After a long and cold winter...

I am back!!!

Não que eu tivesse ido para algum lugar muito longe, mas precisei de um tempo "extra" para mim, pessoas com quem me importo perderam pessoas que eram importantes para elas e eu também perdi uma pessoa que me era importante... isso sempre me leva a repensar posturas, conceitos... Por mais que acredite estar preparado para lidar com as situações, sempre sou pego de calças curtas nessas horas. Até que não me preocupo tanto com as pessoas que vão, tenho um certo entendimento que me permite lidar com isso, mas ainda sofro pelos que ficam... enfim, ciclos, renovações,lições...
E no meio tempo, o trabalho também andou [e anda] me comendo pelo pé... o lerê lerê nosso de todo dia, tentar novos projetos, pepinos antigos e vamos que vamos... E de volta a nossa programação "normal" eu fiquei devendo algumas explicações sobre minhas mudanças! kkk

Então... nem eu tinha percebido que havia ficado meio repetitivo, mas como também não anda acontecendo lá muitas coisas dignas de nota nos últimos meses, acaba requentando o que tinha! Mas, fato é que ando em uma fase de mudanças... algumas eu já fiz, outras não deram certo e estou replanejando e há muitas outras por vir, nada muito mirabolante, coisas minhas, mudanças internas e "estruturais"...
Eu encaro como se estivesse em um momento em que preciso repensar alguns coisas e fazer opções que me guiar nos próximos anos, escolhas já me trouxeram até onde estou hoje, e eu não estou reclamando, mas nos últimos tempos tenho me sentido estagnado e isso não me faz muito bem, o que me leva a desejar novos desafios. Por essa razão tenho procurado novos ares, novas portas que gostaria de experimentar, contudo, isso demanda escolhas, decisões e muitas vezes abrir mão de coisas, e pessoas, o que nem sempre é fácil.

Era isso... nada muito mirabolante [ainda]!...

No mais, para variar um pouco estou viajando... devo ser honesto e confessar que tenho sentido falta das épocas em que viajava mais, dia desses alguém me disse que eu não pertenço ao lugar que moro e aquilo ficou martelando na minha cabeça, ela não fora a primeira a dizer isso... Enfim, quem sabe qualquer hora dessas, nessas idas e vindas, eu não acho um porto e atraco de vez!

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas,
que já tem a forma do nosso corpo,
e esquecer os nossos caminhos,
que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É o tempo da travessia: e,
se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado, para sempre,
à margem de nós mesmos".
(FERNANDO PESSOA)

A figura é uma pintura de Caspar David Friedrich, pintor alemão do século XIX intitulada Wanderer above the Sea of Fog (1818).

7 comentários:

Rodrigo disse...

Se dê esse tempo, as vezes faz um bem enorme e não nos damos conta

beijo pra ti

Anônimo disse...

É bom pensar em "abrir novas portas"... faz parte de crescer, de viver. É importante não se resignar procurar evoluir seja qual o tipo de evolução que procuramos. Latinha eu penso que, no seu caso, os estudos deviam ser uma prioridade... Será essa umas das suas "portas"? Vc é quem sabe... mas sinceramente acredito que sim.
Viajar é algo muito bom!! Aproveite!! Isso nos abre horizontes, nos faz crescer... e quem sabe surgem "novas portas". :-)
Entretanto, de Camões:
Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
muda-se o ser, muda-se a confiança;
todo o Mundo é composto de mudança,
tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
diferentes em tudo da esperança;
do mal ficam as mágoas na lembrança,
e do bem (se algum houve), as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
que já coberto foi de neve fria,
e, enfim, converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
outra mudança faz de mor espanto,
que não se muda já como soía.

FOXX disse...

de verdade, vou parar de ler seu blog, vc some, ai volta e não conta o que aconteceu, só dá pistas, fico curioso! isso num dá! deixar a raposa aqui curiosa é maldade!!!

=D

Edu disse...

Pois é, o Lata é sempre enigmático. Viajador e enigmático... devia tentar carreira de guia turístico de lugares esotéricos! :-) Machu Pichu, Chapada, Stonehenge, Egito... hein? hein? :-)

sad eyes disse...

simpatizei com o teu blogue. escreve sff :p

Euzer Lopes disse...

Eu nunca me preparei para perder pessoas queridas.
Aí, houve um tempo em que, em quatro meses, metade de minha família simplesmente se foi.
De repente, atitudes que eu nem sabia que existiam para serem tomadas, são tomadas aos montes, em sequência.
Imaginar, dá pânico.
Viver, assusta.
Mas a gente tem uma força tão absurda e imensurável, que passamos por esse "ciclone extra tropical" como verdadeiros náufragos sobreviventes.
Claro, os estragos ficam. É o que eu chmo de mudança de ciclo, de observar as coisas sobre outro prisma.
Se isso é crescer, digo que é dolorido demais...

www.meioameioblog.blogspot.com
COMO ME TORNEI UM GAROTO DE PROGRAMA

inconstanteblog disse...

Não me acho nem um pouco preparado para perder pessoas muito próximas. Nunca passei por este tipo de situação.

Se reavaliar é mto bom. Repensar novos caminhos, fazer novas escolhas, chegar a pontos diferentes. Com ou sem um porto fixo. Lembrei de Adriana: ah, se eu fosse marinheiro...

Xêro!

Postar um comentário