A brand new day!

12/SET/2010

60 dias sem chuva! Eu já fiz tudo o que sabia e podia para ver se volta a chover, mas nada... já mandei lavar o carro, já comecei a caminhar, eu mesmo já lavei o carro por duas vezes (o que em condições normais seria suficiente para um novo dilúvio) e nada até agora, dar banho no São Benedito está em análise, mas será isso pode gerar retaliações "celestiais"?

Enfim, preciso de água... eu até consegui aguentar firme mas nos últimos dias minha garganta se entregou e lá fui eu para a cama com uma virose. Aliás, está todo mundo com "uma virose" em função da falta de chuva... que dureza, mas tirando a tosse de cachorro até que já estou bem.

No mais as últimas semanas tem sido de bastante trabalho, dois relatórios mega cabeludos acabaram por me absorver integralmente nos últimos dias e agora as coisas parecem querer voltar aos trilhos. Espero que eles sejam aprovados, do contrário, estou na roça!!!

E, em especial, as últimas semanas tem sido de um intenso aprendizado... talvez não devesse, as vezes acho que já era tempo de ter aprendido minhas lições, mas de fato não posso deixar de notar como a vida tem lá suas ironias. A cada situação percebo como nada sei e como parece haver tanto ainda para aprender...

De qualquer forma, seja a surpresa preparada por amigos do trabalho, seja a surpresa de reconhecer as iniciais no cartão deixado junto a caixa sob a sua mesa do escritório, ambas tem o seu doce sabor, quando estamos prontos para sermos surpreendidos... E a cada palavra lida e a cada linha deixada para trás, velhos e novos caminhos se misturam e quem sabe novas nuances são descobertas.

E que venha mais um novo dia!


Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo : "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

(Alberto Caeiro)

7 comentários:

Edu disse...

O negócio é não esperar a formatura da Vida pra botar em prática o que vamos aprendendo pelo caminho!

Beijo!!

Serginho Tavares disse...

Essa falta de chuva é terrivel mesmo mas como aqui não tem faltado graças aos deuses vou torcer pra ir muito dela pra vocês ai!

Beijos

S.A.M disse...

Aqui chouveu o feriado todo, foi um alivio pra nós.

Beijao!

p.S.: Saudade de passar aqui

Marco disse...

E eu passei o fim de semana na Bahia, torcendo pra afastar as chuvas recém surgidas por lá...
:-P
Boas surpresas são sempre bem-vindas.
Abração!

Antonio de Castro disse...

gente, mas onde é que não chove assim há 60 dias?!

Luma Rosa disse...

Tenho a ligeira impressão que ando desaprendendo coisas... ou querendo recomeçar, reescrever! Isto é viver! "Quem tem alma não tem calma" Bárbaro!!
Com esse tempo seco peguei pneumonia, agora tive uma recaída! Ah, uma chatura! Fico torcendo todos os dias para chover!!
Bom constatar que você está ocupadíssimo, muito trabalho e energia!! Amor e alegria!! (rs*) Boa semana! Beijus,

FOXX disse...

pior é q qndo começa a chover ai não pára mais

Postar um comentário