Turbulências

"Ainda que Ele até hoje relute um pouco a aceitar os fatos, a verdade é que eles nunca foram, de fato, amigos. Nos momentos em que é tomado pela lucidez, sem qualquer chance de perdão, se vê forçado a admitir que são grandes as chances de que nunca tenham sido nada mais do que dois estranhos que se esbarram em uma noite inspirada.Uma bela noite com certeza...

Daquelas em que tudo parece ter sido pensado para encantá-lo, daquelas que acreditamos existir somente em sonhos, e no caso dele, aquele era um sonho que Ele ainda não havia tido a chance de sonhar... A suposta amizade entre os dois, nascera do cuidado e da insistência que Ele, devotadamente despendeu com aquela sementinha. Mas de fato, nunca foram amigos...

E foi assim, no seu tempo, que ele se afastou... primeiro, tentando disfarçar., como se andasse de costas, na tentativa de ainda se manter no campo de visão do Outro, depois, aceitando a derrota, rodopiou sobre seus calcanhares e decidiu seguir... Em frente?! Ele não sabe... em si, só sabia que precisava caminhar, e assim o fez.

Mas, ainda em seus bolsos, leva algumas sementes daquela amizade, que de um jeito só seu, Ele aprendera a cultivar. Talvez por isso, ainda se lembre - mesmo que não nada seja dito, que os próximos dias marcam um período difícil para o Outro... queria Ele poder estender-lhe a mão e dar um abraço "de força"...  mas Ele também sabe, que a armadura usada pelo Outro, poderia ainda ferí-lo.  
 
Assim, restou a Ele fazer a única coisa possível, e de olhos fechados, sentindo a brisa em seu rosto, pediu em seus pensamentos que, do jeito que o Outro escolheu, alguém lhe possa oferecer o abraço que Ele próprio não poderá dar.  
 
Ao mesmo tempo, sentia a mesma brisa, levar de seus bolsos, mais um pouco daquelas sementinhas que ainda restam por lá.

---

Então, depois de um longo e tenebroso inverno, eu tenho andado em um tempo meio "esquizofrênico"... ao mesmo tempo que coisas bacanas acontecem, algumas coisas chatas também estão rolando... e eu me sinto meio que como um equilibrista. Se por um lado, o clima com alguns colegas de trabalho tem se deteriorado, por outro, tenho encontrados bons parceiros para desenvolver alguns projetos, o que me abre alguns horizontes interessantes.

O fator complicador é que eu tinha que arrumar enguiço justo com os coleguinhas que são os chefes, né?! Nada pode ser fácil... Mas o pior é que eu nem fiz nada, se eu tivesse feito, eu até fazia um mea culpa, mas dessa vez eu estou brigando com o que eles acham que eu fiz, ou pior, com o que eles pensam que eu posso fazer.

No baixo clero, damos risada dizendo que agora eu vou ser eleito o "Dalit do Ano"! Os Dalits são considerados os impuros no sistema de castas indiano, os intocáveis! [kkk] Pois é, esse cara sou eu! Acho que o que deixa eles com mais raiva é que eu continuo no meu MDU (Movimento Defecatório Continuo) em relação à eles... mas confesso que isso é chato! Enfim, mas não quero perder tempo falando desses pentelhos... Vamos falar de coisa boa... hauhauha

No mais... ando meio "desinspirado" para escrever...  mas estou na área! Os próximos dias preciso tirar um plano de dominação mundial da manga, contudo, passo para por as visitas em dia...

Saudosos Abraços,  ;-)

«Quando amamos alguém, não perdemos só a cabeça, perdemos também o nosso coração. Ele salta para fora do peito e depois, quando volta, já não é o mesmo, é outro, com cicatrizes novas. Às vezes volta maior, se o amor foi feliz, outras, regressa feito numa bola da de trapos, é preciso reconstruí-lo com paciência, dedicação e muito amor-próprio. E outras vezes não volta. Fica do outro lado da vida, na vida de quem não quis ficar do nosso lado.»

8 comentários:

FOXX disse...

a primeira parte do texto me emocionou bastante... bastante mesmo.

Pedro disse...

"...estou brigando com o que eles acham que eu fiz, ou pior, com o que eles pensam que eu posso fazer..." É essa a luta mais difícil!

Tudo vai melhorar certamente.

Olha que para quem não está inspirado, escolheu bem as palavras.

Abração e bom fim de semana.

Edu ardo disse...

Eita... quer dizer que você quer dominar a produção mundial de manga? Mas por que não de caqui?

Sementes, mesmo que não germinem, sempre modificam o solo pra melhor. Sempre.

Serginho Tavares disse...

às vezes ser um DALIT é muito bom
rs

Raphael Martins disse...

Yo soy rebeldeeee

Ro Fers disse...

Hummm... Espero que as coisas estejam bem.
Nada de baixo astral.
Abraços!

Rafael M. disse...

Todos somos Dalits em algum momento da vida. Às vezes somos os "impuros" até em nossas próprias casas, fazer o quê? O jeito é seguir em frente e exercitar esse MDC... Certas pessoas não merecem mesmo outro tipo de resposta.

"Quando amamos alguém, não perdemos só a cabeça, perdemos também o nosso coração." Concordo plenamente.

Abraço a todos e boa semana.

Paulo Roberto Figueiredo Braccini . Bratz disse...

Todos somos Dalits em algum momento da vida. [2] ... #fato

Postar um comentário