Electric Dreams

Engraçado as vezes passamos por situações em nossa vida que são meio que "premonitórias", muitos anos depois, nos damos conta como aquele fato de certa forma teve um significado ou então significava mais do que poderíamos jamais imaginar. Dia desses eu me deitei e fiquei rolando na cama sem sono, e não sei porque o relógio do video-cassete me chamou a atenção... sim, eu tenho um video-cassete no quarto, old-fashioned, mas fazer o que, eu gosto! [kkk]

Era 01h30, e me veio a mente o dia que o "trambolho" chegou em casa... eu era um Latinha pré-adolescente, e me lembro bem que um amigo do meu pai que estava viajando de ferias, trouxe para nós. Eu e minha irmã que o montamos, o que já era outro fato "profético"... naquela época eu dizia que teria uma profissão totalmente diferente da que tenho hoje (e que é ligada a tecnologia), mas enfim, lido os manuais, identificado e conectado os cabos, entendido o controle remoto que tinha um batalhão de botões e veio a descoberta! Como a gente vai saber se funciona?! Precisavamos de uma fita VHS!

Expectativa até a ida a locadora e todo um mundo novo a ser desvendado... acho que a ansiedade era tamanha, que não houve maiores critérios na escolha do filme e lá veio ele... Electric Dreams (1984 - trailler), que se não me falha a memória, tinha o nome em portugues de Amores Eletrônicos! Comédia romântica, sem maiores pretensões, mas muito legal para a época... Miles possui um computador mega-ultra-power, que começa a expressar seus sentimentos após derrubarem champagne nele, quando ele assume o nome de Edgar, e assim Miles e Edgar (o computador), começam a disputar Madeline, a boa vizinha! [kkk] Quisera eu lembrar dos detalhes, mas lembro da música e de algumas cenas em que o computador interagia com a vizinha através de música, eu coloquei um video com uma das principais músicas da trilha sonora abaixo, ah! os anos 80! [kkk]

Anos mais tarde, eu teria desistido de me tornar um profissional na área da saúde , teria uma cara meio de nerd e viveria cercado por tecnologia. E o pior, acabaria por descobrir o amor através do meu [não tão avançado assim] computador. Claro que não houve o champagne, nem a disputa por ninguém, mas seria por meio daquele dispositivo que eu iria descobrir um bocado de coisas e sensações. E muito provavelmente iria descobrir a mim mesmo!



We´ll always is be together together in electric dreams

----

Mais um paradoxo para o meu caderno, ou então, no popular mesmo, mais uma das minhas esquisitices, afinal, acabei por fazer de um dos meios de comunicação considerado o mais frio e informal de todos, o portal para algumas das experiências mais importantes da minha vida. Isso sem falar nos amigos que acabei por fazer e tive a chance de cultivar.

Bom... pensamentos de quarta-feira! ;-)

21h45, hora de desligar o meu "Edgar" atual, fechar o boteco e ir para casa...
Abração a todos, e em especial votos de pleno reestabelecimento [ASAP] para o amor do Edu!

Fui!


"O amor é com o que nascemos.
O medo é o que aprendemos.
A jornada espiritual consiste de
desaprender o medo e preconceitos
e de aceitar o amor de volta a nossos corações
Experimentar o amor em nós mesmos
e nos outros é o significado da vida.
O significado não está nas coisas.
O significado está em nós."
(MARIANNE WILLIAMSON)


8 comentários:

Edu e Mau disse...

Um beijo elétrico e eletrônico mega-ultra-power pra você!

Nyno disse...

Latinha engraçado você se lembrar do video cassete! Eu olhei pro meu. É também tenho no quarto junto com o apático DVD! O meu video-cassete na verdade é um troféu. Um destes traumas que guardamos e que nos serve de motivação. Eu era criança e minha que era professora lutava com certa dificuldade para ser pai e mãe ( a velha história). Ela juntou dinheiro e fomos a uma loja. Não fomos atendidos pois o vendedor comissionado e assalariado julgou que aparentemente não teriamos dinheiro para comprar nada. Minha mãe que sempre lutou pelos seus direitos (tá ai a escolha da minha profissão) chamou o gerente o disse que compraria o produto a vista (era uma dinheirama na época) imagine só 4 cabeças estéro kkkkkk e mandou que o gerente o embrulhasse. Passamos na frente do vendedor e ela disse o que nunca mais vou esquecer: " - Por você ter me subestimado, perdeu talvez a melhor venda da sua carreira mediocre - se virou pra mim e continuou: - meu filho nunca faça com as pessoas como este senhor fez conosco. É muito triste ser digno de pena". Me entregou o video de presente e saimos da loja. Coisas assim não se esquece. Por isto ainda o tenho! Abraço Latinha.

Evarist disse...

Oi Latinha,

Eu também tenho um video-cassete. Uso pouco, pois acabo vendo mais filmes em DVD ou que baixo pelo computador. E quase não gravo nada da TV. Mas não pretendo me desfazer dele, até porque não encontraria outro para comprar caso necessitasse...

Como disse, viajo nesse fim de semana. Talvez ainda o encontre pelo msn no sábado, mas depois, só no retorno.

Um abração!

Gato de Cheshire disse...

Mas qto tempo que eu não venho aqui e que pena, tava perdendo isso tudo... Vc é ótimo....

Eu francamente mal me lembro que cara tinha meu video cassete , menos ainda o primeiro filme que aluguei... Do DVD até lembro... Mas Video cassete, definitivamente...

Mas de qq forma achei bacana o link q fez entre a lembrança do filme e a situação que vive hj... E sou super companheiro nesse sentimento misto de admiração e gratidão as tecnologias...

Bjkas

HSLO disse...

Gostei muito do seu blog, viu.

Te linkei aos meu favoritos.

Abraços


Hugo de Oliveira

@philipsouza disse...

hehehe..ou sou novo demais...ou nao vi nao.....

hehee

abraçao

Edu e Mau disse...

LATA! Cadê o Galphinha?? Ocê sabe de algo?

@philipsouza disse...

sempre passsaremos por coisas inusitadas ne....

abraços

Postar um comentário