Envy (da série: Pecados Capitais)


Durante muitos anos eu fui adepto do discurso de que o Dia dos Namorados era apenas uma invenção dos países capitalistas para fazer com que as pessoas comprem mais e movimentem a roda que gira o mundo, la plata! Mas devo confessar que os últimos anos foram decisivos para que eu pagasse minha língua e que hoje estivesse aqui com uma pitada de dor de cotovelo.

Posso dizer que me apaixonei algumas vezes, olhando para trás, reconheço que me apaixonei mais vezes do que acreditava, também já consigo entender que muitas dessas vezes, o medo, a insegurança e alguns outros fatores me levaram a recuar e a manter as coisas no campo do platônico. O que por vezes era muito bom, porque me permitia viver essa paixão da forma que eu queria e como eu julgava melhor para mim.

Hoje sei também que não estava pronto... havia medo e insegurança sim, contudo, mas que isso, faltava maturidade para encarar e lidar com determinadas questões que exigiam atenção.

Até que, algumas pessoas chave apareceram em minha vida, algumas eu já citei aqui no bloguinho e outras, que ainda não tive coragem de citar e, que assim, ainda permanecem apenas minhas. Para ser sincero, aprendi muito pouco com essas pessoas, mas elas me deram o essencial, coragem!

Coragem para ir atrás de algo incerto, daquilo que muitas vezes a razão e a lógica nos aconselham a não devemos fazer.  Também devo a elas, descobrir que uma ligação não é apenas uma ligação - quando alguém que nos é importante está do outro lado. Devo a elas, desenvolver a habilidade de reconhecer uma pessoa ao visitar um lugar ou ver um determinado objeto. Por fim, apesar de tudo, foi com elas que entendi o sentimento de que apesar da estrada e as escolhas serem minhas, eu não quero mais caminhar sozinho por elas.

Engraçado que o tempo também me trouxe a sabedoria para entender o que eu quero de um relacionamento, por ironia, não foi com elas que aprendi o que, ou a forma que gostaria de viver em um relacionamento. De qualquer forma, esse será mais um dia dos namorados sozinho... ou melhor, comigo mesmo

Hoje saímos para almoçar em um grupo, diversos amigos, alguns já casados, outros noivos e os avulsos – entre nós, um amigo trouxe outro amigo que veio visitar a cidade.  Algo me chamou a atenção naqueles dois, os gestos contidos, as risadas, as palavras não ditas, enfim... não sei se minhas suspeitas procedem, mas se uma das definições de inveja é desejar o que não se tem, eu hoje senti inveja...

Não sei se foi branca, preta, de bolinhas ou lisa, mas deitado em minha cama, não pude deixar de lembrar o quanto foi bom, um dia, poder ficar deitado quieto... a ouvir a respiração do outro, enquanto pensamentos vão e voltam... Enfim, quem sabe no ano que vem... ;-)

Newland Archer: You gave my first glimpse of a real life.
Then you asked me to go on with the false one. No one can endure that.
Hellen Olenska: I´m eduring it.
(dialógo do livro The Age of Innocence, Edith Wharton)



Hasta Luego!

12 comentários:

Cesinha disse...

Menino, você é um apaixonado a espera da sua paixão chegar... se é que já não chegou! Eu acho que dia 12 eu vou me enfiar embaixo da cama! Se bem que aqui não tem o “embaixo da cama”. Vou me enfiar em qualquer lugar, é isso (kkkkk).

Beijos.

Eduardo Paiva disse...

Ola Latinha!

Sinceramente, amanha nem sei o que sera do meu dia.
Preciso ocupar minha mente porque ela ja esta perturbada o suficiente pra ficar pensando em dia dos namorados.
Nao sei se posso chamar meu paquera de namorado, nao sei nem o que ele sente.

O bom de tudo isso, e o amadurecimento que a gente ganha, meu querido Latinha. Mas, sera que queremos ficar tao maduros assim?

Grande abraco,
Du Paiva.

E ヅ disse...

"No ano que vem"? Sem prazos, meu rapaz. Se bem que eu acho que agora, de casa nova e tchananans, logo logo cê tá enroscado. É permitir-se. :-)

Lucas disse...

Subscrevo o que Etzu falou. Sem prazos! E não encane com datas. Data pra encontrar o amor e ser feliz é todo dia... desde que estejamos à disposição pra isso.

Beijos.

Mabe disse...

Apoio o Edu e o Lucas...sem prazo....e sem neuras...faz o favor de deixar as suas lá...300km atrás...kkkkk.

FOXX disse...

ow, qrido, eu entendo bem essa sua inveja... mas ao contrário dos outros q estão contra seu ano que vem, eu torço para que ano q vem vc não esteja sozinho. vc não merece.

Walmir Neto disse...

Bem, eu ainda acho que o dia dos namorados é uma invenção, uma das, para movimentar a economia. Eu sou bem cético nesse sentido.
O amor platônico, assim como tudo que é platônico, tem mesmo esse dom de ser melhor do que o real. Isso porque o real está limitado em si mesmo, pela sua própria natureza, já as ideias... Elas não têm limites. E às vezes a gente tem medo de estragar com essa realidade feia a beleza dos nossos sonhos, né mesmo? Saber lidar com isso requer muita maturidade de nós.
Os amigos são as coisas mais ricas que a gente tem. A gente aprende com eles, ri com eles, chora com eles... Querer alguém para dividir a nossa história não é sinal de fraqueza, mas de coragem, porque você se abre cruamente, com todas as suas fragilidades. Isso não é para qualquer um. Eu por exemplo, sou uma pessoa muito recolhida. Amo muita gente, muita gente me ama. Mesmo assim, eu guardo muita coisa. E quem vai dizer que isso é força e não fraqueza?
Por último, querido, eu penso que inveja seja aquela coisa feia quando, além de querer algo para si, você quer que o outro não tenha. O que você sentiu foi, digamos, admiração.
Não vou me estender mais.
Abraços!

Kim III disse...

Coragem é muito importante latinha!
Já pesquisaste sobre a Aurea? ;)
beijinhos

Prisioneiro 0001 disse...

Gatão: eu quero pelo menos uma vez na vida passar essa data com alguém. Fora do branco natural.
=/

Um abraço compartilhado.

Carlos Roberto disse...

Meu querido Latinha... Confesso que pensava da mesma forma que você referente ao dia dos namorados ser uma data meramente capitalista como o dia dos pais, mães, crianças e natal. No fundo é. Porém mais do que todas as datas, para nós que somos românticos, apaixonados, sensíveis passionalmente, e quando estamos sozinhos; o dia dos namorados se torna algo que nos é capaz de esmagar, de por em depressão, etc. Mesmo em linhas de brincadeiras, como o Cesinha falando que vai se esconder "debaixo da cama".

Por anos esperei, esperei, e esperei... Sofria com o dia dos namorados. Nunca ganhei presente. Mas pensei: ora, como posso exigir presente se nem no meu aniversário meus amigos me dão uma bala sequer? E por que sofro tanto por não ter um namorado?

Já me apaixonei algumas vezes, e confesso que sou platônico por natureza. Não falo de jeito nenhum que estou apaixonado por alguém. Nem para esse alguém. Acho que criei em mim um masoquismo que quando vivenciado, ao mesmo tempo que dói, reconforta. É uma forma, como você mesmo disse de lidarmos com a situação e de como queremos lidar... A essas paixões eu agradeço os textos que já fiz sobre elas...

Acho que você não deve esperar pelo ano que vem, não deve fazer meta... apenas viver e se tiver que acontecer acontecerá. Isso não se prevê, muito menos deve ser esperado. Devemos viver, cativar o outro, e quando menos esperamos: boom, tai ai mais uma paixão.

Quanto a sua inveja, eu sou assim com meu melhor amigo. Parecemos namorados, quem vê a gente pensa até que somos casados, como uma vez - numa loja de departamento, ele foi comprar um presente de casamento cuja lista encontrava-se na loja, a menina insistiu para ele fazer o cartão. Ela perguntou o estaco civil dele, logicamente ele falou SOLTEIRO. Eu estava um pouco distante, mas ela ja tinha reparado em nós e sem querer eu falei: "Amor,...." alguma coisa (como chamo todo mundo); Quando vimos o formulário ela tinha posto CASADOS e riu. A gente caiu de tanto rir.

Entendo a inveja, o desejo, anseio, vontade... passo pelas mesmas coisas. Mas no fundo, não podemos exigir, querer... é o bom e velho exercício da paciência.

E você não passará seu dia 12 sozinho. Se quiser, passo aqui conversando com você, até porque, amigo também é uma forma de namoro :D

Carlos Roberto disse...

Esqueci: Onde está (estão) as perguntas, eim?

Fred disse...

Hummmmmmm...
Fogo no rabo, define.
Hahahahahaha|!
E exigimos fotos do fuseau DJÁ!!!!!!!!!
Hugzones!

Postar um comentário