Make a Wish

Eu já estava na segunda metade da minha graduação, hora de começar a tentar entrar no mercado de trabalho, a meta era arrumar estágio! Era um tempo estranho para mim, boa parte da adolescência eu havia falado que seria médico, contudo, entre uma prova de segunda fase e outra, eu prestei vestibular para um curso de exatas, e... passei! Até bem colocado diga-se de passagem... Como eu não fui aprovado nos vestibulares de medicina, instalou-se uma grande dúvida, enfrentar um ano de cursinho ou fazer o curso que eu havia sido aprovado? Eu optei pela segunda escolha, não me pergunte por qual razão, só sei que foi assim

Costumo brincar que só me formei porque, no primeiro dia de aula, me sentei próximo às pessoas "certas", talvez se tivesse sentado algumas fileiras atrás, estivesse até hoje na faculdade! Mas aquele pessoal se tornariam meus melhores amigos naquele período, a maioria deles já trabalhava, uma das garotas já era formada em Administração, o outro já tinha feito curso técnico, talvez por isso eu me sentia motivado a ser inteligentão também. Um dia preciso contar isso melhor, mas no fundo, olhando bem... tive que reconhecer que eu possuia desde criança "as habilidades" necessários para aquele curso, por isso até que eu acabei me saindo bem, no curso que eu acabei escolhendo nos 45 minutos do segundo tempo, meio que por acaso. :P

E foi assim que naquele ano eu precisava começar a trabalhar, meu primeiro estágio foi em uma empresa pequena, em Valinhos, onde eu era estagiário apenas para efeito de pagamento, pois trabalhava e respondia como gente grande. Aprendi um bocado... Depois surgiu a chance de ir para uma empresa grande, multinacional, usar gravata!!! Lembro que eu queria muito, muito mesmo passar naquela seleção. Fiz toda a seleção, provas, dinâmicas, entrevistas, fui eliminado na penúltima etapa... fiquei arrasado! 

Tempos depois eu ouviria uma frase:

Dizem que quando os deuses querem nos castigar, eles atendem aos nossos pedidos! 

Pois é... se meus pedidos tivessem sido atendidos, eu hoje seria Pediatra, provavelmente teria um Corola prata - apesar que eu gosto mais do Civic e tenho certeza que continuaria usando minhas botinhas, porque não curto aquele sapatinho branco. Mas é bem provável que eu não tivesse chegado ao final do curso, muitas vezes eu não consigo ter o distanciamento necessário para poder desempenhar bem uma função dessas... Lembro quando uma pessoa próxima a mim, que estudava Fisioterapia, perdeu um paciente, um garoto que ela acompanhou durante semanas na UTI, ele teria alta em um ou dois dias... Mas naquela manhã, quando ela chegou encontrou o colchão do berço virado... ele havia tido uma piora durante a noite... Nunca pude esquecer o choro sentido dela... Mas, enfim... reportemos ao fato! Acho que não ia rolar .

Também tenho que reconhecer, que se eu tivesse sido aprovado naquela seleção que eu tanto desejava, não teria tido em alguns poucos meses depois a chance de ter sido aprovado em uma outra seleção, dessa vez para um importante Centro de Pesquisa na época e vivido uma experiência que mudaria completamente a minha forma de encarar o trabalho, de ver o mundo... Muito do profissional que eu sou hoje, eu devo aquele período que passei no "famoso Prédio 11". Isso sem mencionar que seria lá, o lugar escolhido para eu encontrar aquela que seria a minha melhor amiga de sempre!!!

[Tempo presente]

Fiquei pensando nisso porque tenho acompanhado a saga de uma colega de trabalho com quem tenho um relacionamento muito próximo, ela desejou muito conquistar uma oportunidade e por conta disso, está prestes a embarcar para um temporada no exterior. Era o desejo dela! Inclusive nos aproximamos mais ainda, porque acabei ajudando no processo que ela participou, visto que havia alguns "pontos de aderência" entra a minha área e a área que ela está ingressando, tanto que ela brinca que vai me fazer ir para também...

Desejo atendido, deveria ser sinal de festa, certo!? Talvez, mas a verdade é que ao longo desses meses de preparação para a sua ida, tenho acompanhado alguns desgastes na relação dela com alguns familiares, por conta da tensão da mudança de área, de país, da ansiedade e das próprias questões de ordem prática envolvidas. 

Não pude deixar de pensar que ela queria tanto a oportunidade, que aquilo deveria ser uma possibilidade tão interessante para todos e principalmente uma fonte de alegria, mas que se ela não se cuidar, tal momento pode se tornar em um foco de grande problema. Tentei alertá-la, com jeitinho, sobre isso...

E como quando a gente aponta um dedo para o coleguinha, três outros dedos apontam para nós... também não pude deixar de pensar, nos meus "desejos"... e em até que ponto devemos persegui-los! ;-)

Enfim... vai saber... de qualquer forma, meditar eu irei! 

Que possamos fazer dessa uma boa semana! ;-)

Abração.

"Era uma pessoa igual a cem mil outras pessoas. Mas, eu fiz dela um amigo, agora ela é única do mundo"

Para curtir a tarde...

14 comentários:

Eduardo de Souza Caxa ש disse...

Você medita demais. Se joga, mininu! :-)

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Seu percurso se parece com o meu. No meu tempo curso superior era Medicina, Engenharia, Direito ... se muito Odontologia ... o resto era o resto em termos sociais ... Queria Medicina ... não passei. Um segundo Vestibular para Veterinária para preencher 6 vagas ... fiz e passei ... na época ansiava por não perder tempo na vida. Tinha q trabalhar rápido para ajudar em casa. Pensei, faço um ano de Vet e ano q vem tento Med. Assim não pago cursinho. Desisti da Med e me formei em Vet. Vou meu ganha pão por toda a vida. Hoje já aposentado. No meio do caminho vi q nada disto era o q eu realmente queria. Me formei em História e depois em Filosofia. Amei dar este upgrade em minha vida. Mas profissionalmente fui Vet e assim terminei miha história profissional. A Filosofia e a História saciam meu ego e minha pseudo-realização mas não garantiram e nem garantiriam minha vida como a Vet garantiu ... simples assim ... Hoje, quem me pergunta o q fazer sou bem pragmático em meus conselhos ... procure algo q te possibilite viver com as melhores condições possíveis e a realização pessoal vc cuida depois em paralelo. Sem qualquer arrependimento meu caro.

Luiz Carlos Lucas disse...

Essas mudanças no rumo de nossas vidas sempre me atraíram. Há, com certeza, o tempero do acaso, mas o que conta mesmo é a nossa decisão de arriscar, de mudar. Eu já experimentei isso. Até precisaria arriscar novamente. Acredito, porém, que só existe alguma chance de dar certo dependendo de nossa idade, da fase da vida em que estamos. Eu, por exemplo, já passei do ponto. Você está no ponto exato. Não deixe passar...

Antonio de Castro disse...

eu tb sofri com as seleções ou a falta delas. com a frustração de não ser selecionado.

tb já quis muito uma vaga.

seu exemplo até fez um carinho aqui no meu peito. talvez não tenha acontecido porque os deuses me guardam outras coisas. talvez essas outras coisas nem sejam nada de cunho profissional. mas são outras coisas. bom achar um motivo que justifique o que parece não ter explicação.

bom ver que tem gente de carne e osso por aqui.

adulto disse...

Égua, eu mudei meu curso (nos dois sentidos da palavra) no final do ensino médio, mas ainda assim fiquei na maior duvida na hora de decidir mesmo, tanto que me inscrevi em duas :P
Foi melhor assim, e eu ainda agradeço aos deuses por não me conceder todos os desejos, as vezes depois de um tempo, mas agradeço, rs.
Um abraço!

Cara Comum disse...

Aprendi, numa música uma frase que me inspira às vezes:

"Se eu fosse um cara diferente, sabe lá como eu seria..."

;)

Abração!

Fred disse...

Se sentar próximo - ou se sentar nas pessoas certas - faz toda a diferença nessa vida! #ExperiênciaPrópria! Hahahahaha! Voltei, fiote! Com a corda toda! Hugzões!

Madi Muller disse...

Latinha,está decidido:serás meu mentor/orientador para tudo,agora,depois de ler isso,tenho certeza! #qresponsa #aceiteporfavor
I´m so lost,help me....:))))

Dentro da Bolha disse...

Que lindo texto! Tão reflexivo, precisava disso nesta noite de domingo, ôh.
Estou terminando minha graduação em breve, mas é uma indecisão danada do que fazer depois hien?
Acabei, pela ansiedade, construindo alguns projetos, se não funcionar tudo bem, vou construindo outros rs um dia funciona kkk
Que todas as vezes que você meditar consiga alcançar mais ainda seu EU interior, que a cada momento seja uma nova experiência de si mesmo...
e mando boas energias para mais uma semana de luz.
Abraço.

dentrodabolh.blogspot.com

Cristiano disse...

Uma coisa que nao entendi, pq pode ser de muito mal para ela se ela nao focasse?

Sam Peregrine disse...

Sua história me fez refletir sobre a minha. Comigo aconteceu algo parecido, fiz algo meio como o Bratz falou, optei pelo lado mais prático, pela segurança pensando em depois seguir o coração. Acontece que essas escolhas mudam todo nosso futuro, desfaz planos, muda sonhos.
Me formei, mas ainda me considero no meio do caminho, agora tentando a fazer uma escolha muito louca e que mudará o resto da minha vida... quem sabe o que acontecerá!? Acho que quero pagar o preço pra descobrir, deixar os deuses me castigarem.

Boa sorte pra sua amiga, e pra vc tbm!

Madi Muller disse...

Te desafiei lá no blog, espia lá...

Dominus disse...


Esse seu texto me fez refletir muito e relembrar uma prática esquecida, a meditação. Eu me encontro mais uma vez nesse período de in/decisões, e me encontro completamente perdido. Quatro anos atrás eu não passei em nenhum vestibular que eu queria, mas sei la porque me inscrevi em um vestibular tardio meio que por brincadeira, passei, e resolvi arriscar. Mudei de cidade, amadureci muito mas, no sentido profissional não me encontrei. E agora de volta a minha casa, me vejo perdido mais uma vez, apesar de toda a bagagem acadêmica e de vida que tenho, não consigo encontrar nada que satisfaça meu gosto quase que meia a meio por exatas e humanas, algo que eu consiga utilizar as minha habilidades. Meditar é preciso!
Abraços.

Marcos Campos disse...

E a vida, sempre dando essas escolhas aos 45 do segundo tempo, mas as vezes a pressão e justamente para isso ... mas que sentar perto das pessoas certas ajuda muito, ah isso ajuda !
E quantas e quantas vezes o desejo que se realiza, que era pra ser alegre, vira um problema ! #putz ! Tomara que no caso dela, não ! Tomara !

Abraço !

Postar um comentário