Fragmentos

"... mais um vez ele verificou o seu telefone celular, não que estivesse esperando encontrar algo novo, o fizera mais por impulso, contudo... tal gesto o fez voltar alguns dias antes, mais precisamente no saguão daquele aeroporto, quando finalmente resolveu responder àquele súbito [e porque não dizer, inesperado] contato. Agradeceu, como a boa educação manda, prometera retornar em breve com mais notícias.

Vários dias se passaram desde então, alguns mais longos, outros mais curtos, e de volta àquele momento, ao ver aquela mensagem presa naquela espécie de "limbo eletrônico", se deu conta mais uma vez de que ainda não sabia o que fazer. Tal fato lhe causava profunda inquietação, que não era menor que o incomodo causado pela possibilidade de respondê-lo. Se perdia em dúvidas e questionamentos, a bem da verdade, não seria errado dizer que intimamente se questionava se ainda deveria dispender tempo em escrever algumas poucas linhas... na verdade, nem ele sabia o que escrever nas tais poucas linhas. Não foi uma nem duas vezes, que defronte a nova mensagem, ficou a contemplar o "branco vazio" de seu monitor... a essa altura parecia que tudo já fora sido dito.

Balançou a cabeça, como se quisesse dissipar os pensamentos, mas foi impossível não lembrar que palavras nunca faltaram entre eles... pior, foram as palavras que os atrairam a um delicioso jogo... E assim, acabou por revisitar algumas memórias que agora não mais pareciam suas...

De fato, ele sabia muito bem o que estava "escrito" nas entrelinhas daquela mensagem vazia. Quem sabe um dia, para além dos dias, venha a ter a compreensão necessária para entender a extensão de tudo o que vivera... por ora, tentava apenas, com as armas que dispunha, não sucumbir ao objetivo de continuar sua caminhada. Mesmo porque, tem percebido novas cores e nuances que passaram a fazer parte de seu dia-a-dia, intrigando-o muitas vezes, animando em outras... oferecendo esperanças.

De súbito, como quem acorda de um transe, se deu conta do burburinho ao seu redor... fitou mais uma vez seu aparelho, ainda não será dessa vez que a mensagem sairá dali...

As vezes é preciso perder, para poder ganhar!.. pensou antes de seguir o seu caminho"

---

Essa semana eu fiquei intrigado... há tempos, eu vi um comentário sobre um filme que iria ser lançado e que provavelmente causaria bastante polêmica em virtude do tema, aliás, os temas, a serem abordados... homossexualismo e incesto, no caso, dois irmãos. Eis que essa semana eu vejo em um site sobre cinema o trailer do filme e os comentários sobre seu lançado... Intrigante!

O filme, "Do começo ao fim" [1] (Aluizio Abranches), parece ter sido muito bem produzido, bons atores no elenco... Fábio Assunção, Louise Cardoso, Lilian Lemmertz, Jean Pierre Noher e os dois irmãos são feitos na fase adulta por dois atores muito bonitos - um esteve em uma novela recentemente (Rafael Cardoso) e o outro é de teatro.(João Gabriel Vasconcellos). O trailer é muito belo, e dá uma noção da dimensão do conflito que deverá causar nos telespectadores... afinal... é incesto, né?! [muitos medos!]

... to understand our love they´d need to turn the world upside down

Entre comentários babacas do tipo que estão querendo destruir "a família", muitos comentários positivos sobre o filme... e muito apoio. Foi então que minha sobramcelha ergueu-se... muito belo, porque é uma história bem feita, com atores bons... mas e se fossem aqueles dois vizinhos meia-boca que a gente tem? Será que a simpátia seria a mesma?!

Aqui vai o trailer...


E aqui eu deixo os votos de uma ótima semana para todos! No mais, continuo naquele momento "chinês preso", trabalhando igual gente grande!... Abração!

(Inté!)

Em tempo, quero deixar aqui um agradecimento ao "Anônimo", ele me deixou uma mensagem muito interesse e que me levou a ver de uma outra maneira um post que tinha feito. Confesso que as vezes tenho vontade de parar com o bloguinho, mas é pelos amigos que fiz aqui e principalmente pela oportunidade de me deparar com comentáris tão interessantes como o que você fez que eu continuo.. Obrigado! E espero que volte mais vezes!!!

12 comentários:

FOXX disse...

como um filme pode "destruir a família"?

Anônimo disse...

Tin, aqueles meus insights vieram a partir da sua inspiração. Eu que tenho de agradecer a você, pois aquilo que escrevi não estava na minha consciência antes de você ter escrito aqueles pensamentos. Mas ao ler seus pensamentos, vieram do nada os meus,as "conexões" aconteceram. E aprendi muito, até me ajudará na minha vida sentimental daqui para diante, pois tentar saber COMO o outro se sente amado, de repente ou aos poucos, é um caminho legal para que uma relação cresça e fique mais interessante. Muito obrigado, aprendi isso devido a você.

Anônimo disse...

E sobre o filme, tô muito curioso para vê-lo, já deu para sentir um bom gostinho pelo trailer, pois mostra que o filme foi bem produzido.

Com relação à sua pergunta sobre se fossem caras não tão bonitos, se a reação seria menor ou pior, penso que toda temática precisa de atores e contextos adequados para ter sucesso, para inclusive ter maior aceitação, não no sentido de audiência (número), mas aceitação no sentido de olhar a polêmica e pensar sobre ela, ao menos.

Se a estória fosse rodada numa favela entre dois irmãos bem pobres, a mensagem captada e formada pelo público seria outra, com certeza, e consequentemente teria maior rejeição.

Penso que nessa temática, para que o assunto seja apresentado de forma branda, até séria e que seja mais aceita, a condição economica dos personagens e a beleza deles passa um clima superadequado para que o assunto seja bem apresentado, e até se torça para que o amor aconteça, porque antes de tudo é o amor que está em questão.

Edu e Mau disse...

Eu preferiria torcer pelo amor entre os dois vizinhos capengas. :-)

E que os novos coloridos que você vem percebendo tornem sua vida um comercial de Suvinil!

Serginho Tavares disse...

o trailler desse filme é instigante
bom começo de semana moço

Oz disse...

Depois volto aqui para ver o trailer com mais atenção. Fiquei curioso.

E por falar em correria, sinto falta das nossas conversas madrugada fora. Preciso organizar melhor os meus dias... e noites... hehehehehehe
abração

Hensel disse...

Chinês preso? rs
Chinês livre também é escravo! rs

Abração amigo!

RP disse...

Ai, irmãos não dá neh??
Quando eu for ver o filme vou tentar abstrair isso....
Pq vou assistir? rs

Td mundo sabe...

Gato de Cheshire disse...

Falei do filme lá no blog tb, mexer com o tabu do incesto é descontruir de uma forma que as pessoas se perdem , sem os limites básicos elas podem ir de encontro com um desconhecido absolutamente assustador... Eu n vejo a hora de ver o filme, qdo ele estreiar voltamos a afalar sobre, novamente..
Bjus e é sempre bom ressaltar que adoro seu blog....

Gay Alpha disse...

Eu até ia comentar teu texto, mas depois que vi o trailer, tudo perdeu o sentido... hehehe!!!

ADOOOOOOOORO!!!
APOIO!!!
VIVA O INCESTO!
Afinal, toda forma de amor é uma forma de amor!!
Espero que não desencavem alguma censura e acabem com o filme... mas eu quer ver mesmo é ele na Tela Quente... du-vi-do!!!
Hugzzzzzzz, homem de lata sumido!!!! E o anônimo... HEIN?!? Ulá-lá!!! S-e-i!!!!!

RP disse...

Kd ocê?

Philip Rangel disse...

Muito istigante mesmo....

abraçao

Postar um comentário