O Recado

"Como sempre fazia, ligou o computador mais uma vez para verificar suas mensagens antes de encerrar o dia, cumpriria seu ritual diário como de costume se não fosse por uma mensagem que havia lhe passado desapercebido durante o dia. O remetente era um "velho" conhecido e apesar de inesperado, de certa forma ele aguarda mesmo por algum sinal de vida.

As poucas linhas lhe davam notícias sobre o desenrolar da semana dele, poucos dias antes surpreendeu-se ao encontrá-lo deprimido, choroso e porque não desesperado, naquele instante já era possível advinhar o motivo de tamanho desespero, mesmo que nenhuma palavra tenha sido de fato pronunciada, era claro e cristalino.

É bem verdade que havia hesitado por alguns instantes e até poderia ter lhe aplicado a Lei de Talião, mas o desespero do outro era real e se não o fez em outros tempos, não seria agora que lhe viraria às costas, por mais que seu orgulho pudesse magoar-se [novamente]. A verdade é que havia se tornado imune e observava tudo com maior clareza [ou pelo menos gostaria de acreditar nisso].

Ouviu pacientemente, tentou ajudar como podia e apesar da mórbida curiosidade pelos detalhes "sórdidos", se conteve. Sentiu pena ao ouvir no telefone os soluços daquele que outrora já esteve em seus braços, sentiu pena, sentiu raiva, mas no final condoeu-se por aquela cena... abraçaria-o se pudesse, e é certo que gostaria de tê-lo novamente nos braços... especialmente naquele momento em que se mostrava tão fragilizado.

Ironias da vida, tempos atrás poderia oferecer-lhe o mundo se ele quisesse, mas ele não quis. Hoje secava-lhe as lágrimas que eram derramadas por outro. Altruísmo?! Vingança?! Magoa?! Amor?! Não sabia precisar ao certo o que era, mas sentiu-se compelido a ajudar... depois daquele dia, novamente ele sumiu junto a multidão, impossível não lhe dedicar alguns pensamentos nos dias que vieram, estaria ele bem?!

Nas poucas e reticentes linhas daquele recado viria a saber que ele estava melhor, pelo menos dessa vez ele lembrara de agradecer, pensou ele com os seus botões. No seu íntimo sentia-se aliviado com a notícia, mas procurou demonstrar para si mesmo que tal notícia não era assim tão importante e foi dessa maneira que foi para a cama.

E como um misterioso sorriso de canto de boca adormeceu, e sonhou..."




"Eu aprendi que a intensidade da dor é sempre medida pelo valor que damos ao espinho que nos feriu" (LEGRAND)"Eu aprendi a passar com mais cuidado os degraus em que tropecei" (LEGRAND)


Grande quinta e sexta-feira para todos!!!

(Inté)

16 comentários:

Tiago disse...

Que bonito esse texto
E tem coisas e mensagens que parecem que no dia as vezes nem damos conta e depois vemos como algumas coisas são importantes por si só né?

E tenha uma linda sexta!
Abração

Râzi disse...

:)***********

Menino, que texto lindo... me emocionou demais... agrandeza dessa pessoa...

Olha... não vou especular. Tem coisas que são mágicas sem explicações.

Beijão!

edu disse...

Perfeito realmente! :-) Bom fim-de-semana!!

NAJA disse...

[b] Nooossaaaaaaa que lindoooo!!!

adorei melbem...rasô....rs.rs.

Fora ser um homem de lata....hummm o bom que dá pra reciclar..rs.rs.

Desculpe a brincadeira...mas tamôai..

Beijas e soquinhos nos testículos.

il Bastardo disse...

FIQUEI CURIOSO...

Goiano disse...

cof cof cof
esse lance da lei do eterno retorno sempre me mete medo
nussa se eu for pagar tudo que fiz

Monsieur M. disse...

Oi!

Que lindo isso...

Gostei muito mesmo.

É, o mundo dá voltas, e assim como precisamos de algumas pessoas às vezes, elas também precisarão de nós.

Bj!

Calvin disse...

o valor do espinho poderia ser menor ou a gente que quer mesmo e precisa sofrer?
sem desejo não há dor, mas que chato viver sem desejo então a gente paga esse preço, o preço de gostar e de não gostar.
abçs
calvin

Viajante Interdimensional disse...

é totalmente verdade, cuidemos mais os espinhos e degraus da vida não é?

p.s: no coments acho que vc quis dizer algo relacionado ao post de páscoa e não de natal rsrsrs

achei engraçado, mas talvez eu tenha entendido errado mesmo :P

abraços

The Secret disse...

Obrigado. Vale prestar mais atenção nos erros para não cometê-los outra vez. Abraços

il Bastardo disse...

arthur_yy@hotmail.com

Thread disse...

Deve ser muito difícil viver remoendo coisas assim.

Você acredita em amor Lata? Ou ainda não achou seu coração?

Abração!

Rod Maciel disse...

Muitas vezes eu tb sou compelido a ajudar, mesmo q meu coração se parta em mil pedaços. Eu me vi um pouco no seu post... E tb gosto muito do Legrand, "O importante é ser feliz" é um dos meus livros de cabeceira.
Abraço!!! =)

lorenzo. disse...

e quem diria que transplantaram um coração no homem de lata!

cara, tb adorei teu texto e tua forma de escrever. Eu tento usar ênclise e mesóclise no meu mas não consigo. No meu texto não fica natural... Talvez por eu estar numa fase não-muito-sentimental...

mas enfim, volta mais vezes que eu com certeza retornarei!
abraço!

Alberto Pereira Jr. disse...

que lindo post!
tocante mesmo.. e é bem assim.. mesmo que a pessoa nos machucou no passado, a gente fica feliz em saber q ela está bem..

Samcleber disse...

E como eu compreendo cada linha e cada palavra desse teu texto...

As vezes tentamos esquecer do espinho que nos feriu mas quando olhamos para o local ele está lá, do mesmo jeito, mesmo tendo se passado tempo suficiente para cicatrizá-lo!

Beijo!

Postar um comentário