Fim do Dia

Ao sair do trabalho, eu percorro uns 3 ou 4 kilometros por uma rodovia que dá acesso à cidade onde eu moro, já é um trecho duplicado, que geralmente no fim do dia, rende ótimas (e inspiradoras) fotos. Pessoalmente, sempre me encanta ver o nascer e o por-do-sol, acho que sempre é um momento bom para dar uma repensada no dia, fazer um pensamento legal ou mesmo rezar, durante a época do mestrado, eu normalmente chegava no sábado bem cedinho... e não raro, eu acordava ainda faltando alguns kilometros para chegar, ainda que tivesse viajado a noite toda, era gostoso assistir pela janela a brincadeira do sol e da lua...

Mas hoje, diferente do tom dourado, quase sépia dos outros dias, o céu tinha um tom "rosado", um fucsia - para ser mais exato, que deixava um forte contraste no céu, um tom um pouco mais forte que o do vídeo abaixo... Normalmente eu não me furto a parar o carro e tirar uma foto, bom, às vezes eu tiro com o carro andando mesmo! (Guilty as charged! Não façam isso em casa). Mas hoje resolvi ser egoísta e guardá-lo só para mim, na minha memória, havia algo de diferente, enfim... tantas coisas andam diferentes nos últimos tempos que acho que o sol também pode aproveitar, não?! 

De qualquer forma, o dia soube se despedir em grande estilo.

(SPIEGEL IM SPIEGEL, Arvo Part, 1978)

Chegando em casa me lembrei desse vídeo, além de lembrar o céu, ele é de uma música que eu gosto... Muitas pessoas não gostam de música erudita, eu não sou profundo conhecedor e também não acredito que seja para ouvir a todo momento, mas tem dias que como hoje, é bom poder chegar, tomar um bom banho quente (com meu patinho amarelo :P), depois ficar quieto só ouvindo e se deixando levar pelo som do piano e violino. 

Me lembrei de uma época em que havia um programa no rádio, Clássicos ao Amanhecer, como eu entrava bem cedo, quase todo dia eu ia trabalhar ao som de música erudita.

Enfim... um post meio sem pé nem cabeça, apenas para dar uma atualizada no bloguinho! ;-)

Inté.

"Acordar para quem você é, requer desapego de quem você imagina ser."
(ALLAN WATTS)

14 comentários:

Miguel R disse...

adoro ver o por do sol sim, o nascer do sol... raramente vejo, porque odeio acordar cedo, mas adoro um bom por do sol, pralem de ser ótimo para refletir, é também super romantico, e até meio inspirador.
Abraço ;)

Três Egos disse...

Também gosto de ver o por do sol, qualquer dia destes poderá ser até um dos meus #100happydays. Só não gosto tanto do nascer do sol porque geralmente estou mal humorado por ter acordado cedo... Rsrs


Abraço!

Madi Muller disse...

Q lindo,e tb sou fã desses clássicos, alguns são inspiradores e relaxantes,outros me dão energia(a quinta do Beethoven,por exemplo,adoro ouvir naqueles dias em q tô meio desanimada,ela me bota pra cima!)

Douglas S.M disse...

Latinha = phyneza pura.

Karine Tavares disse...

Parabéns pelo teu blog!

Vem conhecer o meu:
feitaparailetrados.blogspot.com

Ro Fers disse...

Às vezes estes momentos passam despercebidos.... Mas que faz diferença deixando- nos mais "zen"
Abraços!

Wast Lost disse...

Latinha, to me arriscando a escrever... pode ler meus posts?

Dentro da Bolha disse...

Que video delicioso! Encontro-me em casa, sozinha, com o sol gigante lá fora, largada no sofá esperando as próximas responsabilidade... e entre uma lida e outra, encontro em teu blog esse video. Que maravilha. Tem coisas que a gente deve ficar só para gente mesmo, a tua "coisa" hoje foi aquela imagem. As pequenas coisas da vida são as melhores, e às vezes aproveita-las sozinho é bom demais.
Abraço forte!

dentrodabolh.blogspot.com

Fred disse...

Ah... mas esses "sem pé e nem cabeça" muitas vezes são os melhores! Valendo a regra para posts, homens e memórias... hahahaha! Hugzones!!!

Cristiano disse...

E você fez mestrado de que? ou em que?

O Menino que Voa disse...

Latinha, menino, que delicia saber que existem pessoas no mundo que param um pouco (literalmente) para apreciar o espetáculo que o nosso céu nos presenteia e, muitas vezes, passa sem aplausos. Alguns amigos do Rio e de Salvador acham ridículo o costume de aplaudir quando o sol termina de tocar o horizonte, quando se põe. Eu sempre me emociono. Seja em Ipanema ou no Porto da Barra. É um espetáculo que, como qualquer outro, precisa de sua atenção. É grátis. É prazeroso.

Fred disse...

Vai Brasillllllllllllllllllllllllllllll... hahahaha!

Marcos Campos disse...

A musica é linda ! Havia um programa de rádio de musica erudita que eu ouvia todo domingo a tarde, as vezes o sol de punha e vinha a noite, durante o programa, se chamava Intermezzo.
Pra um post sem pé nem cabeça, ficou bem legal !

Abração !

railer disse...

adorei a música. acho bom quando a gente vê e percebe as coisas com os próprios olhos ao invés das lentes de uma câmera. acho que a memória guarda mais quando é assim.

Postar um comentário