The Bachelor

15/AGO/2010

E hoje, além de um dia frio, foi Dia do Solteiro! E me dei conta que sempre fui solteiro... e talvez o pior, isso nunca foi um problema para mim. Não vou apelar ao famoso, "sou um espírito livre", "posso fazer o que quiser" e por ai vai para justificar essa opção até porque não acredito que apesar das negociações envolvidas em um relacionamento, eu deixaria de viajar com um amigo ou ir a um determinado lugar, por não ser solteiro. Na verdade, eu creio que com o passar dos anos e o entendimento de que somos nós os verdadeiros responsáveis pela nossa felicidade fica mais dificil aceitar determinadas concessões.

Minhas teorias dizem que a coisa vai acontecendo em fases, a primeira provavelmente na adolescência, a segunda, talvez, seja a própria faculdade, quando relacionamentos sérios nascem. O fim da faculdade é meio emblemático, ou vai ou racha, muitos casais que passaram a faculdade inteira juntos, não resistem às possibilidades de um novo mundo, outros optam por formalizar uniões e partirem para construir um futuro em comum e claro, nem estou contabilizando os que ficaram grávidos pelo meio do caminho e que acabaram puxando o Diploma pela mão.

Eu passei bravamente pelas duas primeiras... eu nunca fui um adolescente típico, não bebi [muito], nunca roubei o carro do meu pai, nunca quebrei a janela de ninguém - as de casa eu confesso que quebrei, e também não saí catando papel pela ventania - sempre fui meio que na minha. Lá pelos 13 me apaixonei pela primeira vez, sofreria poucos anos depois com a separação, em função de uma mudança de cidade. Os anos da facul, foram a mesma coisa... fiz grandes amigos, com alguns tenho contato até hoje, mas não namorei ninguém, fui cortejado, fiquei lisonjeado, mas não rolou...

De acordo com minhas teorias, haveria ainda uma terceira chance.. quando começamos a trabalhar, afinal, há todo um novo mundo a ser explorado. Pois é, trabalhei 11 anos no meu primeiro emprego e nada! É bem verdade que sofri alguns assédios "pesados", daqueles de fazer a gente correr como quem corre para salvar a vida [kkkk] - mas isso fica para eu contar em outra oportunidade.

Mas cá estou! Solteiro! Seria eu uma versão em lata do filme da Julia Roberts? Runaway Bride!? Quero crer que não, por duas vezes já pensei em viver com alguém, e realmente acredito que poderia ter sido feliz de verdade - quem sabe eu não seja um "namorador" e sim um "casador"... mas sei lá, é bem verdade que nos últimos anos tenho sentido mais a necessidade de ter alguém com quem compartilhar a vida, pedir colo nos dias mais complicados, mas ainda assim... continuo solteiro.

E, confesso que mesmo em dúvida sobre o quão ruim seria, a possibilidade de ser um eterno solteiro nunca me assustou [muito]...

---

E no mais, uma semana mais curta e cheia de expectativas...

Abração a todos!

;-)

E quando a lagarta achava o que o mundo iria acabar, ela virou uma borboleta!


Update de última hora... E o engraçado é que justo hoje eu não queria ser solteiro!!!

4 comentários:

Edu disse...

Casa comigo!

FOXX disse...

a mim, assustava, hj, é uma possibilidade tão real, então não assusta mais.

O Executor disse...

nao me mate por favor amigo: Brian!

Guy Franco disse...

Me dou bem com isso por um motivo bem simples: nunca me preocupei com isso.

Daí, uma hora, assim, do nada, acontece.

E não é na época da faculdade nem no trabalho.

E eu mando beijos.

(nunca me casei também...)

Postar um comentário