Beyond the distant star

Por mais que a gente queria ser "espertão" e acredite estar preparado para as coisas, a dura realidade das coisas sempre tem o dom de nos surpreender e mostrar o quão pequenino somos...

Dizer que isso não tinha passado pela minha cabeça é mentira, mas me neguei a aceitar em um primeiro momento, depois me agarrei a tudo o que era possível, na tentativa de alguma forma reverter algo que parece inevitável, até que com o passar dos dias eu tive que começar a aceitar e a seguir em frente com a minha vida - ainda que a contragosto e olhando para trás muitas vezes. Tinha para mim que não podia desistir, por ele, por mim, pela nossa amizade... 

E foi assim que naquela noite lancei mais uma uma "carta em uma garrafa", jogada nesse mar brabo que é a vida, por alguma razão, naquele dia a lembrança dele havia surgido, em poucas linhas perguntei por onde Ele andava e também pedia que não deixasse de me enviar notícias, Ele ou "qualquer pessoa visse aquela mensagem". Diferentemente das primeiras mensagens, nestes tempos eu já não tinha lá maiores esperanças de receber uma resposta, mas promessa é promessa... Pensando bem, aquela foi a primeira vez que eu mencionava a possibilidade de que "qualquer pessoa que visse a mensagem"... até então, as mensagens anteriores eram para Ele

Mas eu estava enganado....

No outro dia, enquanto esperava o metrô, perto da hora do almoço, percebo a notificação de um novo e-mail... O remetente não era exatamente alguém desconhecido, mas era "qualquer pessoa que visse a mensagem"...

"Engraçado", na hora não senti nada... não tive medo, não tive receio, nem mesmo pressa, eu apenas toquei e esperei que a mensagem surgisse na tela... As poucas linhas que surgiram confirmavam minhas suspeitas e decretavam o fim das minhas buscas... 

Era o fim! 

O vento do vagão do metrô passando ajudou a tentar me recompor, apesar de não ter sido uma surpresa, o golpe foi duro... e eu senti a pancada seca, abafada na boca do meu estômago... tanto que me curvei... acho que nunca meu corpo tremeu tanto!

Não lembro se alguma vez cheguei em casa chorando, vindo "da escola"... mas essa era a minha vontade... A duras penas fui caminhando e tentando não ceder a tentação de sentar em algum canto... minha cabeça doeu!

Querido amigo,

Queria muito que você tivesse tido a chance de partir de uma maneira diferente... como desejei que você ainda pudesse encontrar o amor, o carinho e aceitação que tantas vezes te foi negado... 

Você era como um irmão caçula para mim... tantas vezes eu puxei tuas orelhas, quantas sai em sua defesa e não foram poucas as risadas que demos durante nossas longas conversas... Como eu queria ter te protegido, ter te amparado... mas não consegui...

Mas como te disse uma vez... eu nunca vou esquecer da nossa amizade e nem vou abandoná-lo... nem que eu tenha que ir te buscar, um dia vamos nos reencontrar!

E o abraço que não demos na despedida, vai ser o abraço do nosso reencontro! :)

Que onde quer que você esteja... que possa encontrar um pouco da paz, da tranquilidade que faltou ao teu espirito nesta caminhada, que encontre o amor que tanto quis e que não chegou a experimentar...

Se cuida R... 

E cuida desses pensamentos... 



(Recebi esse texto Dele em Novembro último, acompanhado de um Obrigado!)



Uma vez... em um momento nerd fazendo nerdice, conversávamos sobre os personagens de X-Men e falávamos com quem nos identificamos! Na hora, quase que sem pensar, eu disse que ele era como a Jean Grey... ele olhou, deu risada e falou: "Ô loco, você sabe o que acontece com ela né"?!

Era uma conversa tola, mas talvez naquele instante eu tenha tido um dos maiores momentos de lucidez da minha vida...  Jean Grey é uma das mutantes mais poderosas de uma trupe de super heróis mutantes... das várias variantes que existe da história, há uma - que deu base ao filme que a maioria das pessoas conhece, em que de tão poderosa, ela é insegura de seus poderes e tem um grande complexo de não se encaixar (ela foi mandada à uma "escola especial" pelos pais que não sabiam como lidar com ela)... Em um determinado momento, ela se transforma na Fênix... e assim causa vários problemas, agora por ser muito "consciente" de seu poder... No filme, quem assistiu deve se lembrar, ela pede ao Wolverine que a ajude terminar com aquele sofrimento... 

Na época que em que eu falei aquilo... Ele não tinha consciência do poder que possuía e inseguro de si mesmo, não se achava "digno" de muitas coisas que poderia usufruir...

Enfim...

Perdão pelo desabafo... 

7 comentários:

Jose Soares disse...

Caro Latinha,

Você fez o melhor que um ser humano pode fazer ao outro: cuidar!
Tenha certeza que sem esse cuidado seu amigo estaria em maus lençois muito antes do que está agora!
Sinta-se triste pelo momento presente, mas não sinta-se impotente pelo que foi oferecido no passado!
Meu ex-terapeuta uma vez respondeu depois de uma pergunta minha:
- Como psicólogo o que agente faz quando toda técnica, todo cuidado e suporte dado falham?
Ao que ele me respondeu com aqueles olhos azuis lindos...
- A gente reza.....
Bjs

Eduardo de Souza Caxa disse...

Sinto muito. Especialmente hoje (situação parecida). Estou com o Zé: você cuidou, você amou. E foi amado de volta. É o que importa agora.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Estou com o Zé: você cuidou, você amou. E foi amado de volta. É o que importa agora. [2]

No Limite do Oceano disse...

Não tem que pedir perdão, a partilha, a sua, mostra o grande sentimento que havia, e que há, porque são nas memórias que a saudade mora. Ou estou errado?

Homem, Homossexual e Pai disse...

Poxa, só estou lendo isso agora... sinta-se abraçado amigo!

Homem, Homossexual e Pai disse...

Poxa, só estou lendo isso agora... sinta-se abraçado amigo!

Três Egos disse...

Latinha, o mais importante é que você tentou, mais do que isso, lutou. Pelo que te conheço você é uma pessoa muito especial que consegue fazer o bem maior pelas pessoas com as quais você tem afeto e isso é uma qualidade que poucos possuem. Espero que esteja melhor em relação a isso. Grande abraço!

Postar um comentário