Simples como a vida!

"João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história."
(Quadrilha, CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE)



Sacou?! ;-)

Inté!

13 comentários:

FOXX disse...

não
mas imagino...

Serginho Tavares disse...

saquei
e mesmo assim é muito triste

ps: sempre que leio este poema me lembro de uma campanha do governo na tv sobre aids nos anos 80 que copiava esse poema e no final dizia que o moço no final havia morrido de aids
mega preconceituoso pq dava entender que ele morreu pq saiu com homem

S.A.M disse...

A vida e seus desencontros....

Tanta coisa que vai passando pelos nossos olhos e deixamos ir..

Saudade de conversar contigo ÔMI!
^^

superbeijo!

Luma Rosa disse...

É sempre assim!! Mas viu que a quadrilha teve final feliz? (rs*) Beijus,

NYNO disse...

Latinha passando aqui para matar as saudades de você! Que também anda sumido né? Bjão e bom final de semana.

A2 disse...

Isso aqui anda parado demais, não?

Enferrujou????

Guy Franco disse...

O arroz queimou!

Edu e Mau disse...

Queremos Latinha! Queremos Latinha! Queremos Latinha!

O Executor disse...

volta

Luma Rosa disse...

:( Latiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha!!

Desculpa, o 'i' está enroscando! (rs*)

Não vai voltar?

Estou indo viajar e já quero deixar os votos de boas festas para você!

Que o ano novo venha com força, renovando a esperança, a alegria do recomeço e que seus planos se concretizem! Vamos fazer uma corrente positiva!! :D

Beijus,

A2 disse...

Latinha, o povo clama pela sua volta!

Não vai deixar essa legião de admiradores na mão, né? Desenferruja esse blog logo!

Fred disse...

Líquido e certo: ninguém ama ninguém. Hehehe!
Saquei. E vc também, né? Danadinho... hehe!
Em tempo: o poema arrasou. Thanks!
Abraços!!!

Luifel disse...

Não,
mas imagino... [2]

Excelente 2010, procê!

Postar um comentário