Envelhecer

Essa semana, ao ver uma foto no perfil de uma amiga, fui convidado a fazer uma viagem no tempo, viagem essa que me levaria à algumas reflexões que ocupariam boa parte dos dias seguintes. A foto na qual minha amiga fora marcada, era de uma equipe de trabalho em longínquo mil novecentos e poucos e, o que me chamou a atenção, foi que eu conhecia a maior parte daquelas pessoas naquela foto.


Poucos anos depois daquela foto ter sido tirada, eu me juntaria aquela equipe de trabalho, aquele foi meu segundo estágio e viria a ser um marco importante na minha formação profissional, eu saia de uma empresa pequena no interior de São Paulo e me tornava estag em um centro de pesquisa de uma empresa gigante. Muito do profissional que eu sou hoje, eu aprendi com aquelas pessoas, na primeira sala que eu ocupei, nasceu uma amizade que perdura até hoje – minha melhor amiga e “quase irmã”...

Eu não tenho mais contato com eles, longos anos se passaram, minha amiga foi sempre o “elo” entre aquela época e eu. Ao ver a foto, não resisti a tentação de fuçar um pouco e visitar os perfil dos meus antigos colegas, e eis que eu me deparo com a foto do meu supervisor. Me lembro dele, um cara alto, forte, já tinha pouco cabelo, mas tinha um porte atlético – me lembro que ele jogava vôlei, naquela época nunca me passou pela cabeça a idade que eles tinham, mas acredito que eles deviam já ter seus 30 e muitos pelo jeito.

Ao reconhecê-lo em uma foto, eu levei um susto, ele agora é um tiozinho! 
Magro, quase calvo, envelhecido... confesso que fiquei espantado e o mesmo aconteceria  com outras pessoas que fui reconhecendo, eles envelheceram!!!... Os que não ficaram grisalhos, ostentam mechas brancas pelos cabelos, os rostos ficaram marcados, os álbuns que outrora tinham fotos de viagens e aventuras, hoje são recheados com fotos da família, e quase todos com filhos que hoje poderiam ser "os meus supervisionados”...

Me dei conta que eu também envelheci..
Acho que foi a primeira vez que me vi seriamente confrontado com essas questões de envelhecimento, tirando, é claro,  o dia que eu devolvi a bola para o garoto no parque e ele gritou: “Valeu, Tio!”.

Falando sério... fiquei pensando no que eu já fiz da minha vida, acredito que eles podem se orgulhar de mim, se eu ainda não descobri como dominar o mundo, eu tenho orgulho de já ter trabalhado com pessoas bem legais, ter ajudado algumas outras e estar construindo uma carreira legal, que ainda pode me permitir fazer coisas interessantes.

Mas, e ai...?
Fiquei pensando no meu futuro “álbum” de tiozinho... 

Como será que ele vai ser? 


"O meu mundo não é como o dos outros, quero demais, exijo demais,
há em mim uma sede de infinito,
uma angústia constante que nem eu mesma compreendo.
Sou uma alma intensa, uma alma que não se sente bem onde está,
que tem saudade... Sei lá de que!"
(FLORBELA ESPANCA)

13 comentários:

Serginho Tavares disse...

situações assim me divertem... adoro ver coisas de um passado distante e relembrar bons momentos vividos mas adoro mesmo é focar no presente
passado só mesmo pra ver em fotografia!

Pedro disse...

Vim aqui te ler. Devagar. E sorrir. O sorriso faz bem aos músculos da face e, creio, também ao coração.
Também agradeço as palavras lá no My Story.
Grande abraço!

Especialmente Gaspas disse...

Adoro ver fotos antigas, trazem sempre recordações, pedaços de vida, história...

Lucas disse...

Rapaz! Que negócio é esse de pensar em envelhecimento! Aproveita essa "sede de infinito" e mergulha fundo... tá esperando o que?!

Beijos.

FOXX disse...

futuro album de tiozinho? o que é um album de tiozinho? hehehe

Cesinha disse...

Desculpe a pergunta, mas não vai levar algum tempo ainda até você tirar fotos pra algum album de tiozinho? (kkkkk). E nem falo pela idade cronológica, mas pela idade real que é a que transparece pelos seus posts, sempre super sensíveis.

Beijos.

Frederico disse...

Tenho medo de envelhecer.

Fred disse...

Relaxa, babe... o senhor é como um bom vinho... só melhora. Agora... só toma cuidado pra não virar vinagre, tzá???? Hahahahahaa!
E sobre "como dominar o mundo"... vem cá, senta aqui que eu te explico #comofaz!!!!!! Hahahahaha! Hugzones, meu velho (no bom sentido, claro)!!!!!!

Fred disse...

Querendo - literalmente - dar um "tapa na Pantera", Leozito?!? Hahahahaha! Seu ordinááááááááriooooooo! Hugzzzzz! E lúdico é coisa que eu adoro ser... tu bem sabes, nzé? Hehehee!

Fred disse...

Feliz do Homem de Lata que vive em terras onde não falta a mandioca... lucky boy... hahahahahahaha! Força no mandiocão, bebê!!!!! Hugzones!

Carlos Roberto disse...

Menino, ser chamado de "Tio" é de fato a morte. Eu achava besteira até ser chamado de tio pelos alunos de uma turma em que fui convidado a administrar dois tempos de literatura. Isso, pelo fato deles estarem no Ensino Médio e eu, saindo da faculdade. É triste... Quase morri com isso ahahahaha.

Envelhecer é a nossa pequena maldição temporal, porém toda maldição tem um lado bom, pois quando paramos e refletimos sobre o tempo, temos a possibilidade de querer|fazer algo com aquilo que nos resta e isso pode resultar em ações fantásticas. Tudo depende do ângulo que se olha.

Beijos, querido...
Aos poucos a vida aqui está voltando ao normal...

Cara Comum disse...

Eu também já me peguei pensando nisso algumas vezes...

railer disse...

envelhecer é inevitável, mas o mais importante, que não acontece com todo mundo, é amadurecer.

me lembrei do meu texto sobre o 'senhor railer'.
leia aqui.

abraços!

Postar um comentário