blogs que vc gosta para poder ser um dos comentaristas conversadores do "Latinha".
Bjocas. José Solon

Latinha disse...

Olá José Solon!

Seja bem vindo, espero que volte mais vezes...
O Latinha já tem um coração, agora tenta descobrir o que fazer com ele, ou melhor, como viver com ele...
E um bom papo é sempre bom! ;-)

Abração!

NASTY JOE disse...

Valeu, Latinha, mas antes eu vou ler mais um post para "puxar" mais um assunto para o papo. Carpe ... sei lá. Aproveite o feriado. Abs. Zeca.

Peter disse...

Xii, cena clássica em qualquer tipo de empresa, infelizmente... neste caso, prefiro pensar como o Foxx: "se não veio é pq não era bom". Já o "amigo", a vida se encarrega de cuidar dele!

Abraços e bom feriado!

Postar um comentário