"Sexta-feira 13! Grande coisa pensou ele... exceto por alguns incovenientes aquela fora uma sexta-feria tão ou mais tediosa quanto as demais, tanto que aquela noite decidiu sair para espairecer um pouco. Agora, sentado naquela mesa estratégica que o permitia ter total visão sobre quem entrava e saia, ficava a observar o movimento.

Casais, namorados, namorados que procuram fingir que não são namorados e assim entre olhares de cumplicidade e gestos contidos ele se colocava na posição de apenas um observador... afinal, talvez ele fosse o único sozinho naquele recinto. Ou melhor, sozinho, não! Estava na companhia de um legítimo White Horse, aquele Old Scotch Whisky era seu conhecido desde a infância quando aprendera com seu avô a sorver e apreciar o gosto forte do malte... quando sempre ficava com o golinho, que era bebido em "one shot" e sem gelo - do jeito que seu avô tomava e costume que ele ainda cultivava - seus amigos muitas vezes assustavam-se ao vê-lo com seu famoso cowboy...

De súbito se lembrou que alguém uma vez lhe dissera que se o cachorro é o melhor amigo do homem, o cavalo é um parceiro para toda hora! Por isso, lá estavam ele e o seu cavalinho, que irônia... Por falar em ditos, ao conferir o relógio lembrou-se da tão mal falada sexta-feira 13, dia que supostamente fantasmas e assombrações nos dariam a honra de sua companhia. E um sorriso misterioso de canto de boca se fez...

Reza a lenda, que não se deve convidar um vampiro para entrar em nossa casa...
Pois bem, naqueles dias ele andava flertando com o perigo e de certa forma desejava que tal momento chegasse, ignorando os avisos sinceros de que não devia. Não que ele os ignorasse por completo, mas ele simplesmente o queria, ansiava por sentir novamente o ar quente daquela boca lhe percorrer o pescoço.

Por diversas razões, que ele já havia contado ao cavalinho branco e que provavelmente não seriam repetidas, ele sabia que o desejado encontro não aconteceria. Fosse por orgulho ferido, fosse pelo desejo que muitas vezes o tomava na calada da noite, tinha para si que a frágil intersecção de suas existências já tinha se passado e que agora, suas vidas caminhariam paralelas. Fato que nem o cavalinho poderia mudar...

Aos poucos o sorriso foi deixando os lábios dele, e após os devidos procedimentos se levantou e caminhou calmamente até a porta, deve ter atraído alguns olhares, mas para ele pouco importava. Lutando contra o vento gelado que cortava a noite, arrastou a pesada porta de madeira e vidro e saiu caminhando noite a dentro, sumindo aos poucos na densa neblina que encobria a cidade.

Na verdade, é bem provável que carregasse no peito o desejo de que contra toda a lógica e princípios matemáticos conhecidos, o dito se confirmasse, e aquele fantastama viesse lhe assombrar naquela noite. Talvez até encontrasse outros fantasmas, vai saber! Ele próprio pe bem provável que seja o fantasma de outrem.

Mas, apesar de tudo isso, só havia uma dúvida em sua cabeça, queria ele realmente convidar o vampiro para a casa dele? Ou devia aceitar o fato, e apenas deixá-lo passar...

Venha me beijar
Meu doce vampiroooo
Ou ouuuuu
Na luz do luar
Ãh ahãããããh
Venha sugar o calor
De dentro do meu sangue...vermelhoooo!
Tão vivo tão eterno...veneno!
Que mata sua sede
Que me bebe quente
Como um licor
Brindando a morte e fazendo amor...
(Doce Vampiro, RITA LEE)


------

Então, para não perder o momento Sexta 13!, né?!

Respondendo ao pessoal, eu não pensei em um conto, fragmentos talvez (?), não sei! Acho que tá mais para dias nublados com tédio e um pouco de dor de cotovelo, kkkk. Talvez seja um Dark Latinha se manifestando, mas não acho que estou passando para o lado negro da força!

Acho que em breve termino umas coisas importantes que estou fazendo e retorno "com as dúvidas e incertezas" de sempre! ;-)

Abração!

6 comentários:

FOXX disse...

dark?
vc me deixou aqui suspirando isso sim

Nyno disse...

Hum acho que as revelações de fragmentos tornaram a leitura mais apetitosa amigo... Um leve sorriso brotou no canto de minha boca. Bom final de semana!

du disse...

.as dúvidas e os fantasmas formam uma ótima dupla. muitas vezes não nos permitem dormir. provocam estados constantes de alerta. enchem os pensamentos de conteúdos sem conteúdos...

.e por isso e por outras mais que todo mundo os cultiva. pois de certa forma, a linearidade da vida é ainda mais perturbadora....

.abraço.

Serginho Tavares disse...

que malvado, agora quero saber do restante!

PH disse...

se o vampiro fosse gostoso porque nao?

hahaha, abraco ai big

il Bastardo disse...

e não é que o garoto anda bebendo por aê sozinho na calada da noite? Cuidado com os vampiros, lobos e afins...
Mas o que amargura esse coração para recorrer a esse tipo de subterfugio? Os fantasmas de sempre?
Grande abraço!

Postar um comentário